Fábrica de laticínios no ES que vai criar 120 empregos inicia obras

Empresa mineira confirmou continuidade do investimento de R$ 45 milhões para construção de unidade em Rio Novo do Sul

Publicado em 05/05/2020 às 15h54
Indústria matriz da Laticínios Porto Alegre em Ponte Nova, Minas Gerais
Indústria matriz da Laticínios Porto Alegre em Ponte Nova, Minas Gerais. Crédito: Leo Moreira/Divulgação

A empresa mineira Laticínios Porto Alegre obteve a Licença de Implantação (LI) para construção de uma fábrica de beneficiamento de leite, pasteurização  e produção de leite em pó e queijaria no município de Rio Novo do Sul, na região do Espírito Santo. As obras vão começar na próxima semana, com os trabalhos de terraplanagem da área de instalação, com expectativa de que as atividades de operação tenham início nos próximos 12 meses.

A confirmação do investimento, orçado em aproximadamente R$ 45 milhões, foi feita na manhã desta terça-feira (05) durante videoconferência da diretoria da empresa realizada com o governador Renato Casagrande e representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento (Sedes).

A fábrica deve criar pelo menos 120 empregos diretos durante a operação. Há a expectativa ainda de geração de 100 empregos indiretos com as atividades de produção. Atualmente, a Porto Alegre conta com 440 produtores de leite locais cadastrados, que garantem a captação diária de 100 mil litros do produto. A expectativa é de que esse número seja ampliado para 800 produtores até o ano que vem.

De acordo com o presidente da empresa, João Lúcio Carneiro, será priorizada a mão de obra local. “A divulgação das vagas será realizada pela empresa em momento oportuno, pois queremos evitar aglomerações neste momento. Vamos priorizar a mão de obra local, com aproveitamento de muitos profissionais que já estarão trabalhando nesta fase inicial de implantação da fábrica”, explicou.

Em janeiro de 2019, quando o investimento foi anunciado, A Gazeta mostrou que a decisão da empresa de investir no Estado foi motivada, principalmente, pela redução da alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do leite industrializado no Espírito Santo, o que faz o custo de produção cair. Na época, a previsão de conclusão era até março de 2020.

O governador Casagrande ressaltou a importância do investimento para a economia capixaba, sobretudo neste momento de crise. “Essa reunião virtual consolida a chegada da empresa e, em breve, as obras começam gerando empregos aos capixabas. Nesse momento de pandemia, em que a economia se retrai, é importante termos empreendimentos mostrando que a vida segue e que iremos atravessar esse momento que ninguém imaginou enfrentar”, afirmou.

A unidade capixaba será a responsável por abastecer os mercados do Espírito Santo e Bahia, além de funcionar como um centro de distribuição dos outros itens do catálogo da empresa. A Porto Alegre já tem uma unidade de processamento no Estado, em Dores do Rio Preto, responsável pela captação de 80 mil litros de leite de produtores da região.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.