ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:

Sem vacina, 73% dos pais não enviariam os filhos para escola em Colatina

10.717 famílias responderam ao questionário da prefeitura sobre volta às aulas e atividades feitas em casa durante a pandemia do novo coronavírus

Publicado em 10/09/2020 às 20h17
Fachada da Prefeitura de Colatina
Prefeitura de Colatina. Crédito: Larissa Avilez/ A Gazeta 

Um levantamento sobre a retomada das aulas presenciais na rede municipal de Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, aponta que 73% dos pais e responsáveis se recusariam a enviar os filhos para a escola, caso as atividades presenciais fossem retomadas antes do desenvolvimento de uma vacina para o novo coronavírus.

Na pergunta “Caso seja autorizado pelo Governo do Estado o retorno às aulas presenciais na escola, sem vacina, você enviaria seu filho?” um total de 73,1% dos entrevistados responderam que não enviariam; 13,6% disseram que mandariam os filhos e 13,3% não souberam opinar.

Mais de 70% dos pais se recusariam a enviar filhos para escola em Colatina
Mais de 70% dos pais se recusariam a enviar filhos para escola em Colatina . Crédito: Prefeitura de Colatina/Reprodução

A pesquisa também quis saber a opinião dos pais e responsáveis com relação ao retorno presencial feito por meio de  alternância de grupos de estudantes, no seguinte modelo: uma semana na escola e uma semana em casa. Nesse cenário, 64,7% dos entrevistados disseram que mesmo assim não levariam os filhos para a escola; 21,2% afirmaram que levariam e 14,1% não souberam opinar.

De acordo com a Prefeitura de Colatina, a pesquisa foi encaminhada para as famílias dos 15.200 estudantes da educação municipal. O levantamento abrangeu todos os níveis da rede: ensino infantil, ensino fundamental e ensino no campo. No total, 10.717 famílias responderam ao questionário com perguntas sobre a volta às aulas e sobre as atividades que são feitas em casa. A pesquisa foi feita, entre os dias 24 de agosto e 3 de setembro e os resultados foram divulgados nesta quarta-feira (9).

O levantamento ainda questionou o que impediria os pais e responsáveis de enviar o estudante para a escola. Para esse questionamento, 30,2% dos entrevistados disseram que é o receio de contaminação do aluno dentro da escola; 16,8% dos entrevistados afirmaram que moram com pessoas do grupo de risco da Covid-19; 11.% dos entrevistados alegaram que têm receio de contaminação no trajeto do estudante para a escola e no transporte; 6,6% dos entrevistados disseram que não mandariam os filhos em função de todas as alternativas anteriores; e 8,5% dos entrevistados disseram que nada os impediria de levar o estudante para a escola.

O QUE DIZ A PREFEITURA?

Procurada, a Prefeitura de Colatina afirmou que a pesquisa foi importante para apontar os anseios das famílias dos estudantes e que vai encaminhar os resultados para o Governo do Estado. A administração municipal destacou ainda que espera as determinações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) para elaborar um protocolo específico para uma possível retomada das atividades. Esse documento servirá para orientar o retorno seguro, quando for autorizado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.