ASSINE

Aplicativos ajudam consumidor a procurar o menor preço dos alimentos

No Espírito Santo, o app mais completo é o Menor Preço Brasil, que reúne dados da Secretaria de Estado da Fazenda. Saiba como usar para economizar nas compras

Publicado em 11/09/2020 às 12h07
Atualizado em 11/09/2020 às 20h42
Aplicativo Menor Preço Brasil permite pesquisar os preços dos alimentos sem sair de casa. Crédito: Natalia Bourguignon
Aplicativo Menor Preço Brasil permite pesquisar os preços dos alimentos sem sair de casa. Crédito: Natalia Bourguignon

Com o pacote de 5 kg de arroz beirando os R$ 30 e o quilo do queijo minas ultrapassando o do filé mignon, a pesquisa de preços nunca foi tão importante. Porém, em tempos de pandemia, sair por aí rodando estabelecimentos à procura dos melhores valores pode não ser uma boa escolha.

Para evitar deslocamentos, alguns aplicativos permitem que o consumidor pesquise de casa por quanto os produtos da lista de compra estão sendo vendidos em cada estabelecimento.

No Espírito Santo, o aplicativo mais completo é o Menor Preço Brasil. Isso porque ele reúne dados oficiais de todas as notas fiscais emitidas pelos supermercados, que são obrigatoriamente enviadas à Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz).

"Todas as notas fiscais ao consumidor que são emitidas pelas empesas ficam registradas na base da Sefaz e o aplicativo processa essas notas para auxiliar o cidadão na pesquisa de preços", explica o secretário da Sefaz, Rogelio Pegoretti.

O serviço de processamento dos dados é fornecido pelo governo do Rio Grande do Sul e não tem custo para o Estado. É possível pesquisar por data da emissão da nota, por geolocalização e distância. A atualização, com as novas notas fiscais, é feita a cada hora.

O app ainda permite pesquisar preços de combustíveis e há uma área reservada aos itens de prevenção contra a Covid-19, como máscaras e álcool em gel.

O Menor Preço Brasil é gratuito e está disponível para celulares Android e iOS. Veja abaixo tutorial de como utilizá-lo:

"Esse aplicativo é mais um exemplo entre tantos, das vantagens de exigir a nota fiscal. Somente quando há emissão da nota fiscal dá para pesquisar o preço dos produtos. Quando todos nós exigirmos a nota, todos teremos acesso às informações e a ferramenta fica ainda melhor", ressaltou o secretário. 

OUTRA OPÇÃO

Outro aplicativo que funciona relativamente bem para os moradores da Grande Vitória é o Pinngo. Diferente do anterior, ele não processa as notas fiscais diretamente geradas pelos estabelecimentos e, portanto, depende que os usuários fotografem o documento para que o valor seja incluído na base de dados do app. 

Dessa forma, quanto mais pessoas utilizam o recurso, mais completa e precisa fica a pesquisa de preços. O Pinngo também é gratuito e está disponível na AppStore da Apple e na PlayStore do Google.

Ele também conta com geolocalização, mostrando as ofertas não só por ordem de peço, mas aquelas que estão mais próximas do cliente. Além disso, ele permite que o usuário faça uma lista de compras e veja onde cada encontrar o menor preço de cada produto da lista.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Sefaz Inflação Supermercados

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.