ASSINE

Novo ciclone deve provocar temporais e ventos fortes no litoral do ES

O fenômeno deve ser observado já a partir desta quinta-feira (19) e, com ele, devem ocorrer pancadas fortes de chuvas e rajadas de vento intensas, que podem chegar até a 100 km/h, principalmente na faixa litorânea do Espírito Santo

Vitória
Publicado em 18/11/2020 às 10h11
Forte ventania e seus efeitos na Grande Vitória
Forte ventania e seus efeitos na Grande Vitória. Crédito: Ricardo Medeiros | GZ

Um novo ciclone deve se formar entre o litoral do Espírito Santo e Rio de Janeiro já a partir desta quinta-feira (19), segundo as análises climáticas do Instituto Climatempo. A formação de uma área de baixa pressão associada à frente fria que se desloca pelo Sudeste irá avançar em direção ao Nordeste do Brasil. Nesta região poderão ocorrer temporais associados a vento fortes.

Esse sistema de baixa pressão favorece a formação de nuvens carregadas, que com a passagem da frente fria provoca muita chuva no Rio de Janeiro, zona da mata mineira e no centro-sul do Espírito Santo entre os dias 18 e 20 de novembroRecentemente o Estado já passou por situação semelhante, mas com um ciclone subtropical.  

Com a presença da área de baixa pressão, o vento sopra intenso no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, entre os dias  19 e 20 de novembro, quinta e sexta-feira desta semana respectivamente, com rajadas entre 80 km/h e 100 km/h na faixa litorânea entre o Norte do Rio de Janeiro e Sul do Estado.

CICLOGÊNESE - A FORMAÇÃO DO CICLONE EXTRATROPICAL

De acordo com o Climatempo, na sexta-feira (20), a área de baixa pressão se afasta da costa e dá origem a um ciclone extratropical que atua no oceano ao largo do litoral capixaba e fluminense provocando vento moderado a forte nas praias do Espírito Santo, com rajadas entre 40 km/h e 60 km/h. No Litoral Norte do Rio de Janeiro, previsão de rajadas de até 40 km/h.

Ciclone
O ciclone extratropical deve se formar na área classificada como 1010hPa, entre o Rio e o ES. Crédito: Divulgação/Climatempo

Ainda na sexta-feira e no decorrer do sábado (21), o ciclone extratropical se afasta do Brasil em direção ao alto-mar e, no fim de semana, o vento diminui de intensidade.

SOBRE OS CICLONES

Existem ciclones classificados como tropicais, ciclones subtropicais e extratropicais. Todos eles são sistemas de baixa pressão atmosférica onde o ar se movimenta no sentido horário, no Hemisfério Sul, e no sentido anti-horário no Hemisfério Norte. Eles são associados a grandes áreas de nuvens carregadas que provocam chuvas intensas. A diferença de pressão atmosférica entre o centro do sistema e a porção mais externa aumenta a velocidade do vento.

Ciclone subtropical deve se afastar da costa do ES
No fim de outubro, o ciclone subtropical Mani se formou entre o litoral capixaba e fluminense. Crédito: Windy

Segundo o meteorologista do Climatempo, Luiz Gozzo, a principal diferença prática, para previsão do tempo, é que o ciclone extratropical possui regiões de frente fria e quente, causando padrões de tempo distintos nessas duas regiões. Os ciclones subtropical e tropical não têm frente fria associada. Os ciclones extratropicais estão, em geral, associados com as frentes frias.

Uma das diferenças mais importantes entre os ciclones tropicais, subtropicais e extratropicais é a temperatura no seu centro. Próximo da superfície, o centro dos ciclones extratropicais é mais frio do que atmosfera ao redor, já o centro dos ciclones subtropicais é mais quente do que a atmosfera ao redor. Isso deixa a atmosfera mais instável e aumenta as condições para ocorrência de tempestades severas.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.