ASSINE

Professores poderão realizar atendimento individual em cidades no risco alto

A flexibilização começa a valer em 39 municípios do Espírito Santo a partir da próxima segunda-feira (19)

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 16/04/2021 às 20h23
Escolas da rede municipal preparam volta às aulas
Escolas tiveras as aulas presenciais suspensas há duas semanas. Crédito: Prefeitura de Linhares/Felipe Reis

O mapa de risco do Espírito Santo que começa a valer na próxima segunda-feira (19) terá uma flexibilização nas medidas restritivas na área da educação. Os professores poderão dar atendimentos individuais aos alunos nas cidades classificadas em risco alto para a transmissão do coronavírus.

O anúncio foi feito pelo governador Renato Casagrande durante um pronunciamento on-line, na noite desta sexta-feira (16). "O atendimento individual presencial será permitido, um aluno, com hora marcada. Já no risco moderado, as atividades poderão ser presenciais e remotas", explicou. 

Na classificação de risco alto há 39 cidades capixabas, e outras 9 no risco moderado.  No risco extremo, onde as medidas são mais restritivas, as atividades escolares continuam sendo apenas no modelo remoto. Ao todo, são 30 municípios nesta classificação, incluindo aqui a Grande Vitória.

Mapa de risco: comparativo semanal do dia 18/4
Mapa de risco: comparativo semanal do dia 18/4. Crédito: Divulgação/Governo do ES

VACINAÇÃO

A vacinação contra a Covid-19 dos trabalhadores da Educação que atuam no Espírito Santo foi iniciada nesta quinta-feira (15) em um ato simbólico realizado no Palácio Anchieta, em Vitória. Durante a solenidade, seis professores receberam o imunizante.

A antecipação deste grupo acontecerá com a utilização de doses da reserva técnica encaminhadas pelo Ministério da Saúde. O governo do Estado reforça que, devido ao quantitativo, será feito escalonamento quanto à idade e à categoria, seguindo diretrizes definidos pelos municípios e Estado por meio da Resolução da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) nº 046/2021.

Os grupos serão atendidos a partir da faixa etária correspondente, seja da rede pública ou privada de ensino. A ordem é:

  • 50 a 59 anos
  • 40 a 49 anos
  • 30 a 39 anos
  • 18 a 29 anos
A primeira professora a ser vacinada, Débora Cristina Marques de Moraes, de 50 anos
A primeira professora a ser vacinada, Débora Cristina Marques de Moraes, de 50 anos. Crédito: Hélio Filho | Secom ES

Os professores da educação básica que estão em regência de sala de aula, ou seja, na ativa, serão os primeiros contemplados com a dose do imunizante. De acordo com o secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, o Estado conta com aproximadamente 42 mil professores da educação básica. Na faixa etária de 50 a 59 anos, são 7.680 profissionais.

A Secretaria de Estado da Educação (Sedu) vai coordenar um comitê interinstitucional formado pelos gestores das redes de educação composto por membros da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-ES), o Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo (Sinepe-ES), a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). Juntos, eles vão elaborar uma lista com a relação de todos os professores que estão na ativa e integram o primeiro grupo de 50 a 59 anos. Esse documento será encaminhado à Sesa e, posteriormente, aos municípios.

A vacinação vai funcionar de forma similar à que tem sido feito com os profissionais da segurança pública. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) vai incorporar quantitativos de vacina semanalmente para vacinação desse público. Da reserva técnica, 30% será direcionado para os agentes da Segurança Pública e 70% para a Educação.

A expectativa é de que sejam vacinados, segundo estimativa populacional do Ministério da Saúde, 66.145 mil trabalhadores da educação do ensino básico ao ensino superior no Estado. Nesse primeiro momento, serão vacinados professores e auxiliares que atuam em sala de aula das creches com crianças de 0 a 3 anos de idade, pré-escola, Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio e Técnico com o ordenamento por faixa etária.

A lista com os nomes dos profissionais aptos a serem vacinados será enviada aos municípios. Caberá à secretaria municipal de Saúde a definição da melhor estratégia de vacinação, respeitando os protocolos já definidos pela Sesa, como medidas que resultem no distanciamento social e evitem aglomerações.

É preciso  levar um documento pessoal com foto. Por segurança, é importante levar também um contracheque ou outro documento que comprove a atividade escolar. Serão vacinados todos os profissionais que trabalham na Educação do Estado, independente do vínculo empregatício ou da rede - pública ou privada, segundo a Sedu.

A Sesa e a Sedu informaram que bibliotecários e demais trabalhadores da Educação serão atendidos depois que os professores forem imunizados. O governo garante que todos os profissionais que atuam dentro das escolas serão vacinados.

Educação Espírito Santo Covid-19 espírito santo Pandemia

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.