ASSINE

Marcado julgamento de acusados pelo assassinato da médica Milena Gottardi

Seis pessoas, entre elas o ex-marido e o sogro da vítima, vão sentar no banco dos réus no dia 8 de março de 2021, no Dia Internacional da Mulher

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 30/11/2020 às 13h51
Caso Milena Gottardi - Três anos do assassinato
Assassinato de  Milena Gottardi completou três anos. Crédito: Reprodução/Facebook

Os seis acusados pelo assassinato da médica Milena Gottardi, de 38 anos, vão sentar no banco dos réus em 8 de março de 2021, no Dia Internacional da Mulher. O julgamento acontecerá no Fórum da cidade, no centro de Vitória, às 9 horas.

Os acusados pelo crime são o ex-marido da vítima, o ex-policial civil Hilário Antonio Fiorot Frasson e o seu pai, Esperidião Carlos Frasson, ambos apontados como mandantes. Pela intermediação foram denunciados Valcir da Silva Dias e Hermenegildo Palauro Filho, o Judinho. A execução foi praticada por Dionathas Alves Vieira, que contou com o apoio de Bruno Rodrigues Broetto, que forneceu a moto. Todos estão presos.

O crime aconteceu no dia 14 de setembro de 2017, Milena foi baleada com um tiro na cabeça, no estacionamento do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), em Vitória. Ela tinha acabado de sair do trabalho e estava acompanhada de uma amiga quando foi surpreendida por um homem que simulou um assalto. A morte foi declarada no dia seguinte.

Data: 21/09/2017 - ES - Vitória - Caso da médica Milena Gottardi Frasson, 38 anos, assassinada no estacionamento do Hospital das Clínicas (HUCAM) - Hilário Antônio Fiorot Frasson, ex marido da médica e policial civil,  foi preso enquanto trabalhava, ele é suspeito da morte da médica - Editoria: Polícia - Foto: Fernando Madeira - NA
Hilário Antônio Fiorot Frasson, ex marido da médica e ex-policial civil, foi preso . Crédito: Fernando Madeira

A pauta de julgamentos da Primeira Vara Criminal de Vitória foi disponibilizada no início da tarde desta segunda-feira (30). Nela consta a convocação para o Júri Popular referente ao assassinato da médica.

O advogado Renan Sales, que atua como assistente de acusação, assinala que está convencido de que os seis acusados serão condenados. “Há nos autos provas robustas que são eles os responsáveis pelo covarde feminicídio que vitimou a Dra. Milena. Aguardamos ansiosos pela data do julgamento”, assinalou.

Apesar dos recursos apresentados pelos mandantes do crime, contra a pronúncia - decisão que os envia a Júri popular -, o advogado explica que ela não impede o julgamento seja marcado. “O atual entendimento da jurisprudência é de que não é necessário esperar o trânsito em julgado dos recursos contra a decisão de pronúncia para que o juizado possa designar o julgamento, foi o que aconteceu”, explicou Sales.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.