ASSINE

MS diz que quantidade de testes para Covid-19 feita no país não é ideal

A taxa de testagem é de 4,2 mil a cada milhão de habitantes, quantidade que a pasta admitiu não ser suficiente

Publicado em 27/05/2020 às 07h41
Atualizado em 27/05/2020 às 07h41
Profissionais de saúde fazem testes por amostragem para saber qual a proporção de contaminados no Estado. O primeiro bairro de Vitória foi Jardim Camburi
Profissionais de saúde fazem testes por amostragem para saber qual a proporção de contaminados no Espírito Santo. Crédito: Ricardo Medeiros

Brasil realizou até o momento 871,8 mil testes para o novo coronavírus, afirmou o Ministério da Saúde nesta terça-feira (26). Os laboratórios públicos são responsáveis por 460,1 mil testes realizados, e os cinco grande laboratórios particulares, pelos outros 411,7 mil. 

Os testes realizados são do tipo RT-PCR, método que identifica o coronavírus em até sete dias do início dos sintomas, período em que o vírus ainda está agindo no organismo do paciente.

"Estamos testando em uma quantidade não ideal para o tamanho, magnitude e dinâmica do Brasil, mas é melhor do que nos meses anteriores", afirmou o secretário substituto de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Eduardo Macário. Em março, no começo da pandemia no país, a média semanal de testagem era de 8,7 mil. Atualmente, é de 46,1 mil.

O número, porém, ainda é bem distante dos 46 milhões almejados pela pasta ainda para este ano. No último dia 6, o ministério lançou o Programa Diagnosticar para Cuidar, cujo intuito era ampliar a testagem até atingir 22% da população.

O governo comprou 13,9 milhões de RT-PCR, recebeu 4,7 milhões e repassou 3,1 milhões aos laboratórios públicos, ainda de acordo com informações divulgadas nesta terça-feira. Com isso, ainda há 9,1 milhões a serem entregues pelos fornecedores ao Ministério da Saúde. Sobre isso, Macário justificou que a capacidade de produção dos laboratórios não é imediata e que a maioria dos produtos é importado, neste momento em que há problema no transporte internacional. "Mas está dentro da nossa programação."

Mais de 3,7 mil óbitos estão em investigação para saber se foram por conta da covid-19 e aguardam o resultado de exames.

O Brasil registrou 1.039 novas mortes causadas pela Covid-19 nas últimas 24 horas, o que aumentou o total de óbitos pela doença para 24.512 no país. De segunda (25) para terça (26), 16.324 novos casos de infecção pelo novo coronavírus foram registrados e agora já são 391.222 pessoas contaminadas. Do total de óbitos confirmados, somente 284 ocorreram nos últimos três dias. O restante aconteceu em período anterior, mas só teve agora a confirmação. O ministério informou que outros 3.882 óbitos estão em investigação por suspeita de Covid-19.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.