ASSINE

Janeiro começa e termina quente: o que esperar para fevereiro no ES?

Meteorologista do Incaper afirma que não há expectativa de chuvas volumosas para o segundo mês de 2021, e as temperaturas devem continuar elevadas

Vitória
Publicado em 01/02/2021 às 15h35
Homem pegando sol na Praia da Costa, em Vila Velha
Homem pegando sol na Praia da Costa, em Vila Velha. Crédito: Ricardo Medeiros | Arquivo

Ao final do primeiro mês do ano, marcado por um calor maior do que o esperado mesmo para o verão, que perspectivas há para fevereiro? Sendo este um mês habitualmente de poucas chuvas, aparentemente o cenário seguirá pouco ou nada alterado. A previsão é de que este mês tenha temperatura média de 28°C nas regiões mais baixas e 26°C nas mais altas, como no caso da região Serrana do Espírito Santo.

Apesar de não parecerem temperaturas alarmantes, o meteorologista do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) Ivaniel Foro disse, em entrevista ao jornalista Fábio Botacin, para a CBN Vitória, que vários dias podem ter temperaturas que ultrapassam os 30°C. "Mesmo com a temperatura média abaixo dos 30, haverá dias que, sem dúvidas, ultrapassarão os 30 graus com certeza, inclusive na região Serrana", disse.

Além disso, para fevereiro, Foro afirmou que acredita que não haverá ainda chuvas volumosas, repetindo a dose do mês anterior. "Tivemos agora nossa reunião climática e fevereiro não tende a ser um mês com muita chuva. Já é naturalmente um mês com pouca chuva, com a característica do veranico, que é esta ausência de chuvas que se estende por mais de quatro dias seguidos e provoca sensação de dias mais quentes que não acabam. E em março geralmente temos as chuvas como sendo normais. Mas em fevereiro não temos expectativa de chuvas volumosas, e as temperaturas continuam elevadas", afirmou.

Segundo ele, as chuvas devem ficar dentro do nível normal ou até abaixo do que se espera para fevereiro. "Não teremos chuva para repor a que não caiu em janeiro. Isso indica tempo preocupante mais à frente, pois no meio do ano já há a tendência do tempo ser mais seco, o que acende um sinal de alerta. Nós no Incaper monitoramos as secas, e com base nos acumulados de chuva de dezembro e janeiro, estamos em estágio de seca fraca. O campo já começa a sofrer com o solo mais seco e isso pode trazer resultados negativos mais para frente em alguns setores", acrescentou.

JANEIRO

Além das altas temperaturas registradas no Estado neste mês de janeiro, de acordo com o Incaper, de maneira geral, todos os municípios do Espirito Santo estão com chuvas abaixo do normal para o mês de janeiro. Nos municípios que ocorreram chuva, os acumulados não foram suficientes para atingir nem a metade da média para Janeiro. Em outros municípios, não choveu um dia sequer durante o mês de janeiro.

Dentre os municípios que registraram menor índice de chuva, Vila Velha seguiu à frente, com apenas 7,9 milímetros em janeiro, o que representa o índice de 6,08% do esperado para o município no primeiro mês do ano. Em 2020, a título de comparação, foram registrados 236 milímetros de chuva no município canela-verde, o que foi considerado acima da média para janeiro.

A Capital capixaba vem em seguida ao município vizinho, com 13,8 milímetros de chuva registrados em janeiro de 2021, ou 10.62% do esperado. No ano passado, o município contou com 264 milímetros de chuva, valor acima da média esperada para o mês.

A pequena quantidade de chuva no Estado se justifica em virtude de o sistema de alta pressão atmosférica (ASAS), atuante sobre a região sudeste do país, ser normal neste período do ano. Porém, ele está persistindo por várias semanas, desde o final de dezembro de 2020.

Além de inibir a formação de nuvens, o sistema causa um “bloqueio na atmosfera” que dificulta o avanço das frentes frias e do ar polar na região Sudeste do Brasil. Com isto, de acordo com o Incaper, no Espírito Santo, não houve a formação das nuvens suficientes com potencial para provocar as chuvas volumosas de verão, que normalmente caem sobre o Estado no primeiro mês do ano.

ALTAS TEMPERATURAS

Em um mês de altas temperaturas e poucas chuvas em solo capixaba, com recordes de calor na primeira e na última semana, o município de Cachoeiro de Itapemirim, ao Sul do Estado, marcou o índice mais elevado: de 37,2°C nesta quinta-feira (28). Ecoporanga, ao Norte do Espírito Santo, não ficou muito atrás, o município registrou 37 °C no dia 8 de janeiro. Também no pódio, ficou o município de Alegre, com 36,5 °C ontem (28).

Nesta quinta-feira (28), também a Capital capixaba bateu o recorde de calor já registrado neste ano. De acordo com o Instituto Climatempo, a maior temperatura registrada em Vitória este ano era de 33,5° C, no dia 20 de janeiro. Na tarde de ontem (28), as estações de medição automática do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registraram 35,2 °C. Nesta sexta-feira (29), a expectativa é de manutenção por volta dos 35°C nos termômetros de Vitória.

Além das temperaturas, de acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), de maneira geral, todos os municípios do Espirito Santo estão com chuvas abaixo do normal para o mês de janeiro. Nos municípios que ocorreram chuva, os acumulados não foram suficientes para atingir nem a metade da média para Janeiro. Em outros municípios, não choveu nenhum dia sequer durante o mês de janeiro.

Isso se justifica em virtude de o sistema de alta pressão atmosférica (ASAS), atuante sobre a região sudeste do país, ser normal neste período do ano. Porém, ele está persistindo por várias semanas, desde o final de dezembro de 2020. Além de inibir a formação de nuvens, o sistema causa um “bloqueio na atmosfera” que dificulta o avanço das frentes frias e do ar polar na região Sudeste do Brasil. Com isto, de acordo com o Incaper, no Espírito Santo, não houve a formação das nuvens suficientes com potencial para provocar as chuvas volumosas de verão, que normalmente caem sobre o Estado no primeiro mês do ano.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.