ASSINE
Uso de máscaras pode se tornar mais comum na sociedade pós-coronavírus
Uso de máscaras pode se tornar mais comum na sociedade pós-coronavírus. Crédito: Carlos Alberto Silva

Distanciamento social será o "novo normal" no pós-coronavírus

Apesar de se manterem mais afastadas, as pessoas vão passar a valorizar os encontros presenciais que ficarão mais raros. Socióloga aponta que medo de contrair doenças deve mudar comportamento da sociedade

Publicado em 02/05/2020 às 19h48
Atualizado em 03/05/2020 às 14h47

Antes do coronavírus as pessoas acordavam, se arrumavam, saíam para o trabalho, depois iam se divertir com os amigos ou davam sequência aos estudos. Quando voltavam para casa já era tarde da noite. Agora, com exceção de quem tem a necessidade de ir às ruas, as pessoas passam o dia inteiro em casa – algumas vezes sem ver ninguém de fora do ciclo familiar.

O coronavírus trouxe transformações e muitas devem permanecer após a pandemia, como mostra a série de reportagem sobre essa "nova ordem mundial" instalada no combate ao novo inimigo da humanidade. As políticas econômicas, as relações de trabalho, o formato de gerenciar as nações são alterações vistas como o "novo normal".

Esse novo comportamento também vai ser refletido no dia a dia ao ter contatos pessoais. Se por um lado é provável que se aumentem as relações virtuais, por outro, os encontros presenciais devem ser valorizados porque ficarão mais raros. Quem explica essa aparentemente conflitante ligação entre os dois pontos é a socióloga e professora da Universidade de Brasília Christiane Machado Coêlho.

Christiane Machado Coêlho

Socióloga e professora da Universidade de Brasília

"A gente já vinha com um número de contatos virtuais muito grande e isso pode aumentar ainda mais depois do coronavírus. Por outro lado, os momentos de contato pessoal, justamente por ficarem mais raros, devem ser mais valorizados pelas pessoas"

Coronavírus: Precisou ir à rua? Veja o que fazer ao voltar para casa

Ilustração de Amarildo - toalha
TOALHAS DE ROSTO E PANO DE PRATO - Quando há mais de um morador de casa, especialistas recomendam que cada um use sua própria toalha de rosto, assim como deveria acontecer com a tolha de banho. . Amarildo
Ilustração de Amarildo - alimentos
ALIMENTOS - Alimentos comprados nas feiras ou nos supermercados também devem ser higienizados. Por terem sido manipulados diversas vezes até chegarem à mão e à mesa do consumidor, a dica do doutor em ciência dos alimentos, Rodrigo Scherer, é que frutas e verduras sejam limpas com água e sabão e ainda submetidas a uma imersão composta por água potável e água sanitária. . Amarildo
Ilustração de Amarildo - alcool gel
MAÇANETAS E PUXADORES DE ARMÁRIOS  - Ao chegar casa, tire os sapatos, adereços, celulares, chaves e mochila. Se possível, tire as roupas e coloque em uma sacola plástica ou cesta de roupas (com demais roupas usadas para sair). O segundo passo é higienizar as mãos. Depois, limpar as maçanetas externas e externas com álcool 70º ou desinfetante. Se você teve de tocar em algum puxador, esse item também precisa ser limpo. Amarildo
Ilustração de Amarildo - chave - anel
ADEREÇOS E CHAVES - Adereços como joias e chaves podem ser limpos com desinfetante ou com álcool 70%. . Amarildo
Ilustração de Amarildo - sapato
SAPATOS E PISOS - A limpeza dos sapatos e dos pisos - porcelanato, cerâmica, madeira - deve ser feita de acordo com o que recomenda o fabricante do produto. O infectologista Wladimir Queiroz destaca que álcool, água e sabão ou desinfetante são eficientes na limpeza e eliminação do vírus da superfície que pode estar contaminada. . Amarildo
Ilustração de Amarildo - camisa
ROUPAS - Os especialistas recomendam que a roupa usada na rua seja imediatamente trocada por outra limpa, quando for permanecer em casa. Ao retornar da rua, as peças devem ser encaminhadas para a área destinada. . Amarildo
Ilustração de Amarildo - maçaneta
MAÇANETAS E PUXADORES DE ARMÁRIOS  - Ao chegar casa, tire os sapatos, adereços, celulares, chaves e mochila. Se possível, tire as roupas e coloque em uma sacola plástica ou cesta de roupas (com demais roupas usadas para sair). O segundo passo é higienizar as mãos. Depois, limpar as maçanetas externas e externas com álcool 70º ou desinfetante. Se você teve de tocar em algum puxador, esse item também precisa ser limpo. Amarildo
Ilustração de Amarildo - bolsa - mohila
BOLSAS E MOCHILAS - Esses recipientes podem ser higienizados com álcool 70% líquido ou em gel. Com papel toalha ou um pano, aplique o produto em uma pequena superfície para verificar se o objeto não será danificado. Se não, aplique a quantidade deseja. Amarildo
Ilustração de Amarildo - celular
CELULAR - Celular e tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região esbranquiçada. . Amarildo
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.
CELULAR - Celular e
tablet podem ser limpas com álcool isopropilico. Aplique uma pequena quantidade
na toalha descartável ou pano e limpe a tela. Nas partes de plástico, a
recomendação é usar um pano com desinfetante. O álcool pode deixar essa região
esbranquiçada.

