ASSINE

Veja o que deixa de ser atividade essencial e fica proibido de abrir no ES

É o caso do comércio atacadista, lojas de material de construção, bancos, entre outros, que a partir de domingo também terão que fechar as portas durante a quarentena estadual

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 25/03/2021 às 15h40
Atualizado em 26/03/2021 às 22h13
Lotericas
Lotéricas não poderão abrir no ES. Crédito: Wilson Dias/Agência Brasil

Correção

26 de Março de 2021 às 22:13

A versão inicial da matéria trazia que os atacarejos também não poderiam abrir, conforme informou o governo do Estado. No entanto, o governo enviou uma nova explicação no final da tarde da quinta-feira (25) alegando que como os atacarejos atuam predominantemente com o comércio de alimentos, podem continuar funcionando. Ainda na quinta, o governo também voltou atrás quanto aos treinos de equipes profissionais de futebol, que seriam proibidos mas seguirão autorizados. Já na sexta (26), um novo decreto recolocou as oficinas de veículos no rol de serviços essenciais e permitiu que supermercados, padarias e lojas de produtos alimentícios funcionem nos feriados.

A partir do próximo domingo (28), alguns setores que até então eram considerados essenciais durante a quarentena decretada no Espírito Santo perderão essa classificação e, portanto, não poderão mais abrir as portas. É o caso do comércio atacadista, das lojas de material de construção, dos bancos, entre outros.

Além disso, o período, que inicialmente terminaria em 31 de março, foi estendido para 4 de abril, domingo de Páscoa. 

A decisão acontece uma semana depois de o governador Renato Casagrande decretar o início da quarentena no Estado. Na tarde desta quarta-feira (25), ele anunciou que vai restringir ainda mais as regras para tentar controlar a disseminação do vírus e evitar o colapso do sistema de saúde. 

Segundo novo decreto que será publicado, entre os dias 28 de março e 4 de abril (ambos domingos), não poderão mais funcionar com atendimento presencial em nenhum dia ou horário:

  • Comércio atacadista (exceto os atacarejos);
  • Lojas de material de construção;
  • Agências bancárias (com exceção do pagamento de auxílios);
  • Casas lotéricas;
  • Atividades de pesca no mar.

Inicialmente o governo chegou a afirmar que os atacarejos também não poderiam abrir. No entanto, enviou uma nova explicação ao final da tarde desta quinta-feira (25) alegando que como os atacarejos atuam predominantemente com o comércio de alimentos, podem continuar funcionando.

No caso dos bancos, segundo o governo, eles poderão funcionar apenas para o pagamento de auxílios, seja do governo federal, estadual ou municipal. Todos os outros serviços ficam suspensos.

Foi retirada também a permissão para o atendimento presencial em concessionárias prestadoras de serviços públicos, que podem funcionar apenas com expediente interno. 

Os serviços de assistência à saúde seguem essenciais, mas será permitido o funcionamento somente de hospitais, clínicas e consultórios médicos, odontológicos e de fisioterapia, laboratórios e farmacêuticas. Já os hotéis, pousadas e afins terão a capacidade de ocupação limitada a 30% dos quartos (era 50% no último decreto).

As demais atividades essenciais, como supermercados, padarias, farmácias e postos de gasolina (com exceção das lojas de conveniência), por exemplo, continuarão podendo abrir as portas.

Para justificar o acirramento das medidas, o governador citou as novas variantes do coronavírus, que são muito mais transmissíveis e tendem a acometer também pessoas mais jovens. Segundo ele, o número de pacientes que necessitam de um leito de UTI tem crescido mais do que a capacidade do Estado e ampliar a rede de assistência. O governo teme que o aumento do contágio do vírus leve a um colapso na rede de saúde, pública e privada.

Renato Casagrande

Governador do Espírito Santo

"Em uma hora como esta, em que estamos perdendo mais de 3 mil pessoas por dia no Brasil e mais de 30 no Espírito Santo, que as vacinas não chegam na quantidade que precisava, não temos que ter dúvidas e tomar medias necessárias, amparadas não só por instituições de Estado, mas por você que está preocupado e colaborando"

VEJA O QUE PODE E O QUE NÃO PODE ABRIR ENTRE 28 DE MARÇO E 4 DE ABRIL

ESSENCIAL (PODE FUNCIONAR)

Comércio

  • Supermercados e hipermercados (não pode abrir aos domingos);
  • Minimercados  (não pode abrir aos domingos);
  • Hortifrútis  (não pode abrir aos domingos);
  • Farmácia (poderá abrir todos os dias);
  • Padaria (não pode abrir aos domingos);
  • Lojas de produtos alimentícios (não pode abrir aos domingos);
  • Postos de combustíveis (podem funcionar todos os dias, exceto as lojas de conveniência que estão proibidas de funcionar).

Serviços

  • Assistência à saúde (apenas hospitais, clínicas e consultórios médicos, odontológicos e de fisioterapia, laboratórios e farmacêuticas)
  • Cuidado com animais
  • Data center
  • Telecomunicações
  • Lojas de autopeças, reparação e oficina mecânica de veículos
  • Transmissão de energia
  • Serviços funerários
  • Serviços postais
  • Atividades de jornalismo
  • Distribuição de água
  • Limpeza urbana
  • Hotéis e pousadas (com ocupação de até 30% de sua capacidade)
  • Locação de veículos

Indústria

  • Fábricas e usinas podem abrir
  • Construção civil pode também funcionar
  • Agronegócio pode funcionar, com exceção da atividade pesqueira no mar

O QUE PODE FUNCIONAR COM RESTRIÇÃO

  • Restaurantes poderão funcionar com delivery. Fica proibido o serviço de drive-thru e take away (retire e leve) e qualquer atendimento presencial, mesmo com hora marcada.

O QUE ESTÁ PROIBIDO DE FUNCIONAR

  • Transporte público, rodoviário e ferroviário de passageiros
  • Instituições de ensino públicas e privadas
  • Quaisquer atividades de serviços e comércio que não estejam enquadradas como essenciais, como lojas de roupas, lojas de conveniência, salões de beleza, academias, lojas de material de construção, bancos, casas lotéricas, entre outros.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Renato Casagrande Governo do ES Coronavírus no ES Comércio Pandemia Quarentena no es

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.