ASSINE

Filha de Milena Gottardi tem medo de que pai saia da prisão, diz tio

Hilário Frasson está preso desde o dia 21 de setembro de 2017. Ele é apontado pelo Ministério Público do Estado como um dos mandantes do assassinato de Milena, sua ex-esposa

Publicado em 15/09/2019 às 07h15
Atualizado em 15/09/2019 às 10h46
Após ter sido baleada na cabeça, Milena Gottardi Tonini Frasson não resistiu aos ferimentos e morreu no dia 15 de setembro. Crédito:   Reprodução/Facebook
Após ter sido baleada na cabeça, Milena Gottardi Tonini Frasson não resistiu aos ferimentos e morreu no dia 15 de setembro. Crédito: Reprodução/Facebook

A filha mais velha de Milena Gottardi, de 11 anos, tem medo de que o pai, Hilário Frasson, seja solto. O tio da médica assassinada, Geraldo Gottardi, contou à reportagem da CBN que a menina tem receio de ter que morar com o pai caso ele saia da prisão.

Hilário está preso desde o dia 21 de setembro de 2017. Ele é apontado pelo Ministério Público do Estado como um dos mandantes do assassinato de Milena, sua ex-esposa, que foi morta após levar um tiro na cabeça no estacionamento do Hospital das Clínicas.

Após a missa que lembrou os dois anos da morte da médica, Geraldo pediu celeridade da Justiça e cobrou que seja marcada uma data para o julgamento de Hilário e os outros cinco réus que respondem pelo crime.

"Nós não vemos Justiça há dois anos. Está arriscado de alguém conceder um habeas corpus e soltá-lo. Nós queremos que ele seja condenado. Porque nós temos medo. A menina mais velha (uma das filhas de Milena) tem medo. Ela já fez um comentário perguntando se ele tem possibilidade dele (Hilário) sair. Ela tem medo por causa de toda maldade que ele fez. A menina tem medo dele fazer algo com ela caso ela não queira ficar com ele (Hilário)", relatou.

A missa que homenageou a médica começou às 9h30 da manhã deste domingo na Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, no Bairro de Fátima, da Serra.

A mãe de Milena, Zilca Gottardi e o irmão Douglas Gottardi, que assumiu a guarda das filhas de Milena, também estavam na igreja, visivelmente emocionados. As crianças também participaram da missa de homenagem à mãe. Dona Zilca lamentou a ausência de Milena e comentou sobre a falta que a médica faz para as duas netas.

Missa de dois anos do assassinato de Milena Gottardi. Crédito: Carlos Alberto Silva
Missa de dois anos do assassinato de Milena Gottardi. Crédito: Carlos Alberto Silva

"A nossa vida tem sido muito difícil, muito sofrida. Olhando para as crianças, é aí que nosso coração dói mais porque são as crianças que estão precisando muito dela. A pequenininha porque sente a falta daquele abraço gostoso e a maior está na pré-adolescência e sente a saudade da palavra amiga, daquela mãe que você pode confiar e perguntar as coisas. Então, é uma dor que a gente não sabe nem expressar", disse.

Este vídeo pode te interessar

O padre Pedro Luchi foi o responsável pela celebração. Antes de iniciar a missa, ele lembrou que celebrou o casamento de Hilário e Milena, há 14 anos. O sacerdote chegou a ser intimado a depor como testemunha da defesa.

A Gazeta integra o

Saiba mais
cbn vitoria crime feminicídio milena gottardi ministério público reportagens serra

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.