ASSINE

Inverno no ES deve ser de tempo aberto e temperaturas amenas, diz Incaper

Meteorologistas do instituto explicam como será a estação para o capixaba; Frente fria com massa de ar polar vai contribuir para queda de temperatura

Publicado em 17/06/2020 às 19h15
Chuva e frio na Grande Vitória
De acordo com o instituto, chuva deve ser abaixo da média neste inverno. Crédito: Ricardo Medeiros

O capixaba tem ganhado neste mês uma amostra de como será o inverno no Espírito Santo, que começa oficialmente no sábado, às 18h43 do dia 20 de junho. Sob influência de uma frente fria, segundo o meteorologista Pedro Henrique Pantoja, tivemos nesta primeira quinzena do mês uma ideia de como será a estação no Estado.

"O inverno no Espírito Santo será de tempo aberto e temperaturas não tão elevadas. A chegada de algumas frentes frias ocasionou um volume considerável de chuva para o período, principalmente na Grande Vitória — mas isso era algo previsto dentro das previsões", explicou o meteorologista do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

Em entrevista à Rádio CBN Vitória (92,5 FM) nesta quarta-feira (17), o profissional frisou que o principal sistema meteorológico atuante nesta época do ano é justamente a frente fria e que, no inverno, elas passam a ter mais força, o que acaba fazendo a temperatura "despencar".

Pedro Henrique Pantoja

Meteorologista do Incaper

"Quando a frente fria chega, o dia fica coberto de nuvens. Assim que a nebulosidade diminui, temos as noites mais frias. Sempre depois da passagem das frentes frias"

O fenômeno meteorológico ainda deve atuar no Estado até esta quinta-feira (18), segundo Pedro Henrique. A partir de sexta-feira (19), o tempo volta a ficar aberto — e aí deve acontecer a queda das temperaturas mínimas principalmente à noite.

NEVOEIROS E UMIDADE

Outro fenômeno típico do inverno é a formação de nevoeiros, que devem acontecer, de acordo com o meteorologista, no início do dia e no fim da noite. O que também é típico da estação é a queda da umidade relativa do ar, que deve ficar abaixo de 30% e favorecer incêndios.

"É natural no período da tarde, principalmente a interação com a brisa, com os ventos mais fortes. Mas esta não é uma época para ventos tão fortes se comparado com o verão", destacou o profissional.

INVERNO = CHUVA?

Pedro Henrique revela que geralmente, em junho, é esperado que chova em torno de 60 milímetros em todo o mês. "Já nesse mês, chegou a chover 110mm em 48 horas, o dobro do que esperado para o mês todo. Esse valor de 60mm é uma média, um estudo feito de 30 anos", explicou.

O meteorologista afirma que a passagem de uma frente fria acaba ocasionando chuvas mal localizadas, que pode ocasionar nesses grandes acumulados de precipitação. Portanto, a temperatura máxima deve chegar a 27ºC na Grande Vitória e a mínima de 20ºC.

De acordo com o meteorologista Hugo Ramos, do Incaper, este mês já tivemos uma chuva acima do normal, o que não vai ser frequente na estação. "Essa época agora é a época menos quente, mais fria, e menos chuvosa. Ainda têm algumas chuvas, mas também é menos chuvosa", completou.

Hugo Ramos

Meteorologista do Incaper

"Temos um acompanhamento de um perfil de temperatura característico desse inverno. Passagem de frente fria com massa de ar polar vai contribuir muito para queda de temperatura. Mas também teremos dias de tempo aberto, sem chuva, com altas temperaturas. De modo geral, do ponto de vista climático, ele vai ter um comportamento normal. "

CURIOSIDADES

Em uma live no Instagram, Ramos explicou que, no solstício de inverno, que começa em junho e termina em setembro, as noites têm mais duração em relação ao período do dia, e que o céu ganha um tom azulado e avermelhado, efeitos de acordo com espalhamento dos raios solares.

O meteorologista explica que a análise da estação tem dois pontos de vista: pelos critérios astronômicos e pelos critérios climatológicos.

  1. Astronômico: é mencionado pela hora e data. O Sol, eixo da Terra, tem uma certa inclinação em relação ao plano do Sol, em que raios solares acabam incidindo sobre a Terra. Em razão aos diversos movimentos da Terra em relação ao Sol, temos um aumento e diminuição de energia — de acordo com evolução e corrida anual da disposição da energia solar nos hemisférios.
  2. Climatológico: é de acordo com o comportamento anual da chuva e temperatura, que são as principais variáveis. No processo de contabilidade climatológica, quando estudamos, definimos as épocas que mais e menos chovem, que tem bastante e pouco calor. Quando fazemos essa contabilidade, determinamos os meses quentes e úmidos, frios e secos.

Hugo Ramos

Meteorologista do Incaper

"Teremos um período de inverno um pouco diferente nesta pandemia. Não teremos liberdade de circular pelo Estado e fazer tudo que a gente gosta. Mas, se Deus quiser, no próximo ano vamos comemorar o inverno com bastante chocolate quente nas montanhas"

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.