ASSINE

ES negocia com faculdades a oferta de bolsas para curso de Medicina

A proposta do governo do Estado é incluir o curso no Nossa Bolsa, custeando 100% do valor da mensalidade para os alunos selecionados

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 06/12/2021 às 20h49
Médicos
A formação médica tem custo elevado, mas governo negocia redução no valor da mensalidade com faculdades para ofertar bolsas. Crédito: Pixabay

governo do Estado lançou nesta segunda-feira (6) mais uma edição do Nossa Bolsa, programa que banca 100% do custo da graduação para alunos de baixa renda em instituições de ensino superior particulares. São 1.300 novas vagas e a previsão é poder incluir, desta vez, o curso de Medicina. Para tanto, a oferta está em negociação com quatro faculdades do Espírito Santo

Tyago Hoffmann, secretário estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional e Desenvolvimento Econômico,  afirma que Medicina sempre foi uma oferta desejada pelo governo, mas esbarra no alto custo. Pagar uma mensalidade do curso é equivalente a quase oito vagas em outra área. 

A negociação com as instituições que oferecem Medicina no Espírito Santo - Emescam, Multivix, Unesc e UVV - passa, justamente, por uma tentativa de reduzir o custo mensal, embora o secretário reconheça que vai continuar sendo um curso mais caro que os demais ofertados pelo Nossa Bolsa. "Não temos nada certo, mas nunca estivemos tão avançados numa conversa. É uma insistência nossa fazer essa negociação para poder oferecer Medicina", pontua Hoffmann. 

O edital com toda a oferta do Nossa Bolsa está previsto para janeiro. Estão aptos a disputar os candidatos que fizeram o Enem de 2019 ou 2020, que tenham feito o ensino médio na rede pública ou com bolsa integral em escola particular, e cuja renda per capita familiar seja de até um salário mínimo (R$1,1 mil).

O Nossa Bolsa agora faz parte do UniversidadES, um programa do governo que reúne ofertas do nível técnico à pós-graduação. Além das 1,3 mil vagas para graduação, foram anunciadas outras 290 de mestrado e doutorado e 1.360 de formação técnica. O processo seletivo será feito no primeiro semestre de 2022. 

Até o final deste ano ainda, Tyago Hoffmann diz que vão ser apresentados os cursos para outras 500 vagas de pós-graduação, numa parceria do governo com o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes)Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e Universidade Virtual de São Paulo (Univesp). A seleção, também para o próximo semestre, será conduzida pelas instituições de ensino. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.