Justiça manda governo do ES garantir a mulher reprodução assistida

Cabe às entidades públicas fornecerem gratuitamente à paciente o procedimento médico, incluindo a fertilização in vitro, o custeio de medicamentos e exames inerentes à intervenção

Publicado em 22/01/2021 às 20h15
Gravidez, grávida
Mulher foi  diagnosticada com infertilidade e entrou na justiça. Crédito: Pixabay

O 1º Juizado Especial Criminal e da Fazenda Pública de Guarapari, do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, concedeu a uma mulher o direito de ter o processo de reprodução assistida realizado pelo Estado do Espírito Santo e pelo município de Guarapari, localizado a 61,4 km de Vitória. Com a decisão cabe às entidades públicas fornecerem gratuitamente à paciente o procedimento médico, incluindo a fertilização in vitro, o custeio de medicamentos, utensílios, tratamentos e exames inerentes à intervenção.

O pedido da mulher se deu pelo fato de ela ter sido diagnosticada com infertilidade, provocada por endometriose profunda - doença que acomete o útero. De acordo com o laudo médico apresentado à Justiça, a moça apresentava baixa reserva ovariana e, sendo assim, para que ela engravide é necessário a coleta de óvulos, que devem ser congelados com nitrogênio líquido em laboratório de reprodução.

O juizado entendeu em sua decisão que o procedimento faz parte do direito ao acesso à saúde, uma vez que ficou comprovada a existência de uma doença que compromete a reprodução da mulher e que ela também provou a sua incapacidade financeira para contratar o serviço de uma empresa privada. A decisão também foi proferida em caráter de urgência, uma vez que a mulher tem 37 anos, idade considerada avançada para esse tipo de intervenção. Sendo assim, foi ponderado que a demora na execução da intervenção pode acarretar em gastos mais altos, por parte do poder público, conforme o passar do tempo.

COM A PALAVRA, O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A reportagem entrou em contato com o Governo do Espírito Santo e aguarda resposta. O espaço está aberto para manifestação.

COM A PALAVRA, A PREFEITURA DE GUARAPARI

O município de Guarapari ainda não foi intimado sobre a sentença proferida no processo judicial mencionado. Quando ocorrer a intimação, a Procuradoria Geral do Município analisará quais providências deverão ser adotadas.

Brasil Brasil Espírito Santo Guarapari Justiça espírito santo gravidez

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.