ASSINE

Advogado compra terreno e planta floresta de 112 mil m² em João Neiva

Área abriga 400 espécies diferentes de árvores. Com a cobertura verde, surgiram três nascentes no local

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 26/04/2022 às 16h23
Área reflorestada em João Neiva tem 112 m²
Área reflorestada em João Neiva tem 112 m². Crédito: Juliano Gomes/TV Gazeta

Era 2000 quando o advogado Apolônio Cometti comprou o primeiro pedaço de um terreno que hoje ocupa 112 mil m² na cidade de João Neiva, no Norte do Espírito Santo. O objetivo era utilizar a área para um grande projeto de reflorestamento, e, hoje, 22 anos depois, a meta está cumprida.

São 400 espécies de árvores que estão ali por conta do projeto de Apolônio. O terreno fica próximo ao centro da cidade, e equivale ao tamanho de 10 campos de futebol.

A imensidão verde deixa claro a importância do local para as plantas e para os animais.

“Eu fui comprando os pedaços e formei essa propriedade aqui, e comecei a reflorestar. Os papagaios vivem aqui. Se você for andar pelas mangueiras, estarão ali. Macacos, que vi na semana passada, ficam aqui, moram aqui”, disse Apolônio.

À medida que o tempo foi passando e as árvores crescendo, outra riqueza natural surgiu. No terreno reflorestado três nascentes se formaram, e água limpa corre no local todos dias.

Advogado Apolônio Cometti foi comprando partes do terreno até chegar na área total
Advogado Apolônio Cometti foi comprando partes do terreno até chegar na área total. Crédito: Juliano Gomes/TV Gazeta

“Quando eu comprei já não tinha água aqui mais. Não corria um fio d’água aqui, não tinha nada. Quando surgiu a floresta, e fiz ela de forma ordenada, não fiz em cima da nascente, plantei em volta, e esta água foi surgindo e é uma realidade. Agora tem milhões de litros que correm por aqui durante 24 horas”, afirmou.

O terreno é tão importante para Apolônio que ele decidiu construir uma casa em formato de castelo no local, para o lado lúdico do local ficar sempre em destaque.

“Achei que ia ser uma coisa ambientada aqui, que se encaixasse com a minha visão disso aqui. É uma visão romântica, gosto disso aqui, acho isso bonito, acho gosto de estar aqui e vir aqui. E aí decidi fazer uma coisa diferente e surgiu o castelinho”, contou Apolônio.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.