ASSINE

Leitor questiona: como anda a vacinação de moradores de rua no ES?

A Gazeta estreia seção que pretende responder dúvidas dos leitores que surgem em nossos canais de comunicação.  Até o momento, 775 pessoas em situação de rua foram imunizadas no Estado; veja situação nas cidades da Grande Vitória

Publicado em 12/07/2021 às 13h56
Comprovante de vacinação
Comprovante de vacinação da Covid-19. Crédito: Carlos Alberto Silva

A vacinação de pessoas em situação de rua no Espírito Santo começou em 27 de maio, em um ato simbólico no Palácio Anchieta. De lá para cá, os municípios capixabas ficaram a cargo de tocar a imunização dessa parcela da população, considerada de extrema vulnerabilidade.

Nos canais de comunicação de A Gazeta, muitos leitores têm perguntando como tem caminhado esse trabalho no Estado. É o caso de Paulo Gefron, que escreveu: "Como farão esta vacinação, uma vez que eles não utilizam internet. São pessoas igual a todos nós". 

A reportagem ouviu o governo do Estado e prefeituras da Grande Vitória para responder as principais perguntas sobre o assunto e estreia, nesta segunda-feira (5), a seção Leitor Questiona. O objetivo é tirar dúvidas da audiência sobre temas relevantes, que surgem em nossos canais de contato, sobretudo nas redes sociais. 

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), até o momento 775 pessoas em situação de rua foram imunizadas em todo o Espírito Santo. Em maio, a expectativa da pasta era de que 2.462 pessoas fossem vacinadas com uma porcentagem de doses da reserva técnica das remessas encaminhadas pelo Ministério da Saúde ao Estado.

Este vídeo pode te interessar

A secretaria esclarece ainda que o monitoramento dessa população é feito pelo município e ressalta que todas as pessoas em situação de rua que apresentem quadro de síndrome gripal são igualmente atendidas dentro do Protocolo da Covid-19.

As prefeituras de VitóriaVila VelhaSerraCariacicaVianaLinhares Colatina foram demandadas pela reportagem a respeito do andamento da vacinação dessa parcela da população. As duas últimas não responderam desde a quarta-feira da semana passada (7), até a publicação deste texto. As perguntas feitas foram as seguintes:

  • Quando a prefeitura iniciou a vacinação de pessoas em situação de rua?
  • Quantas pessoas desse público-alvo a prefeitura estima que vai vacinar?
  • Quantas pessoas em situação de rua já foram vacinadas até o momento?
  • Quais as estratégias que a prefeitura tem adotado para localizar e vacinar essa parcela da população? Há busca ativa? Há trabalho de quais secretarias envolvidas? 
  • Tem sido necessário algum trabalho de conscientização/ explicação sobre o coronavírus e a importância da vacina?
  • Onde é feita a vacinação? Há algum posto móvel ou as pessoas são levadas a unidades de saúde?
  • Como será feito o controle para aplicação da segunda dose?

Até o momento, Vitória e Vila Velha foram as cidades que mais vacinaram moradores de rua, com um total de 304 e 187 pessoas atentidas, respectivamente. No entanto, os municípios não esclareceram qual a estimativa de pessoas que pretendem vacinar, no total. Vila Velha também não informou quantas, das 187 pessoas imunizadas, já receberam a segunda dose. Este texto será atualizado caso as demandas sejam respondidas. Em Viana, há apenas um morador de rua, já imunizado com a primeira dose.

Em Cariacica, das 132 pessoas desse público-alvo que a prefeitura espera vacinar, 30 já foram imunizadas até o momento. Já na Serra, 40 já receberam pelo menos uma aplicação das doses e, nesta semana, a prefeitura pretende abrir três dias de imunização no Centro Pop de Jardim Limoeiro, onde cerca de 200 pessoas são atendidas.

Confira abaixo a situação em cada uma das cidades que responderam às dúvidas dos leitores:

SERRA

A Secretaria da Saúde da cidade deu início à vacinação de pessoas em situação de rua em junho, após o recebimento de 380 doses de vacina contra a Covid-19 voltadas para essa parcela da população. Equipes da pasta foram aos dois abrigos transitórios da cidade, em Jacaraípe e em Jardim Limoeiro, e vacinaram cerca de 40 pessoas com a primeira dose. 

