ASSINE

Vitória institui tempo integral na educação infantil e amplia oferta para 2022

Alunos das creches e das escolas de ensino fundamental serão contemplados com a medida, que será estendida e ampliada no próximo ano

Vitória
Publicado em 29/09/2021 às 22h10
Vitória adota modelo de revezamento diário nas escolas
A rede municipal de Vitória terá mais vagas em escolas de tempo integral. Crédito: Jansen Lube/PMV

Após a sanção da lei que regulamenta o tempo integral nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) nesta quarta-feira (29), a Prefeitura de Vitória anunciou o aumento no número de vagas com jornada estendida para três unidades de ensino. Além disso, a oferta será ampliada em 2022 e levada também para as Escolas de Ensino Fundamental (Emefs). 

Atualmente, apenas o Cmei Aécio Bispo, em Jaburu, tem 100% das matrículas em tempo integral, com jornada de 9 horas. Com a oferta agora regulamentada na educação infantil, os centros Dom João Batista da Motta e Albuquerque, na Praia do Suá; Robson José Nassur Peixoto, no Forte São João; e Silvanete da Silva Rosa Rocha, em Comdusa, também serão contemplados. Juntas, essas três unidades atendem 442 crianças.

No início, esses centros têm que oferecer, no mínimo, 60% das matrículas em tempo integral e terão um prazo de dois anos para que todos os alunos sejam beneficiados com a modalidade de ensino.

A extensão da jornada já aconteceu no início do ano, porém agora será possível adotar outras medidas. 

A secretária municipal da Educação, Juliana Rohsner, destacou que, mais que ampliar o tempo das crianças na escola, a proposta é oferecer uma metodologia educacional diferenciada para desenvolvimento dos alunos em sua integralidade.  "Temos um projeto pedagógico mais efetivo, mais significativo."

Juliana explicou que, embora Vitória já tivesse um Cmei em tempo integral, a regulamentação é importante porque, até então, a organização da escola funcionava como se houvesse dois turnos e impedia, por exemplo, a contratação de professores em jornada de 40 horas. As crianças, assim, tinham um educador diferente em cada turno, o que se refletia no processo de ensino-aprendizagem. Além disso, com a legislação, é possível implementar atividades eletivas e outros recursos previstos no tempo integral. 

NO PRÓXIMO ANO

Para 2022, mais um Cmei passará a ter o tempo integral e outras duas Emefs (hoje são 3), totalizando 10 unidades municipais nessa modalidade. Juliana disse que, no planejamento estratégico da secretaria, a perspectiva é ter 30 escolas de tempo integral até o final da gestão, em 2024.  A ampliação, segundo a secretária, será possível com a reorganização da oferta já existente e também a construção de novas unidades. 

O mapeamento para a oferta leva em consideração a demanda da comunidade e também pretende promover a equidade entre os alunos da rede municipal. Juliana disse que a proposta é eliminar diferenças que são observadas em avaliações realizadas com estudantes de diferentes territórios, oferecendo novas possibilidades para as crianças e adolescentes terem melhor desempenho. 

"Estamos investindo na primeira infância, pois são essas crianças que vão fazer a nossa sociedade no futuro, e também na equidade porque Vitória é muito desigual nessa área. Enquanto os alunos da parte continental (Jardim da Penha, Jardim Camburi) têm resultados lá em cima, os de regiões como Sâo Pedro não têm o mesmo desempenho. Precisamos trazer equidade para o município", finalizou. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Educação Prefeitura de Vitória Vitória (ES) Educação Escolas Públicas

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.