ASSINE

Economia nos EUA corta 20,5 milhões de empregos em abril

A taxa de desemprego bate recorde sendo a mais alta desde a Grande Depressão de 1929

Publicado em 08/05/2020 às 11h33
Atualizado em 08/05/2020 às 11h33
ATENÇÃO: Imagem cadastrada para a Especial de Economia - Coronavírus tem afetado as finanças de todo o mundo
Coronavírus tem afetado as finanças de todo o mundo. Crédito: Etajoe/Shitterstock

Os Estados Unidos cortaram 20,5 milhões de empregos em abril, evidenciando o forte impacto da pandemia de coronavírus na maior economia do mundo, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta sexta-feira (8) pelo Departamento do Trabalho. A taxa de desemprego saltou de 4,4% em março para 14,7% em abril. Trata-se da taxa mais alta desde a Grande Depressão de 1929.

Os números de postos de trabalho dos dois meses anteriores foram revisados: o de março, de corte de 701 mil para eliminação de 870 mil, e o de fevereiro, de geração de 275 mil para criação de 230 mil de postos.

O salário médio por hora dos trabalhadores aumentou 4,85% em abril ante março, ou US$ 1,34, para US$ 30,01 por hora. Na comparação anual, o acréscimo foi de 8%. Analistas esperavam ganhos bem menores, de 0,20% na comparação mensal e de 2,9% no confronto anual.

Este vídeo pode te interessar

Apenas o setor privado dos EUA eliminou 19,52 milhões de empregos em abril, enquanto o governo cortou 980 mil vagas.

Já a fatia da população dos EUA que participa da força de trabalho recuou de 62,7% em março para 60,2% em abril.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.