Também providenciaram a vacinação das outras cinco que estavam com a vacinação de D2 já atrasadas. As equipes técnicas da Secretaria da Saúde acompanham o prazo para a segunda dose dos vacinados nesta primeira ação e, quando a data chegar, vão voltar aos abrigos.

Nesta semana, a prefeitura estuda abrir um ponto de vacinação no Centro Pop, em Jardim Limoeiro, com três dias de aplicação de doses, entre 8h e 16h, para dar prosseguimento ao trabalho. De acordo com levantamento feito pelas equipes da Assistência Social do município, cerca de 200 pessoas estão cadastradas nesse centro de convivência, ou seja, acessaram em algum momento o local para tomar banho, fazer refeições ou participar de cursos. Com essa estimativa, a Serra pretende vacinar esse público cadastrado, além da demanda espontânea.

“Intensificando a cobertura de vacinação contra a Covid-19 da população em situação de rua, o município organiza novas estratégias, que inclui o Centro Pop. Lá provavelmente haverá um número maior de pessoas que ainda não foram vacinadas e, com isso, poderemos atingir a meta esperada”, diz a secretária de Saúde da Serra, Bernadete Coelho.

CARIACICA

A vacinação de pessoas em situação de rua em Cariacica começou em 18 de maio, dias antes do ato simbólico no Palácio Anchieta. Das 132 pessoas desse público-alvo que a prefeitura estima que vai vacinar, 30 já foram imunizadas até o momento. A aplicação das doses é feita na própria rua, no local onde a pessoa se encontra, e também no Serviço de Acolhimento Institucional voltado para esse público.

A administração do município explica que são realizados monitoramentos diários na cidade, pela equipe multiprofissional do Serviço Especializado em Abordagem Social, que identifica as pessoas a serem imunizadas e realiza o trabalho de conscientização. Então, a Vigilância Epidemiológica, junto com a Secretaria Municipal de Assistência Social, organiza o envio das doses. O controle para a segunda aplicação, diz a nota enviada pela prefeitura, é feito por meio das orientações realizadas pela equipe que monitora a cidade.

VITÓRIA

Na Capital, 304 pessoas em situação de rua foram vacinadas até o momento. Desse número, 65 já estão totalmente imunizadas. A prefeitura, no entanto, não informou qual é quantidade de moradores de rua que estima imunizar, no total, nem como são feitas as abordagens e o controle da imunização.

Por nota, a administração do município acrescentou que a vacinação contra a Covid-19 entre as pessoas em situação de rua começou pelos mais velhos e pessoas com comorbidades, de acordo com as autorizações publicadas pela Sesa, e que a ação "foi ampliada a toda essa população no mesmo dia em que o Estado autorizou a imunização desse público, com a CIB 83, no dia 26/05".

VILA VELHA

No município canela-verde, 187 pessoas em situação de rua foram vacinadas até o momento. Da mesma forma que as outras prefeituras, a administração de Vila Velha foi demandada sobre quantas pessoas desse público-alvo estima que vai vacinar, mas o dado não foi informado. Também não foi revelado como é feito o controle para a segunda aplicação, nem quantas pessoas, das 187 imunizadas, receberam a dose de reforço.

Por nota, a Prefeitura de Vila Velha afirmou que a imunização da população de rua começou assim que foi iniciada a vacinação para a faixa etária de 60 anos, no Centro Pop. "Nas abordagens realizadas pelo Consultório de Rua e Abordagem Social, os moradores estão sendo orientados sobre a pandemia e a vacina, além da distribuição de máscaras e álcool em gel", diz o texto. 

VIANA

Apenas uma pessoa em situação de rua, um homem, foi identificado pela prefeitura, por meio das secretarias de Saúde e de Trabalho e Desenvolvimento Social. Ele não participou no programa Viana Vacinada, que utilizou a dose ajustada da AstraZeneca. Por nota, a administração detalhou que a primeira aplicação aconteceu no dia 22 de junho, com a dose padrão, conforme a orientação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e as determinações do Plano Nacional de Imunização (PNI), tendo em vista que o morador pertence a grupo prioritário. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.