ASSINE

Governo volta atrás e não vai antecipar 2ª parcela do auxílio de R$ 600

Segundo o Ministério da Cidadania, faltam recursos no orçamento para fazer a antecipação do benefício e será preciso aprovar um crédito suplementar

Publicado em 22/04/2020 às 22h14
Atualizado em 22/04/2020 às 22h14
Aplicativo da Caixa para o auxílio emergencial
Aplicativo da Caixa para a solicitação do auxílio emergencial. Crédito: Marcelo Casal/Agência Brasil

O governo voltou atrás e não vai mais antecipar a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 aos trabalhadores informais, conforme tinha anunciado a Caixa Econômica Federal. Em nota, o Ministério da Cidadania informou que faltam recursos no orçamento para fazer a antecipação do benefício e que será preciso aprovar um crédito suplementar. As informações são do jornal O Globo.

De acordo com a nota enviada pelo Ministério da Cidadania, as três parcelas do auxílio vão representar um desembolso de R$ 32,7 bilhões dos cofres públicos, cada uma, e o governo já transferiu R$ 31,3 bilhões para a Caixa. Segundo o ministério, 12 milhões de trabalhadores ainda não receberam a primeira parcela. 

O cronograma de pagamento da segunda parcela, previsto para começar nessa quinta-feira (23) até quarta-feira (29), só será anunciado em maio, segundo a nota. O Ministério menciona ainda na nota que foi alertado pela Controladoria Geral da União (CGU) sobre a questão orçamentária.

“Tanto o Ministério da Cidadania quanto a Caixa manifestaram seu desejo de antecipar o pagamento da segunda parcela. No entanto, devido ao alto número de informais cadastrados e a determinação do governo em não deixar ninguém para trás, todas as expectativas foram superadas e tornou-se imperativo solicitar crédito suplementar para poder completar o atendimento a todos”, diz a nota.

O Ministério da Cidadania informou ainda que já solicitou ao Ministério da Economia a previsão para uma suplementação orçamentaria o mais rápido possível. "Em virtude disso, por fatores legais e orçamentários, pelo alto número de requerentes que ainda estão em análise, estamos impedidos legalmente de fazer a antecipação da segunda parcela do Auxílio-Emergencial", complementa a nota.

Segundo o ministério, o pagamento da primeira parcela do auxílio para beneficiários do Bolsa Família, que está em andamento, não será prejudicado. A todo, serão beneficiadas 43 milhões de pessoas.

Segundo a Caixa, até esta quarta-feira, já foram pagas 31 milhões de pessoas, totalizando R$ 22 bilhões, entre inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) e cadastrados pelo aplicativo e site da Caixa.

Foram finalizados no sistema da Caixa mais de 45 milhões de cadastros. A Dataprev já processou 32 milhões, realizados de 7 a 10 de abril. Além disso, estão sendo avaliados mais de 7 milhões de cadastros concluídos entre 11 e 17 de abril. A previsão é que este lote seja liberado até o fim desta semana.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.