ASSINE

Com ônibus lotado, passageira teme risco do coronavírus no ES

A reclamação é de que os coletivos estão ainda mais cheios depois que os ônibus com ar-condicionado foram retirados de circulação como medida preventiva contra o coronavírus

Publicado em 19/03/2020 às 12h34
Atualizado em 19/03/2020 às 22h09
Passageira relata atrasos e ônibus lotados após retirada de carros sem ar-condicionado. Crédito: Malany Gasparini Dias Jaeger
Passageira relata atrasos e ônibus lotados após retirada de carros sem ar-condicionado. Crédito: Malany Gasparini Dias Jaeger

 Entre as medidas anunciadas pelo governo do Estado na última terça-feira (17) para a prevenção do coronavírus, está a retirada dos ônibus com ar-condicionado de circulação. Porém passageiros afirmam que nos últimos dois dias perceberam que os ônibus com ar não foram substituídos por outros no mesmo horário, causando atrasos. Além disso, embora a recomendação de prevenção seja evitar aglomerações, os usuários afirmam que os coletivos estão ainda mais cheios. 

A gerente de clínica odontológica Malany Gasparini Dias Jaeger, de 30 anos, conta que todos os dias embarca nos ônibus das linhas 510 (Carapina X Vila Velha) ou 508 ( Laranjeiras X Vila Velha) por volta das 7 horas. Porém nesta quarta (18) e quinta (19) os veículos não passaram no horário. Nos dois dias ela esperou por cerca de 20 minutos até a chegada de um carro sem ar. Além do atraso, Malany aponta um segundo problema: os carros chegam lotados. 

Este vídeo pode te interessar

Malany Gasparini Dias Jaeger

Gerente

"Se estão tirando os ônibus por causa do ar, que substituam por outros sem ar. Mas simplesmente cortar a linha no horário de pico, piora o problema. Porque o próximo carro, que chega com quase meia hora de atraso, fica lotado. Vi muita gente aglomerada em ônibus e em terminais. Vi muitos idosos nessa situação. Se há alguém com o vírus, não tem como não passar o contágio, porque em um espaço que seria para três pessoas, tem dez"

Ela completou que os ônibus já ficavam lotados no horário de pico, mas que sentiu um aumento nos últimos dois dias. Para a gerente, ficar em casa é um privilégio que a maioria dos trabalhadores não tem.

"A recomendação é que a gente fique em casa, mas quem vai pagar minhas contas? Nem todo mundo tem o privilégio de trabalhar em casa. Quem precisa sair, está sendo prejudicado. Os ônibus já ficavam lotados em horário de pico, mas agora piorou. Minha colega de trabalho esperou por meia hora e teve que vir trabalhar de Uber. Eu esperei 20 minutos e viajei em um ônibus mais cheio do que o normal", afirmou. 

CETURB-ES

A reportagem entrou em contato com a Ceturb-ES que, por nota, que limitou-se a afirmar que não houve redução de frota no sistema Transcol. "Os 120 ônibus com ar-condicionado que foram retirados de circulação foram totalmente substituídos por veículos convencionais da frota reserva".

De acordo com a Ceturb-ES, na noite da última terça (17), as medidas referentes aos ônibus do Sistema Transcol que foram adotadas  são:

  •  Campanha publicitária com informações sobre prevenção do Covid-19;
  •  Retirada de motoristas e cobradores com idade acima dos 60 anos da função e colocação em outras atividades, a partir desta quinta-feira (19);
  • Retirada de circulação de veículos com ar-condicionado do sistema Transcol a partir desta quarta-feira (18) e do serviço Seletivo a partir do sábado (21). A Ceturb afirma que vai publicar as linhas do Transcol alternativas às linhas cobertas pelo Seletivo.
  • Suspensão do Passe-escolar (gratuidade e 50%), a partir da segunda-feira (23), em virtude da suspensão das aulas;
  • Suspensão do atendimento presencial e substituição pelo peticionamento eletrônico, no edifício-sede da Ceturb e lojas do GVBus e Setpes, principalmente, de idosos e pessoas com deficiência, que terão prorrogação automática do período de isenção por 90 dias e, nos casos urgentes, atendimento pessoal mediante agendamento;
  • Instalação e manutenção de dispensadores de sabonete líquido nos 48 banheiros dos terminais de integração;
  • Utilização de hipoclorito de sódio na desinfecção dos corrimãos, balaústres, alças e superfícies de toque dos veículos coletivos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.