“Claro que tudo vai depender de quanto tempo durar o isolamento, mas imaginamos que o contato pessoal seja valorizado. Estamos muito dependentes das tecnologias e a tendência é que passado isso tudo as pessoas voltem a dar mais importância ao ‘olho no olho’”, acrescenta a professora.

Um risco, no entanto, é que a sociedade passe a apresentar um medo de contágio – não só pelo coronavírus, mas também por outras doenças. “É importante que esse período de isolamento social não se transforme em isolamento existencial. Percebemos em nossa sociedade o aumento da insegurança social, mas não podemos ver os outros como uma ameaça”, destaca.

Coêlho também lembra que outra mudança na sociedade pode ser com relação ao estilo de vida das pessoas.” Em vários locais estamos vendo as pessoas fazendo hortas domésticas. As cidades estão esvaziadas. Será que não é o momento de rever o modelo que foi escolhido há tanto tempo e repensar o que queremos para o futuro? É bem provável que sim”, avalia.

Também professor universitário, Rafael Simões, doutorando no Programa de História Social das Relações Políticas, pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), ressalta que um ponto positivo dessa crise é o aumento da solidariedade – sobretudo entre vizinhos.

“Temos visto várias pessoas se oferecendo para ir ao mercado, para a farmácia para outras pessoas que não têm condições de sair de casa. Também observamos alguns artistas fazendo apresentações gratuitas. Outros ainda distribuindo marmitas a quem precisa. E esses são pequenos exemplos dessa saudável retomada da solidariedade”, aponta o professor da UVV.

A infectologista Rúbia Miossi espera que este período crítico ajude a conscientizar as pessoas com relação à higiene, uso de máscaras e outras ações que contribuem para a saúde.

“Torço para que as pessoas lavem mais as mãos. É o básico. Torço para que elas não entrem em casa com os calçados, que tirem a roupa que chegou da rua. É isso que espero”, avalia.

Coronavírus deixa mundo em alerta

Trabalhadores vestindo roupas de proteção pulverizam desinfetante como precaução contra o coronavírus em uma garagem de ônibus em Seul, na Coreia   do Sul
Trabalhadores vestindo roupas de proteção pulverizam desinfetante como precaução contra o coronavírus em uma garagem de ônibus em Seul, na Coreia do Sul. AHN YOUNG-JOON / AP
Um oficial mede a temperatura dos passageiros estrangeiros desembarcados do navio de cruzeiro Diamond Princess antes do embarque em um ônibus no  Porto de Yokohama, perto de Tóquio.
Um oficial mede a temperatura dos passageiros estrangeiros desembarcados do navio de cruzeiro Diamond Princess antes do embarque em um ônibus no Porto de Yokohama, perto de Tóquio. EUGENE HOSHIKO / AP / ESTADÃO CONTEÚDO
Turistas usam máscaras de proteção na cidade de Veneza, na Itália, onde o tradicional evento de carnaval foi cancelado devido ao surto do novo coronavírus
Turistas usam máscaras de proteção na cidade de Veneza, na Itália, onde o tradicional evento de carnaval foi cancelado devido ao surto do novo coronavírus. RENATA BRITO / AP / ESTADÃO CONTEÚDO
Vista do H10 Adeje Palace, hotel localizado nas Ilhas Canárias, na Espanha, que foi colocado em quarentena após um médico italiano hospedado no local ter sido testado positivamente para o coronavírus
Vista do H10 Adeje Palace, hotel localizado nas Ilhas Canárias, na Espanha, que foi colocado em quarentena após um médico italiano hospedado no local ter sido testado positivamente para o coronavírus. ASSOCIATED PRESS / ESTADÃO CONTEÚDO
Pedestres usam máscaras de proteção nas ruas da cidade de Hong Kong, território chinês semiautônomo, nesta quarta-feira, 26. A China informou que foram registrados novos 406 casos e 52 mortes decorrentes de infecção pelo coronavírus
Pedestres usam máscaras de proteção nas ruas da cidade de Hong Kong, território chinês semiautônomo, nesta quarta-feira, 26. A China informou que foram registrados novos 406 casos e 52 mortes decorrentes de infecção pelo coronavírus. VINCENT YU / AP / ESTADÃO CONTEÚDO
Trabalhadores desinfetam trens do metrô como parte de uma ação de combate   ao surto do coronavírus em Teerã, no Irã
Trabalhadores desinfetam trens do metrô como parte de uma ação de combate ao surto do coronavírus em Teerã, no Irã. Sajjad Safai/Agência Estado
Tripulantes de voos usam roupa especial de proteção contra o coronavírus
Tripulantes de voos usam roupa especial de proteção contra o coronavírus. Divulgação
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus . Pedro Ladeira/Folhapress
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa para falar sobre as medidas tomadas pelo governo em relação ao coronavírus

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.