ASSINE

Após Bolsonaro cancelar, Lula se encontra com presidente de Portugal

De acordo com pessoas próximas ao ex-presidente, os dois trataram de temas econômicos, sociais e ambientais. A conversa, em uma casa no bairro dos Jardins, em São Paulo durou pouco mais de uma hora

Tempo de leitura: 4min
Publicado em 03/07/2022 às 12h43
O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo, com o ex-presidente Lula neste domingo (3)
O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo, com o ex-presidente Lula neste domingo (3). Crédito: Ricardo Stuckert

FLÁVIA MANTOVANI

SÃO PAULO - O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, se reuniu neste domingo (3) com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em São Paulo. Ele tinha ainda um encontro marcado com o presidente Jair Bolsonaro (PL) para esta segunda-feira (4), mas foi desmarcado.

O presidente brasileiro se irritou com a agenda do português com Lula, seu principal adversário nas eleições, e decidiu cancelar toda a programação. Ainda hoje, Rebelo deverá se encontrar com o ex-presidente Michel Temer (MDB).

De acordo com pessoas próximas ao ex-presidente, os dois trataram de temas econômicos, sociais e ambientais. A conversa, em uma casa no bairro dos Jardins, em São Paulo durou pouco mais de uma hora.

O encontro irritou Bolsonaro mesmo de antes de ocorrer. Na última sexta (1º), o presidente confirmou à CNN Brasil o cancelamento da agenda devido à reunião de Rebelo com o petista.

"Resolvi cancelar o almoço que ele teria comigo, bem como toda a programação. Ele [Rebelo de Sousa] teria uma reunião com Lula", afirmou o presidente.

Rebelo de Sousa minimizou o ocorrido em entrevista ontem (2) a jornalistas portugueses. Ele disse não haver "incidente diplomático".

No ano passado, o presidente português visitou o Brasil para o evento de reinauguração do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, fechado após um incêndio destruir o local.

Na ocasião, as redes de televisão de Portugal destacaram o desencontro entre os dois chefes de Estados: a TVI, por exemplo, observou que, enquanto o português participava do evento, Bolsonaro estava, ao lado de apoiadores, em uma motociata em Presidente Prudente (SP).

O presidente Jair Bolsonaro participa de evento no Palácio do Planalto
O presidente Jair Bolsonaro cancelou agenda com presidente português. Crédito: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

PRESIDENTE PORTUGUÊS NÃO SABE SE REUNIÃO COM BOLSONARO SERÁ MANTIDA

Após se encontrar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em São Paulo, o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, disse que ainda não sabe se o líder brasileiro Jair Bolsonaro (PL) vai manter a reunião marcada com ele para a segunda-feira (4) em Brasília.

Apesar de Bolsonaro ter dito na sexta (1) que iria cancelar o encontro após saber que Rebelo se encontraria com Lula, oficialmente a comitiva portuguesa não foi comunicada sobre um cancelamento e o evento continua na agenda. Rebelo afirmou que se não receber uma confirmação sobre o encontro na tarde deste domingo (3), partirá para um "plano B" e ficará por mais um dia em São Paulo.

"Houve um convite escrito, aceitei por escrito. Vou ficar no programa originário. Se até o começo da tarde não houver confirmação por escrito, fico por São Paulo", afirmou.

O presidente português negou, porém, que o episódio tenha gerado um incidente diplomático entre os dois países. "Eu diria, como chefe de Estado, que não alterou nada nem no meu relacionamento com o chefe de Estado brasileiro, nem do Estado português com o Estado brasileiro nem no relacionamento entre o povo português e o povo brasileiro", disse à imprensa, após o encontro.

Rebelo afirmou que não tratou do tema com Lula nem sobre a campanha eleitoral brasileira. Segundo ele, os dois conversaram sobre a Guerra da Ucrânia e seus impactos sobre o mundo e a América Latina.

Após o encontro com Lula, Rebelo iria visitar a Bienal do Livro e, no começo da tarde, se encontraria com o ex-presidente Michel Temer (MDB).

Antes de embarcar para o Brasil, no aeroporto de Lisboa, logo após Bolsonaro dizer que desistiria do almoço com Rebelo, o líder luso havia afirmado que "não vale perder um segundo com um almoço quando há amizade entre os povos". "O que importa é a amizade entre os povos, não a ligação entre os políticos", disse à imprensa, minutos antes de embarcar para a celebração do centenário do primeiro voo transatlântico Portugal-Brasil.

"Quem convida é quem pode decidir se mantém ou não o almoço", afirmou Rebelo, que não descartou um novo almoço com Bolsonaro "daqui a alguns meses, meio ano".

O líder brasileiro confirmou à CNN Brasil que a mudança de planos ocorreu devido a uma agenda que Rebelo teria com Lula, adversário de Bolsonaro nas eleições.

Como presidente, Rebelo é chefe de Estado em Portugal. O comando de governo é exercido pelo primeiro-ministro, o socialista António Costa. Trata-se da segunda vez que Rebelo vem ao Brasil em menos de um ano -em julho de 2021, ele participou da reabertura do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo.

Apesar de Portugal manter importantes laços econômicos, sociais e culturais com o Brasil, as relações entre os líderes dos dois países mantiveram-se distantes durante a gestão Bolsonaro. O presidente brasileiro, por exemplo, até o momento não visitou Portugal durante seu mandato -ao contrário de todos os líderes desde a redemocratização, com exceção de Itamar Franco.

A passagem anterior de Rebelo ocorreu num período agudo da pandemia, e o encontro repercutiu na imprensa portuguesa pela diferença de comportamento das duas delegações. O líder português e seus assessores chegaram ao Palácio da Alvorada usando máscaras, enquanto Bolsonaro dispensou o item.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.