ASSINE

Investimento em imóveis comerciais ainda pode ser um bom negócio

Especialistas afirmam que, mesmo com o crescimento do home office, as unidades têm demanda perene; profissionais como médicos e dentistas, por exemplo, sempre vão precisar de espaço físico para trabalhar

Publicado em 29/12/2020 às 15h51
Atualizado em 29/12/2020 às 15h51
Pandemia mudou formas de trabalho
Segundo especialistas, mesmo com as mudanças na forma de trabalho, como a adesão ao home office, salas comerciais continuam sendo uma boa opção de investimento a médio e longo prazo. Crédito: Pixabay

O mundo pós-pandemia, de fato, não será o mesmo. Alguns empresários adotaram o sistema de home office e e-commerce, abrindo mão do espaço físico de escritórios e lojas. Quem aplica dinheiro em salas comerciais fica apreensivo para saber se ainda vale a pena e como será o futuro após o coronavírus. Mas especialistas do mercado imobiliário capixaba tranquilizam os investidores e apontam quais as tendências para o segmento.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-ES), Paulo Baraona, afirma que certas mudanças já eram esperadas devido ao avanço da tecnologia, como a adesão ao e-commerce. Mas, de acordo com ele, algumas profissões continuarão necessitando de espaço físico. “Serviços médicos e odontológicos, por exemplo, ainda terão consultórios, isso é impossível substituir. Por isso, salas comerciais ainda têm seu lugar no mercado.”

Contudo, a gestão de muitas empresas será modificada e, na visão de Baraona, isso impacta a construção civil.

Paulo Baraona

Presidente do Sinduscon-ES

"O tamanho dessas unidades deve diminuir. Com o crescimento do trabalho remoto, menos gente terá que se deslocar até o espaço físico, apesar de ele existir"
Consultório odontológico
Consultório odontológico é um dos serviços que necessita de salas comerciais para atendimento. Crédito: Photo Angel/ Freepik

O presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-ES), Sandro Carlesso, concorda que ainda é difícil tirar conclusões sobre o futuro, mas acrescenta que investir no mercado imobiliário é sempre positivo. “Imóveis sempre são um investimento seguro de médio e longo prazo que não tem desvalorização. Passamos um tempo sem lançamentos comerciais, mas a demanda é perene. Se for um bom negócio, vale a pena adquirir.”

Carlesso lembra que essa não é a primeira vez que as unidades comerciais sofrem com rumores sobre seu fim. Assim como Baraona, o especialista acredita que o mercado imobiliário vai se adaptar às novas situações. 

Sandro Carlesso

Presidente da Ademi-ES

"Quando os espaços de coworking surgiram, também falaram que as salas comerciais iam sumir, e não sumiram"

OLHO NO OLHO

Diante da necessidade de manter o distanciamento social para evitar o contágio de Covid-19, trabalhar de casa foi a alternativa mais segura adotada por muitas empresas nos últimos meses. No entanto, para a diretora da Empar, Camila Menezes, o contato humano não vai ficar no passado. “Mesmo trabalhando de casa, muitas empresas estão sentindo a necessidade de interagir, de ter suas equipes integradas, trabalhando juntas de forma presencial e em um ambiente propício para isso. Então, acredito sim em uma retomada forte do mercado de imóveis comerciais pós-pandemia.”

De acordo com Camila, ainda vale a pena investir não só em imóveis comerciais, mas também nos residenciais. “O imóvel sempre foi um investimento rentável e tem se tornado, mais do que nunca, o melhor tipo neste momento de tantas incertezas econômicas”, afirma.

A diretora da Empar ainda acredita que esse momento de crise servirá para muitas empresas se reinventarem. Sendo assim, os investidores que escolherem imóveis bem localizados não terão prejuízos, porque sempre haverá procura.

O presidente do Sinduscon-ES observa que, embora seja cedo para tirar conclusões concretas sobre o futuro do mercado para esse tipo de imóvel, os empreendimentos que estão em construção não serão interrompidos, mesmo com as mudanças de gestão empresarial. Portanto, há oferta de salas e lojas para quem deseja investir no segmento.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Mercado imobiliário

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.