ASSINE

Ceturb pede a retirada de túneis de desinfecção em terminais da Serra

Nota técnica da Anvisa esclareceu que não foram encontradas evidências científicas sobre o uso das estruturas de desinfecção no combate à Covid-19

Publicado em 13/05/2020 às 17h32
Atualizado em 13/05/2020 às 20h27
Túnel instalado e sendo utilizado por passageiros no terminal de Carapina, na Serra
Túnel instalado e sendo utilizado por passageiros no terminal de Carapina, na Serra. Crédito: Reprodução / TV Gazeta

A Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb) esclareceu, na tarde desta quarta-feira (13) que, em contato com a Vigilância Sanitária Estadual, deverá solicitar à Prefeitura da Serra a retirada de túneis de desinfecção instalados em terminais de ônibus do município. Apesar do pedido, frisou, por meio de nota, que entende que as prefeituras tenham protocolos sanitários próprios.

A medida a ser adotada pela Ceturb veio após a divulgação de uma nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que esclareceu que não foram encontradas evidências científicas sobre o uso das estruturas de desinfecção no combate à Covid-19.

Demandada pela reportagem, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que a Vigilância Estadual encaminhou a nota técnica da Anvisa para todos os municípios e esclareceu que estes têm gestão própria sobre seus territórios. Além disso, em relação aos terminais, a Sesa afirmou que a Ceturb já está adotando as medidas cabíveis.

Fotógrafo de A Gazeta faz ensaio artístico sobre isolamento

Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
Fotógrafo de A Gazeta faz ensaio artístico sobre isolamento - Por Fernando Madeira. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
O nome escolhido para o ensaio é Sufocamento. . Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
"O trabalho é uma narrativa visual em contraponto com base em relatos das pessoas que foram infectadas pelo coronavírus", explica Fernando Madeira. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
Sintomas como sufocamento, falta de ar e sensação de afogamento são frequentemente relatados por médicos e pessoas infectadas. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
As fotografias buscam transmitir a angústia desses sintomas, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
Sufocamento do isolamento. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
Sufocamento da máscara. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
O fotógrafo conta que a ideia do ensaio surgiu num dia cinza durante o isolamento social. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
No quintal de casa, um varal com lençol que acabara de ser lavado e colocado apenas com o propósito de secagem, um plano de fundo como folha branca disponível para rascunhar uma ideia nova. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
Seja qual for a sua ocupação, aproveite o tempo em casa para realizar atividades em família e fugir da ociosidade da quarentena. Fernando Madeira
Ensaio: sufocamento. As fotografias buscam transmitir essa angústia, levando o observador para ‘‘dentro’’ do sofrimento.
Fique em casa!. Fernando Madeira
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!
Fique em casa!

A Prefeitura da Serra informou, por meio de nota, que, por determinação da Ceturb, vai retirar os túneis de desinfecção dos terminais de Carapina, Laranjeiras e Jacaraípe, já que os espaços são de propriedade e responsabilidade do governo do Estado. Confira posicionamento na íntegra:

"A prefeitura reitera, no entanto, que o produto não faz mal à saúde, por isso vai manter em funcionamento as estruturas localizadas nas três Upas da Serra. Na concentração em que é pulverizado e de acordo com o tempo de exposição, que é reduzido, o dióxido de cloro (CLO2), estabilizado em solução aquosa a 7%, não oferece risco à população. Além disso, o produto é classificado como não perigoso pelo sistema de classificação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Importante destacar que o parecer técnico da Secretaria de Saúde anexado ao ofício da Ceturb não cita o dióxido de cloro (CLO2), estabilizado em solução aquosa a 7%, entre as substâncias que prejudicam a saúde e não têm eficácia, segundo a Anvisa.

Antes de adquirir o produto, a prefeitura checou todos os laudos fornecidos pelos laboratórios certificados que avaliaram o produto e o liberaram em diversos testes, inclusive os de toxicidade e eficácia. Os laudos foram emitidos pelo laboratório Bioagri Company e pelo laboratório alemão Labor Enders.

A Prefeitura da Serra reitera seu compromisso e cuidado com a população, por isso o túnel é apenas uma das medidas de combate ao novo coronavírus. A prefeitura já distribuiu mais de 200 mil máscaras e 150 mil kits de limpeza, contendo sabão, sabonete e água sanitária para os moradores. Está distribuindo máscaras nas filas da Caixa Econômica e realiza fiscalizações diárias nos comércios que não têm autorização para abrir nos dias determinados, dentre outras medidas visando diminuir o contágio do novo coronavírus na cidade.

Além disso, a partir da próxima segunda-feira, dia 18, a UPA de Castelândia passa a ter atendimento exclusivo para pacientes do novo coronavírus, ampliando em 22 o número de leitos para pacientes intermediários. Em uma parceria com o governo do Estado, a mesma UPA deverá receber mais 30 novos leitos em tendas de campanha a serem implantadas no estacionamento interno da unidade de saúde, totalizando assim 52 novos leitos".

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.