ASSINE

Bolsonaro faz 2 exames por dia para monitorar efeitos da hidroxicloroquina

Avaliar o funcionamento do coração é uma recomendação da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) para pacientes que usam o medicamento para tratamento da Covid-19

Publicado em 09/07/2020 às 10h21
Em vídeo publicado no Facebook, Bolsonaro usa e recomenda hidroxicloroquina
Em vídeo publicado no Facebook, Bolsonaro usa e recomenda hidroxicloroquina. Crédito: Facebook/Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está passando por exames de eletrocardiograma duas vezes por dia para monitorar a frequência cardíaca, de acordo com fontes do governo federal, ouvidas pelo jornal O Globo. A medida está sendo tomada desde que ele foi diagnosticado com a Covid-19. A avaliação do funcionamento do coração é uma recomendação da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) para pacientes que utilizam a hidroxicloroquina no tratamento do novo coronavírus, como é o caso de Bolsonaro.

O medicamento não tem eficácia comprovada contra a doença e pode ter efeitos colaterais, de acordo com organizações internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS). A Food and Drug Administration (FDA), agência federal do Departamento de Saúde dos Estados Unidos, revogou a utilização emergencial da cloroquina nos casos de Covid-19 no país

O monitoramento do coração do presidente vai além do que é recomendado pela SBC. A entidade diz que devem ser realizados exames nos primeiro, terceiro e quinto dias do tratamento com a hidroxicloroquina. 

Bolsonaro tem acompanhamento médico diário. Conforme o próprio presidente afirmou na terça-feira (7), há uma equipe médica disponível no Palácio da Alvorada para ele, familiares e funcionários que trabalham no local. 

Bolsonaro informou na terça que sentiu os primeiros sintomas. No domingo (5) fez uma tomografia, que não apontou comprometimento dos pulmões. Na segunda-feira (6), fez o exame, que atestou que ele está com o novo coronavírus. 

Ainda de acordo com o Globo, integrantes do governo relataram que quatro funcionários que trabalham no terceiro andar do Palácio do Planalto, onde Bolsonaro despacha, também estão com suspeitas de Covid-19 e estão afastados do trabalho. O presidente está isolado no Palácio da Alvorada e cumpre agendas por videoconferências. 

CONTATO COM O PRESIDENTE

Ministério da Saúde afirmou que a recomendação é que as pessoas que tiverem contato com o presidente busquem atendimento médico. "A nossa orientação é a de que qualquer pessoa que tenha contato com caso confirmado deva procurar uma unidade de saúde", disse o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia, nesta quarta-feira (8). 

O Palácio do Planalto, contudo, não recomenda quarentena de pessoas que tiveram "simples contato" com o presidente. A OMS, ao contrário, diz que é recomendável ficar em casa caso more com alguém infectado ou quem esteve a menos de um metro de um paciente com a doença. 

No domingo, Bolsonaro esteve em almoço na casa do embaixador dos Estados Unidos, sem  máscara. Também se encontrou com representantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na sexta-feira (3). 

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.