ASSINE

Cientistas descobrem quatro novos sintomas da Covid-19

Os sintomas foram identificados pelos pesquisadores por meio de um estudo realizado entre os meses de junho de 2020 e janeiro de 2021

Publicado em 25/02/2021 às 18h37
Atualizado em 25/02/2021 às 18h37
Dor de cabeça
Dor de cabeça e dores musculares estão entre os novos sintomas ligados à Covid-19. Crédito: Freepik

Perda de apetite, dores de cabeça e musculares, calafrios… A princípio, são sintomas comuns de doenças como dengue e gripe. Mas, agora, segundo cientistas da Imperial College London, também podem ser indícios de covid-19.

Os sintomas foram identificados pelos pesquisadores por meio de um estudo realizado entre os meses de junho de 2020 e janeiro de 2021. Após a aplicação de testes aleatórios realizados com os swabs (as hastes flexíveis longas usadas em testes RT-PCR), os cientistas observaram que existe uma associação entre um resultado positivo para a covid-19 e a presença de algum desses sintomas ou de outros já previamente conhecidos.

De acordo com o novo estudo, quanto mais sintomas a pessoa têm, maior a probabilidade dela ter um teste positivo para o Sars-CoV-2. Os calafrios foram encontrados em pessoas de várias idades, enquanto dores de cabeça foram reportadas principalmente em crianças dos 5 aos 17 anos, a perda de apetite em pessoas acima dos 18 e dores musculares naqueles de 18 a 54 anos.

A pesquisa também levou em conta se mudanças substanciais foram observadas antes e depois da variante B.1.1.7 se tornar a dominante no Reino Unido – o que foi encontrando, entretanto, é que, apesar da prevalência da nova cepa, os sintomas são muito similares. 

No entanto, a perda do olfato e do paladar se tornou um indício menor de covid-19 em janeiro deste ano ao mesmo tempo em que a B.1.1.7 era responsável por 86% das infecções no país.

Em agosto do ano passado, antes de o vírus passar por suas principais mutações, cientistas da Universidade do Sul da Califórnia (USC) afirmaram que, em casos de infecção pelo coronavírus, a febre era o primeiro sintoma, depois a tosse, seguida por dores musculares e, por último, aparece a náusea ou vômito/diarreia.

ISOLAMENTO É FUNDAMENTAL

De acordo com o infectologista e professor da Universidade Federal do Espírito Santo, Crispim Cerutti Junior, a covid-19 ainda é uma doença nova, que acomete o indivíduo de forma variada, causando inflamações em seu corpo, que vai responder de forma particular em cada um. Logo, os sintomas mais frequentes são mais conhecidos; e demais, não. 

“O coronavírus é um vírus respiratório, então tudo que tem relação com o sistema respiratório pode sofrer alterações. Devido à infecção causada no corpo, as dores musculares, os calafrios, a dor de cabeça e a perda de apetite podem aparecer acompanhados ou não dos sintomas mais frequentes, como febre, tosse e falta de ar. No entanto, tudo vai variar de indivíduo para indivíduo”, explica o infectologista.

Cerutti também salienta a importância de isolar-se diante de qualquer sintoma para quebrar a cadeia de transmissão da doença. 

“Estamos em uma pandemia, e por isso, qualquer sintoma que o indivíduo sentir, ele deve desconfiar que é covid-19, seja o nariz escorrendo ou uma dor de cabeça frequente. Em seguida, a primeira coisa é fazer o isolamento para evitar a contaminação de outras pessoas. Os testes para comprovar a infecção ou não devem ser feitos apenas no quarto dia após o aparecimento dos sintomas”, salienta.

Coronavírus Covid-19 doenca Ciência Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.