ASSINE

Seis cidades do ES têm média maior de assassinatos que o país; veja quais são

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (15) na 15ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 15/07/2021 às 20h47
Assassinato de um jovem em Linhares: de janeiro a setembro, 36 vítimas tinham 18 anos
Cena de assassinato em Linhares, no Norte do Estado. Crédito: Luiz Zardini/TV Gazeta Norte

A 15ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública nesta quinta-feira (15), aponta que seis cidades do Espírito Santo registraram taxas de mortes violentas intencionais superiores à média nacional.

De acordo com o anuário, os municípios de CariacicaLinhares, SerraGuarapariVila Velha e São Mateus compõem a lista das cidades com média superior ao índice nacional, que é de 23,6.

A categoria Mortes Violentas Intencionais (MVI) corresponde à soma das vítimas de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de intervenções policiais em serviço e fora.

O subsecretário de Estado de Integração Institucional da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), Guilherme Pacífico, disse que embora estejam acima da média nacional, os seis municípios também apresentam redução de índices, de acordo com a série histórica de indicativos registrada no Espírito Santo.

"Esses municípios citados no anuário são áreas de crescimento urbano que atraem pessoas de diversos locais, regiões que estão vivendo esse momento atual migratório. É um movimento natural que os serviços públicos devem acompanhar, não somente a segurança pública, mas emprego e renda, moradia, educação e saúde. Eles ainda são locais que requerem uma atenção focalizada da segurança pública para redução desses homicídios, principalmente Linhares e São Mateus", pontua Pacífico.

Na avaliação do mestre e  professor em Ciência Política e cientista social, Deivison Souza da Cruz, o que se deve chamar atenção nessas cidades é sobre a formação de "territórios marcados pela concentração de desvantagens estruturais como educação, saúde, emprego e infraestrutura urbana, marcando o processo de socialização ao longo das gerações, afetando diferentes faixas etárias. Há uma criminalidade que envolve o processo de formação das cidades (migração rural-urbano, formação dos bairros, etc), sobretudo na região metropolitana e nas cidades médias do interior do Estado", analisou.

CONTEXTO NACIONAL

Segundo a pesquisa, no contexto local, o Brasil tem 138 municípios com população igual ou superior a 100 mil habitantes com taxas de MVI acima da média nacional. Somados, eles respondem por 37,3% de todas as Mortes Violentas Intencionais do país.

"Significa dizer que, proporcionalmente, os 138 municípios citados têm muito mais peso do que os outros 5.432 municípios brasileiros na determinação das tendências das MVI. Portanto, qualquer programa de focalização que se pretenda eficaz no enfrentamento do problema precisa prestar atenção para essa desigual distribuição geográfica", pondera o documento.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.