ASSINE

Quase 4 mil famílias moram em áreas de risco em Cachoeiro

Defesa Civil Municipal monitora essas regiões e pede que moradores entrem em contato com o órgão para agendar vistoria do imóvel. Para os próximos dias, expectativa é de chuva

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 06/12/2021 às 17h02

Um monitoramento da Defesa Civil de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, aponta que 3.913 famílias moram em áreas de risco no município. Somente no bairro Zumbi, um total de 384 residências estão nessas regiões onde podem ocorrer deslizamentos, de acordo com apuração da reportagem da TV Gazeta Sul.

Considerando o alerta de chuvas e ventos  do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para os 78 municípios capixabas, quem reside nesses locais deve ficar atento. Morador do bairro Zumbi, o aposentado Anailton Martins sabe bem o que é viver com medo de deslizamentos de terras e de  pedras.

Anailton Martins

Aposentado, morador do bairro Zumbi

"Quando chove, nem de casa estamos saindo porque corremos risco. O medo é sair e encontrar a casa caída no chão ao retornar"

Segundo Carlos Miranda, coordenador da Defesa Civil de Cachoeiro de Itapemirim, o bairro Zumbi é um dos que apresentam maior concentração de pessoas vivendo em área de risco. “É uma região com movimentação de massa e com rolamento de rochas. Já o segundo bairro mais afetado é o Boa Vista”, disse.

Quase 4 mil famílias moram em áreas de risco monitoradas pela Defesa Civil em Cachoeiro
Ao todo, 3.913 famílias estão morando em áreas de risco em Cachoeiro de Itapemirim. Crédito: Reprodução/ TV Gazeta Sul

Com objetivo de conter os deslizamentos de terra em áreas de risco, a Prefeitura de Cachoeiro iniciou um processo de licitação para contratar uma empresa especializada em aplicar gel composto de PVC nessas regiões. Trata-se de um material — bastante utilizado nas construções — que impermeabiliza o solo e evita o processo de erosão. A princípio, os trabalhos serão feitos em seis áreas de risco.

Este vídeo pode te interessar

"A colocação desse produto faz um capeamento na encosta e também tira toda a água por meio de um sistema de drenagem", explicou Miranda.

Outra região que preocupa no município é o distrito de Pacotuba. No mês passado, o rio Itapemirim subiu 2,3 metros, transbordando e alagando cinco ruas do local. Diante da situação, a Defesa Civil está em alerta para a chegada de chuvas ainda mais fortes. “Contamos também com a ajuda da população, pedidos que os moradores entrem em contato pelo número 199, agendando uma vistoria”, finalizou o coordenador da Defesa Civil de Cachoeiro.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.