ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:

Para ficar de olho: 4 marcas capixabas que trazem criações autorais

Elas apostam no consumo consciente e em peças que prezam pelo conforto, pela durabilidade e pela versatilidade

Vitória
Publicado em 28/10/2020 às 19h23
Atualizado em 29/10/2020 às 13h51
Coleção Ray Maffei
Estampas exclusivas, conforto e peças autorais são características das marcas capixabas. Crédito: Divulgação

A moda sempre apresenta novidades. E quem está de olho, principalmente no Instagram, já deve ter percebido que não param de surgir novas marcas capixabas. Elas apostam no consumo consciente e em peças que prezam pelo conforto, pela durabilidade e pela versatilidade.  Uma delas é a Bumi (@estilo.bumi). A marca surgiu em junho de 2019, após uma temporada de 2 anos de Bethânia Fonseca, 31 anos, na Austrália. "A vontade de ter uma marca de moda sempre existiu, mas antes de me mudar para o exterior eu era muito insegura e, por isso, fui postergando esse sonho. Durante esses dois anos, acabei me apaixonando completamente pelo estilo de vida dos australianos que é fácil, confortável, básico e lindo", diz.

Coleção Bumi
Na Bumi, peças atemporais são traduzidas em vestidos assimétricos, modelagens mais largas, atemporais, prezando sempre pelo conforto. Crédito: Manuella Cascaes Secco

De volta ao Brasil e com toda a segurança, a designer de moda decidiu que era o momento de investir na própria marca. "Foi a partir desse momento que comecei a tentar traduzir para as minhas criações o lifestyle australiano com a minha personalidade, e ainda com uma pitada de brasilidade. A Austrália e o Brasil tem tudo a ver".

Coleção Bumi
As peças da Bumi são feitas em linho, viscose e algodão. Crédito: Divulgação

As peças atemporais e confortáveis são traduzidas em vestidos assimétricos, modelagens mais largas, atemporais, prezando sempre o conforto. Bethânia gosta de trabalhar com tecidos como linho, viscose e algodão. "Não trabalhamos com a sazonalidade padrão. Desenvolvemos mini-coleções aproveitando melhor o calendário e apresentando novidades praticamente a cada mês". Ela explica que o nome da marca significa planeta terra em Indonésio. "Neste tempo em que morei na Austrália fiz duas longas viagens para Bali, um lugar pelo qual me apaixonei bastante. Só quem já foi sabe o quanto é mágico e especial. Também busco muitas inspirações por lá".

PEÇAS COLORIDAS

Ter uma vida autêntica, colorida e leve. Essa é a proposta da Ray Maffei (@lojaraymaffei), que existe há dois anos. Rayanne Maffei Loureiro, 30 anos,  é a dona da marca e sempre esteve envolvida no mundo criativo, seja com desenhos, pinturas ou fotografias. Se formou em arquitetura e acabou entrando para o mundo da moda. "Quando trabalhava com projetos de arquitetura, vi um espaço para desenvolver papéis de parede, principalmente infantis. A partir de então entrei na estamparia e não saí mais. Uma tia me pediu para desenvolver algumas cangas. Foi assim que entrei nesse universo", conta. A produção das cangas se transformou em outras peças de vestuário.

Coleção Ray Maffei
A Ray Maffei cria cangas, pareôs, bodies, t-shirts e quimonos sempre com estampas exclusivas. Crédito: Divulgação

Cangas, pareôs, bodies, t-shirts e quimonos. A marca registrada de Ray são roupas leves, coloridas e confortáveis, que vão da praia à cidade. "As estampas são todas criadas por mim. Já as peças são desenhadas por modelistas, tanto da empresa que desenvolve as roupas, quanto por costureiras parceiras. Mas sempre com o meu acompanhamento e olhar criativo", conta Rayanne.

Coleção Ray Maffei
As t-shirts, sempre coloridas e com frases criativas, são um sucesso. Crédito: Divulgação

As t-shirts, sempre coloridas e com frases criativas, são um sucesso. "Gosto de uma criação livre, pra que eu possa explorar técnicas diferentes, como aquarela, caneta hidrográfica, ilustração digital, entre outras. É essa liberdade e diversidade criativa que me encanta", conta a estilista.

TINGIMENTO NATURAL

Euzane Serafim, de 33 anos, tem na ponta da língua a proposta da Flor do Mato (@useflordomato). "É resgatar o real valor das roupas, evitar o descarte incorreto e o consumismo excessivo. Deixamos sempre bem claro qual é a história por trás daquela peça de roupa, quem produziu, quais as condições em que ela foi feita e qual é o impacto que ela causa no meio ambiente".

Coleção Flor do Mato
Todas as peças da Flor do Mato passam pelo processo de tingimento natural, utilizando cascas de árvores, raízes, flores, folhas e sementes. Crédito: Divulgação

A marca se autodenomina slow fashion, movimento que propõe um modelo de produção que valoriza quem faz, os processos, além de respeitar o tempo real de produção e a cultura local. "Ele se contrapõe com o modelo do fast-fashion, que para vender maior quantidade em um curto período incentiva uma rápida produção em grande escala, geralmente sem valorizar processos, saberes locais e até desrespeitando o meio ambiente e as pessoas. Na Flor do Mato pensamos em cada processo, em quem está por trás do passo-a-passo e os materiais que usamos são duráveis", diz.

Coleção Flor do Mato
A marca se autodenomina slow fashion, propõe um modelo de produção que valoriza quem faz, os processos e o tempo real de produção . Crédito: Divulgação

É a Euzane que faz todos os processos da marca, desde modelar, costurar, tingir, até a venda. "Estudei costura no Senac e comecei um curso Técnico de Modelagem do Vestuário para entender melhor todo o processo de produção. Também estudei Produção de Moda para aplicar os conhecimentos na marca em forma de ensaios, editoriais e todo tipo de composição". Todas as peças passam pelo processo de tingimento natural, utilizando cascas de árvores, raízes, flores, folhas e sementes. "A prática do tingimento natural é muito parecida com cozinhar, então é preciso certa dose de vontade, paciência e dedicação". Entre as peças que mais fazem sucesso estão o macacão saruel Lírio e o vestido em camadas Raio de sol.

PEÇA VERSÁTIL

A Guará (@guara.co), que surgiu em 2018, é uma marca que produz croppeds. "Nosso maior foco é nessa peça minimalista. Mas nossas ideias vão muito além, queremos diversificar e produzir acessórios que sejam versáteis e úteis no dia a dia das mulheres", conta Briany Brau Moraes, 28 anos.

Coleção Guará
A Guará é uma marca focada em produzir croppeds. Crédito: Divulgação

Ela explica que a peça é versátil pois pode ser usada a qualquer hora do dia e em qualquer situação. "A maioria dos nossos tops possuem mais de um jeito de usar, sendo este requisito muito importante, pois ao invés de comprar mais de uma peça, você adquire uma que pode ser usada de vários jeitos diferentes. É a peça perfeita para fazer combinações", diz.

Coleção Guará
A maioria dos tops possuem mais de um jeito de usar. Crédito: Divulgação

Com venda para todo Brasil e pontos de vendas em Caraíva -  e, em breve, em Búzios e Macaé - a marca tem como maior sucesso top Cipó, devido à versatilidade de usar amarrações de várias maneiras. "Além de valorizar o busto e garantir conforto e sustentabilidade para o dia a dia", diz Briany.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Moda

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.