ASSINE

Cidades do ES negam estoque de vacina e culpam sistema do Ministério da Saúde

Segundo prefeituras do Sul do Estado, o sistema apresenta instabilidades e isso atrapalha na atualização dos dados sobre a vacinação contra a Covid-19

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 23/06/2021 às 20h55
Apesar do agendamento ser feito pelo telefone, algumas pessoas foram até as unidades de saúde
Cidades do ES negam estoque de vacina e culpam sistema do Ministério da Saúde. Crédito: Matheus Martins/TV Gazeta Sul

As prefeituras dos municípios do Espírito Santo que receberam, nesta quarta-feira (23), uma quantidade reduzida de doses das vacinas contra a Covid-19, porque não atingiram a meta de 80% de aplicação da primeira dose dos imunizantes, negaram que tenham feito estoque e informaram que a dificuldade é na atualização do sistema Ministério da Saúde.

Das 15 cidades que estão com a vacinação abaixo dos 80%, oito ficam no Sul do Estado, são elas: Cachoeiro de ItapemirimConceição do CasteloGuaçuíIbitiramaMimoso do SulMuquiPiúma e Vargem Alta. Segundo as prefeituras, o sistema do governo federal apresenta inconsistência e falhas.

Em Cachoeiro, o secretário municipal de Saúde, Alex Wingler, explicou que o sistema o município totaliza mais de 95 mil aplicações entre primeira e segunda dose, porém, ele calcula que já foram mais de 100 mil doses aplicadas.

“Nós já atingimos mais de 100 mil doses aplicadas. Existe um ‘delay’ entre a aplicação das doses e a atualização do sistema. O sistema às vezes está parado e nós temos também as unidades no interior, onde são feitas a aplicação das doses e a anotação para digitalizar depois. No sistema temos mais de 95 mil doses informadas, ou seja, lá está o número de doses digitadas e não aplicadas. Sabemos que estamos com mais de 80% do público atingido”, disse o secretário.

A prefeitura de Conceição de Castelo informou que foram aplicadas 6.315 doses da vacina, entre primeira e segunda doses e no sistema aparece 5.536 doses por erro do próprio sistema. Já a equipe de Muqui disse os dados atuais do sistema não reflete o que efetivamente foi realizado e que o sistema apresenta instabilidade, resultando em um lançamento de forma assíncrona.

“Em resumo, mesmo que o painel apresente porcentagens em torno de mais de 70% de doses registradas, na prática a porcentagem de doses aplicadas é bem maior. Como realizamos vacinas também no interior, que também não tem internet, esse sistema acaba trazendo alguns fatores bem peculiares quanto à dinâmica do registro, ou seja, é um somatório de situações” informou a prefeitura de Muqui.

INSTABILIDADE NO SISTEMA

A prefeitura de Guaçuí explicou que houve um atraso no registro das doses aplicadas, devido à instabilidade no sistema do Ministério da Saúde, mas as aplicações no município seguem acima da média estipulada. 

"Temos uma equipe fazendo mutirão para lançamento das doses no sistema. Até a manhã desta segunda-feira (22), conseguimos registrar junto ao Ministério da Saúde mais de 81% de doses aplicadas. E esse número vai subir ainda mais”, explicou o secretário de Saúde de Guaçuí, Werton Cardoso.

O município de Mimoso do Sul informou que o quantitativo de doses aplicadas é maior do que o quantitativo de doses que consta no sistema, principalmente, porque a equipe realiza diariamente a imunização na zona rural, onde não há internet, dificultando a alimentação em tempo real.

“Não existe a retenção de doses porque todas as doses que chegam são imediatamente aplicadas, inclusive com mutirões realizados até mesmo nos finais de semana e no último feriado de Corpus Christi, por exemplo”, informou a prefeitura de Mimoso do Sul.

A prefeitura de Ibitirama comunicou que cumpriu a meta de 80% da vacinação contra a Covid-19. “Ocorre que mesmo lançando no sistema de informação disponibilizado pelo Ministério da Saúde, o processamento das informações tem sido um pouco moroso, fator que faz com que pareça que o município não cumpre com sua obrigação no caso em comento”, informou.

Em Piúma, a prefeitura informou que já aplicou mais de 90% das doses. “Das 10.884 doses recebidas, foram aplicados até o momento 9.817 doses, ou seja, 91%. Informamos que o Sistema do Governo Federal (SiPNI) vem apresentando inconsistência, dificultando assim a digitação em tempo real dos imunobiológicos aplicados. A Secretaria de Saúde está tomando todas as medidas cabíveis para manter o sistema atualizado”, informou.

A prefeitura de Vargem Alta também justificou o problema no sistema. “A prefeitura esclarece que a informação de que o município não teria atingida a meta é oriunda de uma metodologia frágil de cálculo de doses aplicadas”, comunicou.

DEMAIS MUNICÍPIOS

Além dos municípios da região Sul, também estão na lista das cidades que não atingiram a meta de 80%, Águia BrancaAracruzColatinaGovernador LindenbergItaguaçuSão Mateus e Guarapari. A secretaria de Estado de Saúde informou que novas doses serão encaminhadas a estes municípios, assim que as doses forem aplicadas.

A prefeitura de Itaguaçu, por meio de suas redes sociais, disse que a Secretaria Municipal de Saúde solicitou à presidente do Conselho Municipal de Saúde para se fazer presente na secretaria a fim de apurar a veracidade da denúncia. Informou que solicitou ao promotor de Justiça, Antônio Carlos Horvath,  inspeção na sala de vacina da secretaria municipal onde também pôde constatar que as ações de saúde realizadas na campanha de vacinação contra a Covid-19 vêm atendendo às exigências da Sesa.

A reportagem de A Gazeta demandou o Ministério de Saúde sobre as inconsistências apresentadas pelas prefeituras, mas até o fechamento desta matéria não houve retorno.

NOTA DA SESA

A coordenação do Programa Estadual de Imunizações informa que o sistema utilizado para registro das vacinas pelos 78 municípios do Estado é do Ministério da Saúde. Esclarece ainda que a definição do quantitativo de doses enviados aos municípios é referente ao percentual da base de dados no momento de fechamento da distribuição das doses.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.