Casagrande mantém isolamento contra coronavírus e pede: “fiquem em casa”

Para governador, dar fim à reclusão total neste momento pode provocar uma piora na pandemia e provocar um caos na saúde pública. Isolamento vertical, de apenas idosos e doentes, será adotado só se doença for controlada

Publicado em 25/03/2020 às 12h30
Atualizado em 26/03/2020 às 10h00
O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande
O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande. Crédito: Governo do Estado

O governador Renato Casagrande (PSB) pediu para que a população mantenha o isolamento social por conta do coronavírus, à revelia do pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na noite da última terça-feira (25). Contudo, Casagrande destacou que o isolamento total só será revisto após análise de dados que comprovem uma queda no crescimento de casos. Segundo ele, o Estado vai seguir a orientação dos infectologistas e recomenda que a classe empresarial também. 

Parte dos decretos instituídos no Estado, como o fechamento de comércios e escolas, vencem até o sábado, dia 4 de abril. Até lá, será preciso repensar se já é possível adotar isolamento vertical, ou seja, para que apenas idosos e pessoas que estão nos grupos de risco fiquem em casa.

"Houve de fato uma contribuição da sociedade, vamos ver como se comporta o vírus por esses dias. Nossa orientação continua a mesma, quem puder fique em casa, mantenham os mesmos cuidados. No meio da semana que vem (início de abril) algumas decisões começam a vencer. Nosso objetivo inicial sempre foi esse (isolamento vertical), mas é difícil convencer as pessoas a ficar em casa. É preciso dar um choque, para que elas se conscientizem do que é esse vírus e aí gradativamente vamos liberando as atividades”, afirma.

O governador ressaltou que o isolamento total no início do ciclo de contágio é essencial para diminuir a disseminação da Covid-19 e que isso é determinante para mitigar o impacto da pandemia. “Isso não aconteceu na Itália e na Espanha, que agora estão em colapso. Se a sociedade entrar em colapso, independentemente do que diga o presidente, a economia para", argumenta.

 O Espírito Santo acumula 40 casos confirmados de coronavírus até o momento. A informação foi confirmada pelo governador Renato Casagrande, durante um pronunciamento no Palácio Anchieta, em Vitória.

Foram novos sete casos em 24 horas, sendo a maioria  importado, ou seja, pessoas que foram contaminadas em viagens para o exterior. Até a noite desta terça-feira (24), a Secretaria de Saúde (Sesa) investigava outras 945 notificações suspeitas da doença.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.