ASSINE

Óleo é controlado em Marechal Floriano e abastecimento de água não está afetado

Vegetação e procedimentos de contenção impediram que óleo chegasse ao Rio Jucu; carreta-tanque tombou nesta terça-feira (6) na BR 262

Publicado em 06/07/2021 às 19h47
Defensoria pediu à Cesan que esclareça o abastecimento irregular de água em bairros da Capital
Por ora, desabastecimento de água está descartado pela Cesan. Crédito: EBC

desabastecimento de água que poderia acontecer devido ao acidente envolvendo uma carreta na BR 262 está descartado por enquanto, já que o óleo diesel derramado não atingiu o Rio Jucu, de onde é feita a captação para a Região Metropolitana de Vitória e para os municípios de Marechal Floriano e Domingos Martins.

A Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) explicou que o combustível ficou retido na vegetação do local onde o veículo tombou, reduzindo os riscos de impactos. "A produção de água está garantida, os reservatórios estão cheios e o fornecimento está acontecendo normalmente", garantiu.

Carreta-tanque tombada na BR 262 em Marechal Floriano
Carreta-tanque tombou às margens da BR 262, em Marechal Floriano. Crédito: Vitor Jubini

Ainda assim, a Cesan informou que equipes continuam trabalhando nas proximidades da rodovia, na altura do quilômetro 64, onde ocorreu o acidente, para monitorar a qualidade da água e fazer o controle do tratamento. Dois lances de barreiras também ajudam na contenção preventiva da possível contaminação.

Responsável pelo empréstimo das estruturas, o Instituto Estadual de Meio-Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) confirmou que o produto vazado não atingiu o braço sul do Rio Jucu, já que "o trecho fica afastado e a drenagem percorre uma baixada com vegetação densa que favoreceu a retenção na cobertura vegetal e no solo".

Local do acidente onde uma carreta de transporte de combustíveis tombou
Local do acidente onde uma carreta de transporte de combustíveis tombou . Crédito: Isa Pereira | Editoria de Arte

Segundo o órgão, os fiscais lavraram um auto de infração para a empresa responsável fazer as contenções, remoção e destinação final dos resíduos. Porém, não foi informado quando esses procedimentos serão concluídos. Até lá, o óleo diesel e o controle dele ficam suscetíveis às condições climáticas da região.

Nesse sentido, a Cesan reforçou que, apesar de todas as medidas técnicas para conter o óleo terem sido adotadas pelos órgãos competentes, o combustível está depositado na vegetação e exposto às variáveis climáticas. "O fato requer atenção e não é possível descartar novas providências", informou.

O ACIDENTE: 17 MIL LITROS DE DIESEL DERRAMADOS

carreta-tanque tombou na BR 262, no município de Marechal Floriano, durante a manhã desta terça-feira (6). De acordo com informações passadas pelo Corpo de Bombeiros, devido ao acidente, 17 mil litros de óleo diesel vazaram para a área de vegetação que fica às margens da rodovia.

Para que o atendimento pudesse ser feito, o trecho ficou totalmente interditado por cerca de duas horas. Por volta das 10h20, o trânsito passou a fluir no sistema pare-siga. O motorista sofreu ferimentos no rosto e foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.