ASSINE

Projeto de duplicação da BR 101 será reavaliado após queixas de moradores de Rio Novo do Sul

Reunião entre moradores e concessionária responsável pela duplicação foi realizada na sexta-feira (2). Em nota, a Eco101 informou que vai reavaliar o retorno após a praça de pedágio

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 07/07/2021 às 10h35
Rio Novo do Sul: projeto de duplicação da BR 101 será reavaliado após queixas de moradores
Projeto de duplicação da BR 101 será reavaliado após queixas de moradores de Rio Novo do Sul. Crédito: Internauta

Moradores de Rio Novo do Sul, na Região Sul do Espírito Santo, estão preocupados com o futuro da cidade após a execução do projeto de duplicação da BR 101, que corta o município. Isso porque, segundo eles, a cidade ficaria dividida, dificultando o acesso de um lado ao outro da rodovia.

O projeto, que foi apresentado por um representante da Eco101 na última sexta-feira (2), em uma reunião no município, prevê um retorno após o pedágio. Se continuar dessa forma, os motoristas que querem seguir a direção norte da rodovia terão que pagar a tarifa duas vezes. Após a reunião, a Eco101, concessionária responsável pela duplicação, informou que o projeto será reavaliado. 

A reunião agendada pelo prefeito de Rio Novo do Sul, Nei Castelari (PP), foi realizada para convidados com a participação de moradores, empresários e autoridades políticas.

REIVINDICAÇÕES DA PREFEITURA 

“Até então, ninguém tinha tido acesso a esse projeto, por isso eu pedi essa reunião com a Eco. Nós pedimos algumas alterações, como a construção de passarelas na sede e na comunidade de Capim Angola, que é uma comunidade grande e é dividida pela rodovia igual à cidade. Também sugerimos um túnel para carros atravessarem a BR, onde já existe um túnel para pedestre. E o nosso principal pedido é mudar o local do retorno, para antes do pedágio”, explicou o prefeito.

Reunião entre moradores e concessionária responsável pela duplicação foi realizada nesta sexta-feira (2). Em nota, a Eco101 informou que vai reavaliar o retorno após a praça de pedágio
BR 101 em Rio Novo do Sul. Crédito: Gustavo Ribeiro/TV Gazeta Sul

O QUE OS MORADORES PEDEM

Os moradores temem que a cidade fique dividida após a concretização da duplicação, já que a travessia da BR 101 será dificultada, caso não tenha passarela e o retorno seja após a praça de pedágio, que fica próximo à localidade do Frade, em Itapemirim.

“Isso vai partir a cidade no meio. Podemos dizer que se isso acontecer, o crescimento da cidade vai acabar e ainda pode gerar infrações de trânsito, porque muitos podem tentar criar atalhos. Além disso, tudo pode ficar mais caro, como passagem de ônibus e entrega de compras”, explicou o morador Sandro Nunes.

O empresário Áureo Mameri, que é proprietário de uma empresa de mármore e granito às margens da BR 101, também participou da reunião e contou que a localização do contorno surpreendeu a todos.

“A reunião foi boa para a gente conhecer o projeto, mas o retorno surpreendeu muito. Isso é inaceitável. Imagina todo rionovense que for para as praias, para Iconha ou Vitória, ter que descer a rodovia, pagar o pedágio, fazer o retorno e pagar o pedágio novamente para seguir sentido Norte”, falou.

Para o advogado e morador de Rio Novo do Sul, Alexandro de Souza, o projeto foi elaborado sem levar em consideração a rotina e as necessidades dos moradores.

“A sensação é que eles não estão sensibilizados com Rio Novo. A cidade vai ser muito prejudicada se o projeto for elaborado dessa forma. A conta vai acabar ficando mais cara para o consumidor. Não tem nem passarela prevista para cá, ou seja, como vamos atravessar? Vale a pena lembrar que essa semana morreu uma pessoa atropelada aqui na BR”, disse.

EMPRESAS DO OUTRO LADO DA PISTA

Áureo Mameri lembrou também que as três maiores empresas de mármore e granito de Rio Novo do Sul estão do lado oposto da cidade e todos os funcionários atravessam a rodovia diariamente, inclusive nos horários de almoço. Rotina, que ficaria afetada caso não tivesse um local adequado para a travessia da BR.

"Essas três empresas que ficam do outro lado da BR têm muitos funcionários que atravessam a rodovia, e aqueles que almoçam em casa, por exemplo, teriam que pagar dois pedágios só para almoçar em casa. Isso precisa ser revisto", argumenta o empresário. 

Ainda segundo o prefeito, ele está pleiteando uma reunião com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para discutir o projeto e buscar as mudanças que a população julga ser necessária. "Nós queremos discutir o assunto com o Dnit também, para que algumas mudanças sejam autorizadas", afirmou.

De acordo com os moradores que participaram da reunião, ainda não há um prazo determinado para início das obras, a previsão é que caso a duplicação na Região Norte continue paralisada, os trabalhos em Rio Novo do Sul possam começar a partir do segundo semestre do ano de 2022.

O QUE DIZ A ECO101

Reunião entre moradores e concessionária responsável pela duplicação foi realizada nesta sexta-feira (2). Em nota, a Eco101 informou que vai reavaliar o retorno após a praça de pedágio
BR 101 em Rio Novo do Sul. Crédito: Gustavo Ribeiro/TV Gazeta Sul

Por meio de nota, a Eco101 informou que nos projetos de duplicação a distância máxima entre retornos na rodovia é de 5 quilômetros. "O projeto de duplicação do trecho da rodovia em Rio Novo do Sul ainda se encontra em revisão e está sendo debatido junto à comunidade local".

A concessionária disse ainda que diante da argumentação dos munícipes de Rio Novo do Sul, será reavaliado o retorno ora locado após a praça de pedágio, de modo que os moradores que têm como destino à capital Vitória não precisem passar compulsoriamente pela praça.

Sobre as passarelas, a Eco101 afirmou que, como o projeto ainda não está finalizado, não é possível informar se serão instaladas e quais seriam as localizações. O prazo para execução das obras também não divulgado.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.