ASSINE

Samarco confirma retomada em dezembro e vai abrir 700 vagas no ES

Empresa está paralisada desde 2015 e está com 61% da preparação para a retorno das operações concluída. Contratações em Anchieta vão priorizar moradores locais

Publicado em 09/07/2020 às 18h31
Atualizado em 09/07/2020 às 19h30
Vista noturna da unidade da Samarco, em Ubu, Anchieta
Vista noturna da unidade da Samarco, em Ubu, Anchieta. Crédito: Jefferson Rocio/Divulgação Samarco

A previsão de retomada ainda que parcial das operações da Samarco, no Sul do Espírito Santo, já fez a empresa criar 1,3 mil empregos diretos e vai gerar mais 700 vagas até o fim do ano. Mesmo em meio à pandemia de coronavírus, a indústria confirmou a expectativa de que a primeira usina de Ubu, em Anchieta, seja religada no início de dezembro.

As informações foram dadas pelo gerente-geral de operações da empresa, Sérgio Mileipe, em uma live realizada nesta quinta-feira (9). A companhia está com as atividades paralisadas desde novembro de 2015 quando houve o rompimento da barragem de Mariana, em Minas Gerais.

"Tivemos problemas com a pandemia, mas conseguimos estabelecer controles rigorosos e estamos conseguindo manter a data de dezembro. Aqui em Ubu, estamos com 61% da preparação concluída", afirmou Mileipe.

Entre as ações para minimizar riscos estão a adoção de regime de home office e escalonamento através de revezamento semanal. Assim, segundo a empresa, foi reduzido em cerca de 60% o fluxo de pessoas nas suas unidades, mas mantém atividades prioritárias e essenciais.

Até o momento, 1,3 mil pessoas já foram contratadas para trabalhar na mobilização e operação da usina 4, a primeira que será religada.  A expectativa da empresa é de que, até o fim do ano, o número chegue a 2 mil. Mileipe afirmou que a Samarco está compromissada em fazer contratação de mão de obra e fornecedores locais.

Sérgio Mileipe

Gerente-geral de operações da Samarco

"Temos visto que o nível de aproveitamento de empresas locais está sendo muito bom. Temos bastante empresas do Estado, inclusive de Anchieta, Guarapari e Cachoeiro. Quanto às nossas contratações, até o momento estamos mantendo um nível de 80% de aproveitamento de residentes da área de influência direta da empresa"

ETAPAS

A expectativa do gerente-geral é que a primeira fase da retomada da Samarco injete R$ 80 milhões no mercado capixaba. Inicialmente, a empresa deve operar com apenas 26% da capacidade, ou seja, com uma das quatro usinas em funcionamento.

Segundo o cronograma apresentado por Mileipe, mais uma usina deverá ser religada em 2026, enquanto a retomada total só deverá acontecer em 2030.

Para especialistas, somados empregos diretos e indiretos, a retomada das atividades da mineradora no Estado deve promover 5 mil contratações. "No auge de sua operação, a Samarco representava cerca de 15 mil empregos na região. Esperamos que no retorno ela alcance 5 mil", afirmou o presidente do Fórum Mais Negócios, Durval Vieira.

É o que também esperam os prefeitos da região. "Esse retorno é de grande importância para o Sul do Estado. Há toda uma cadeia envolvida. A Samarco representava entre 5% a 6% do PIB do Estado, imagina o quanto representa para o município. Precisamos que na contratação de mão de obra haja um olhar para os municípios do Sul e principalmente Anchieta", afirmou o prefeito de Anchieta, Fabrício Petri. 

Anchieta Samarco indústria

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.