ASSINE
Coronavírus: uso de máscara é o novo normal no Brasil e no Espírito Santo
Coronavírus: uso de máscara é o novo normal no Brasil e no Espírito Santo. Crédito: Marish/Shitterstock

Entenda as transformações que o coronavírus provocou no mundo

Pandemia tem mexido com a economia, com os empregos, com a política e com a sociedade como um todo. Saiba os impactos que isso tem na sua vida

Publicado em 02/05/2020 às 08h36
Atualizado em 03/05/2020 às 14h46

As mudanças provocadas pelo coronavírus deverão permanecer entre as pessoas por muito tempo. Economia, emprego, política e relações sociais estão entre os aspectos que vão sofrer significativas alterações. De acordo com os especialistas, é importante que os políticos, representantes do setor produtivo, enfim, toda a sociedade comece a se preparar para tais mudanças – que podem representar uma nova ordem mundial.

ECONOMIA ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

O primeiro impacto será a diminuição da renda das pessoas e das empresas. Esta perda está sendo observada ainda durante a pandemia e deverá seguir por mais alguns meses depois que ela passar. As pessoas terão que se reinventar neste momento, buscando novas fontes de renda. Há algumas teorias de que haverá empobrecimento da população mundial, o que fará com que o Estado esteja mais presente para ajudar essas pessoas a sobreviverem.

Também é esperada a redução das exportações de grande parte de produtos que são matérias-primas – petróleo, rochas ornamentais, aço, entre outros – já que as indústrias estão produzindo menos e diminuindo a procura por esses insumos.

Num segundo momento existe a possibilidade de expansão das indústrias nacionais. Isso poderá acontecer para reduzir a dependência de produtos importados – durante a pandemia tem sido observada, por exemplo, a necessidade da vinda de muitos produtos da China.

ATENÇÃO: Imagem cadastrada para a Especial de Economia - Coronavírus tem afetado as finanças de todo o mundo
Coronavírus tem afetado as finanças de todo o mundo. Crédito: Etajoe/Shitterstock

Remodelação do comércio, com empresas voltando suas vendas para o campo virtual. Lojas físicas deverão oferecer mais que o produto – atendimento personalizado, ambiente agradável e oferta de produtos exclusivos podem ser alguns dos diferenciais a serem apresentados.

Turismo de negócios, um dos setores mais impactados, deve seguir em baixa no mundo pós-coronavírus. Empresas perceberam que são mais ágeis e produtivas em conferências virtuais. Viagens que eram feitas apenas para a presença em apenas uma reunião devem ser substituídas pelas conversas digitais e devem ser restringidas apenas para visitas a um parque fabril, por exemplo.

O MERCADO DE TRABALHO TEM CRIADO NOVA ROTINA APÓS A PANDEMIA

O aumento de empregados fazendo home office já tem sido observado e, segundo especialistas, deverá cada vez mais fazer parte da realidade dos trabalhadores e dass empresas.

Coronavírus tem mudado as relações de trabalho: home office veio para ficar
Coronavírus tem mudado as relações de trabalho: home office veio para ficar. Crédito: Alexandra Koch/Pixabay

Possível alteração do sistema de pagamento por hora trabalhada, passando para um sistema de pagamento por produção.

Aumento da tecnologia nas linhas de produção nas empresas. A automação deverá fazer com que diversas atividades, sobretudo nas áreas industriais, passem a ser feitas por robôs e não mais por empregados. Especialistas acreditam que o mundo vai acelerar a adoção desses métodos de produção. Muitos empregos serão extintos mais rápidos do que se previa. Será necessário uma reinvenção dos profissionais para encontrarem espaço nessa nova economia.

Redução das reuniões presenciais que deverão ser substituídas por conferências pela internet com a ajuda de aplicativos e programas que permitem a participação de diversas pessoas simultaneamente. Os encontros serão mais curtos, garantindo mais produtividade às empresas.

AS MUDANÇAS NO CAMPO POLÍTICO

ATENÇÃO: Imagem cadastrada para a Especial de Economia
A forma que o mundo é avaliado mudou com a chegada do novo coronavírus. Crédito: Kritics/Shitterstock

As nações, mesmos as mais liberais, foram obrigadas a reverem seus métodos políticos para socorrerem o sistema de saúde, os trabalhadores e as empresas. No mundo pós-coronavírus, a assistência dos governos tende a permanecer para contribuir para o renascimento da economia e para redução da pobreza e das desigualdades sociais. Há ainda tendência de valorização do sistema público de saúde em todo o mundo, o que deve permanecer na nova era que se inicia.

Estado com maior poder e interferência sobre questões sociais e econômicas para tentar evitar novas crises

Redução da globalização, com países tendo que resolver suas questões de maneiras mais internas – a realidade após o coronavírus poderá facilitar a queda de blocos político-econômicos e a saída de países desses grupos.

Redução do discurso neoliberal, que objetiva reduzir ao máximo a participação do Estado na economia.

COMO O VÍRUS TEM MEXIDO COM AS RELAÇÕES SOCIAIS

No período pós-isolamento as pessoas deverão utilizar ainda mais os meios virtuais de comunicação. Por outro lado, isso deverá fazer com que as pessoas valorizem os encontros físicos com pequenos grupos de amigos.

No mundo pós-coronavírus, tendência é que o distanciamento social continue existindo embora as pessoas passem a valorizar mais os contatos pessoais
No mundo pós-coronavírus, tendência é que o distanciamento social continue existindo embora as pessoas passem a valorizar mais os contatos pessoais. Crédito: Gerd Altmann/Pixabay

Aumento da preocupação com a higiene. O álcool em gel e as máscaras deverão passar a ser mais utilizados pela população, assim como outras medidas que reduzem o risco de contaminação pelas doenças.

Poderá surgir um medo de contágio de diversas doenças, fazendo com que seja observada uma insegurança social com relação à saúde. A pessoa que pode transmitir uma doença poderá ser tão mal vista quanto quem pode cometer um ato de violência, por exemplo.

Retomada de uma rede de solidariedade e maior contato entre vizinhos – fato que já tem sido observado agora, com pessoas se colocando à disposição para auxiliar quem mora perto e não pode se locomover.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.