4 funcionários de navio em estaleiro no ES foram contaminados por Covid-19

Trabalhadores de outros navios que também se encontram no estaleiro estão preocupados com o risco de contaminação

Publicado em 27/04/2020 às 14h21
Atualizado em 27/04/2020 às 16h32
Estaleiro Jurong, em Aracruz
Estaleiro Jurong, em Aracruz, onde embarcação passa por reparos, registrou casos em navio. Crédito: Divulgação/ Governo do ES

Quatro tripulantes de um navio que passa por reparos no Estaleiro Jurong Aracruz (EJA), no Norte do Espírito Santo, foram infectados pelo novo coronavírus. Os resultados positivos para a Covid-19 foram confirmados entre os dias 16 e 20 de abril. Agora, os funcionários encontram-se em quarentena em suas casas. As informações são da TV Gazeta.

Segundo informou o estaleiro, os tripulantes trabalham e foram infectados no navio SS Vitória, que pertence à empresa Lantz Services Inc. No entanto, nenhum dos quatro doentes mora do Espírito Santo. Eles são de Macaé e Campos de Goytacazes, no Rio de Janeiro; de Aracaju, em Sergipe; e de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

O EJA assegurou que todos encontram-se em bom estado de saúde. "Os tripulantes estão em boas condições de saúde no momento e receberam tratamento médico, inicialmente, no Hospital São Camilo. Eles, atualmente, estão em isolamento domiciliar em suas respectivas cidades", afirmou a empresa em nota.

Tanto o estaleiro quanto a empresa responsável pela embarcação onde estavam os tripulantes infectados informaram que estão seguindo o protocolo de cuidados para evitar a transmissão do vírus no local, incluindo o uso de máscaras, o distanciamento social, a checagem de temperatura corporal e a limpeza das instalações.

"Como medida preventiva, todos os tripulantes que tiveram contato com as pessoas infectadas foram desembarcados. Atualmente, eles se encontram em isolamento domiciliar ou no hotel por 14 dias", pontuou a empresa em nota.

O navio continua atracado no estaleiro e deve deixar Aracruz nos próximos dias. A Lantz Services está realizando procedimentos de sanitização e desinfecção das áreas afetadas a bordo da embarcação. Já a Jurong reforçou que foi registrado nenhum caso de infecção por coronavírus entre seus funcionários.

O Ministério Público do Trabalho no Espírito Santo (MPT-ES) informou que abriu procedimento para investigar o caso e que ele foi distribuído a um membro da Procuradoria do Trabalho de Colatina.

TRABALHADORES TEMEM CONTAMINAÇÃO

Após o caso, trabalhadores que estão no estaleiro têm medo da contaminação. É o que diz um funcionário do navio Carolina, que está atracado ao lado da embarcação onde estavam os infectados.

O trabalhador, que prefere não se identificar, conta que para deixar o estaleiro, os funcionários do navio SS Vitória têm que passar por dentro do Carolina.

Segundo o trabalhador, há cerca de 10 dias, 30 dos 160 trabalhadores do navio SS Vitória desembarcaram com sintomas do coronavírus e alguns tiveram que ser carregados. "Eles estavam sem forças", lembra o funcionário.

Embora tenha acesso aos equipamentos de proteção individual, o funcionário se preocupa com o contato direto com os trabalhadores do navio onde estavam os doentes.

"Todos estão apreensivos e preocupados. As pessoas vêm passando a mão no corrimão, sem máscara. A gente gostaria de desvincular essa passagem do navio Vitória para o Carolina", disse.

Outro motivo de preocupação é quanto aos funcionários que não estão embarcados e, portanto, entram e saem do estaleiro todos os dias.

"A gente não sabe quem vem, onde estavam", pontuou ele, que acredita que deve haver uma quarentena rigorosa para trabalhadores que chegam e saem do estaleiro.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.