ASSINE
Este é um espaço para falar de Política: notícias, opiniões, bastidores, principalmente do que ocorre no Espírito Santo. A colunista ingressou na Rede Gazeta em 2006, atuou na Rádio CBN Vitória/Gazeta Online e migrou para a editoria de Política de A Gazeta em 2012, em que trabalhou como repórter e editora-adjunta

A reviravolta ao contrário do Pros no ES

Partido, que está na aliança do governador Renato Casagrande (PSB), ficou acéfalo por dias

Vitória
Publicado em 05/08/2022 às 13h46
Convenção estadual do Pros
Luciano Pingo, de camisa azul, durante convenção estadual do Pros, no último dia 31. O candidato a vice-governador Ricardo Ferraço, ao lado dele, prestigiou o evento. Crédito: Rodrigo Gavini

Como a coluna mostrou, o vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Jorge Mussi, reconduziu Eurípedes Júnior à presidência nacional do Pros, o Partido Republicano da Ordem Social, na última sexta-feira (29).

E a direção da sigla no Espírito Santo, consequentemente, foi destituída. Acéfalo, o Pros perdeu, temporariamente, a liderança do prefeito de Ibatiba, Luciano Pingo. Foi graças a Pingo que o partido coligou com o PSB do governador Renato Casagrande.

Sem ele, pairava a dúvida sobre a permanência da legenda no time do socialista. Eurípedes Júnior poderia entregar a o partido a um grupo adversário.

Na quinta-feira (4), no entanto, veio do próprio STJ a solução. O ministro Antônio Carlos Ferreira colocou Marcus Holanda de volta na presidência nacional do Pros. 

Nesta sexta (5), o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já mostra o nome dele lá. E, no Espírito Santo, Luciano Pingo está de volta ao comando da legenda.

O partido, de acordo com ele, vai seguir apoiando Casagrande. E a incógnita que restava, quanto ao Senado, também já foi preenchida. O Pros está com a senadora Rose de Freitas (MDB), candidata à reeleição da coligação do socialista.

"O Pros vai caminhar no movimento político do governador, junto com a Rose", cravou o presidente estadual.

"A Justiça toma decisão, depois a gente consegue reverter (...) Os candidatos nossos (ficaram) numa tensão danada, com medo de dar tudo errado, mas, graças a Deus, deu tudo certo", afirmou o prefeito de Ibatiba.

Isto é, se não houver outra reviravolta. O Pros é um partido pequeno, mas cheio delas. 

No Espírito Santo, num intervalo de poucos meses, a sigla já passou pelo palanque de Erick Musso (Republicanos), de Audifax Barcelos (Rede) – aliança que acabou desmentida por Pingo e Marcus Holanda – e se consolidou no bloco casagrandista.

O Pros tem candidato à Presidência da República, o coach Pablo Marçal.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.