ASSINE

Rodrigo Maia diz que Alvim passou dos limites e pede afastamento

O presidente da Câmara pediu que o governo de Bolsonaro afaste o secretário da Cultura. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, também repudiou a fala de Roberto Alvim

Publicado em 17/01/2020 às 10h23
Atualizado em 17/01/2020 às 14h33
Rodrigo Maia pediu que o governo de Bolsonaro afaste o secretário da Cultura. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Rodrigo Maia pediu que o governo de Bolsonaro afaste o secretário da Cultura. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu nesta sexta-feira (17), que o governo de Jair Bolsonaro afaste o secretário da Cultura, Roberto Alvim. O pedido vem após divulgação de vídeo oficial em que Alvim parafraseia trechos de discurso de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda na Alemanha nazista.

"O secretário da Cultura passou de todos os limites. É inaceitável. O governo brasileiro deveria afastá-lo urgente do cargo", afirmou Maia nas redes sociais. 

O vídeo de Alvim foi postado pela Secretaria Especial de Cultura para divulgar o Prêmio Nacional das Artes. A similaridade entre o discurso de Alvim e um pronunciamento de Goebbels levou a uma forte reação negativa nas redes sociais. 

"A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada", disse o ministro de cultura e comunicação de Hitler em um pronunciamento para diretores de teatro, segundo o livro "Goebbels: a Biography", de Peter Longerich. 

"A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada", afirmou Alvim no vídeo postado nas redes sociais.

ALCOLUMBRE

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), também manifestou repúdio às declarações do secretário especial da Cultura, Roberto Alvim. "Como primeiro presidente judeu do Congresso Nacional, manifesto veementemente meu total repúdio a essa atitude e peço seu afastamento imediato do cargo", afirmou Alcolumbre em nota.

Em viagem no interior do Amapá, Alcolumbre relatou ter tido "desprazer" de assistir ao vídeo de Alvim, ao qual classificou como "acintoso, descabido e infeliz pronunciamento de assombrosa inspiração nazista do secretário de Cultura Roberto Alvim, do governo federal."

A nota de Alcolumbre condenou as referências usadas pelo secretário no discurso. "É totalmente inadmissível, nos tempos atuais, termos representantes com esse tipo de pensamento. E, pior ainda: que se valha do cargo que eventualmente ocupa para explicitar simpatia pela ideologia nazista e, absurdo dos absurdos, repita ideias do ministro da Informação e Propaganda de Adolf Hitler, que infligiu o maior flagelo à humanidade."

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
Brasil Rodrigo Maia brasil cultura

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.