ASSINE

Prefeitura acaba com festa clandestina em marina de Vitória

Moradores denunciaram aglomeração com som alto em estabelecimento de Jardim da Penha. Equipamento de som foi apreendido por agentes da prefeitura

Publicado em 15/02/2021 às 09h14
Atualizado em 15/02/2021 às 14h38
O secretário de Desenvolvimento de Vitória, Marcelo de Oliveira, em entrevista à TV Gazeta sobre operações de fiscalização durante o carnaval na Capital
Secretário de Desenvolvimento de Vitória, Marcelo de Oliveira, fala sobre operações de fiscalização durante o carnaval. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Uma marina no bairro Santa Luiza foi alvo de fiscalização da Prefeitura de Vitória, no domingo (15), por promover uma festa clandestina e incitar a aglomeração de pessoas. Na Capital e em outras cidades do Espírito Santo, eventos particulares e blocos de ruas estão proibidos por decretos de combate à pandemia da Covid-19

Em entrevista ao Bom Dia Espírito Santo, da TV Gazeta, na manhã desta segunda (15), o secretário de Desenvolvimento de Vitória, Marcelo de Oliveira, detalhou que, desde a última sexta-feira (12), quase 60 estabelecimentos foram vistoriados.

“Desde a sexta de carnaval, 58 estabelecimentos foram vistoriados e alguns interditados, porque promoviam aglomeração, o que fere os decretos de combate ao coronavírus. Desde a semana passada também fizemos ações para orientar e prevenir para que não acontecessem essas aglomerações, esse tipo de festa”, disse.

Sobre a marina, Oliveira explicou: “Uma marina foi fechada ontem, em Vitória, porque estava tendo uma festa clandestina, sem autorização. Recebemos a denúncia e a equipe foi para lá. Todo o som foi apreendido e a festa foi encerrada”.

Na última sexta (12), como A Gazeta noticiou, a prefeitura já havia paralisado as operações de um bar do Centro de Vitória. Na ocasião, o local insistiu em operar após o horário máximo permitido, de 22h, e também foi notificado pela Vigilância Sanitária.

O secretário lembrou ainda que o cidadão que flagrar alguma situação de descumprimento do decreto para enfrentamento da pandemia da Covid-19 pode denunciar pelo telefone 156.

Correção

15 de Fevereiro de 2021 às 14:30

Após publicação da reportagem, a Prefeitura de Vitória esclareceu que a marina alvo da operação está localizada no bairro Santa Luiza e não em Jardim da Penha. Acrescentou também que a festa foi encerrada, mas o estabelecimento não foi interditado. O texto foi corrigido, e a foto que ilustrava a matéria foi alterada. 

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.