ASSINE

Entenda as diferenças entre investir em imóveis e fundo imobiliário

Especialistas explicam os principais pontos para quem pensa em investir no setor imobiliário ou arriscar no mercado financeiro

Publicado em 16/09/2021 às 13h49
Entenda as diferenças entre investir em imóveis e fundo imobiliário
Uma das primeiras diferenças está no formato, já que quando se investe em imóvel, é feita a aquisição de um patrimônio em sua totalidade. Crédito: Freepik

Com o mercado imobiliário em alta, muita gente tem buscado investir ou até mesmo comprar o seu primeiro imóvel, aproveitando as taxas de juros ainda favoráveis e as facilidades de financiamento. Por outro lado, há também opções para quem deseja se arriscar no mercado financeiro, como é o caso dos fundos imobiliários. Para entender as diferenças entre investir em imóveis ou partir para os fundos, conversamos com especialistas para explicar cada uma das modalidades.

Uma das primeiras diferenças está no formato, já que quando se investe em imóvel, é feita a aquisição de um patrimônio em sua totalidade. Ou seja, a pessoa que compra uma casa, um apartamento, um terreno ou sala comercial, por exemplo, está adquirindo a posse total daquele bem. Já no fundo imobiliário, quando se opta por esse tipo de produto, o investidor está comprando um “pedaço” de um imóvel que existe.

“O fundo imobiliário é basicamente para quem quer comprar parte de um imóvel. A pessoa não precisa se descapitalizar, porque pode comprar por um valor menor do que se fosse adquirir um imóvel”, observa o presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi-ES), Eduardo Fontes.

Em contrapartida, nem sempre o investidor tem a chance de conhecer onde está investindo, pois são imóveis do país inteiro que compõem os fundos. “Quando se investe fisicamente, em um imóvel, você sabe onde ele está, a escritura é sua. Isso dá um ar de segurança e conquista. No caso do fundo imobiliário, você nunca é dono de 100% do bem”, avalia Fontes.

Entenda as diferenças entre investir em imóveis e fundo imobiliário
Os valores recebidos pelo fundo imobiliário estão sempre sujeitos ao tamanho da cota adquirida. Crédito: Freepik

Mas para investir em um imóvel é preciso ter um valor mais alto do que investir em fundo imobiliário. Segundo o sócio fundador da Elev Investimentos, Caio Souza, o valor para investir em fundos imobiliários é bem mais baixo. “Com R$ 100, por exemplo, é possível comprar a cota de um empreendimento de alto padrão. Mas para quem nunca investiu, é importante saber qual escolher: se ganho de capital ou dividendos, pois são estratégias distintas”, diz.

Nesse caso, o ganho de capital corresponde à valorização do empreendimento (o que pode acontecer com o imóvel físico também) e está sujeito à tributação do imposto de renda. Já os dividendos seriam o equivalente a um aluguel (que é uma opção também para quem investe em imóvel), e este não é tributado. Lembrando que os valores recebidos pelo investimento estão sempre sujeitos ao tamanho da cota adquirida.

RENTABILIDADE

Os fundos imobiliários funcionam como um aluguel, só que sem os descontos do Imposto de Renda no valor. De acordo com o assessor da Golden Investimentos, João Cruz, esta modalidade é composta por cotas negociadas em bolsa e tem como objetivo conseguir dinheiro com investidores para aplicar em negócios imobiliários (shoppings, centros de distribuição e escritórios, por exemplo).

“Neste caso, a instituição financeira é responsável por formar o fundo e fazer a captação por meio da venda de cotas para investidores. A renda obtida com a negociação poderá ser destinada à aquisição de imóveis rurais e urbanos, tanto construídos quanto ainda em obras, voltados ao uso comercial ou residencial, além da compra de títulos mobiliários relativos ao setor imobiliário”, explica.

Também é importante se atentar à rentabilidade, que pode subir ou descer, de acordo com o momento econômico. Por isso, o economista e conselheiro do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES) Vaner Corrêa atenta que é importante verificar o que está em alta antes de alocar recursos para isso.

Entenda as diferenças entre investir em imóveis e fundo imobiliário
Ter uma carteira diversificada, para quem vai apostar em fundos imobiliários, é uma vantagem desse tipo de modalidade. Crédito: Sean Pollock/Unsplash

“Hoje é mais fácil conhecer como investir e poder gerenciar os seus fundos. Mas é importante ler sobre e conhecer o mercado. Analise a série histórica. Sobre rentabilidade, quanto maior, melhor para investir. Também verifique quem é a empresa que está administrando os fundos. E mesmo que o investidor deixe a gestão nas mãos de uma corretora, por exemplo, é importante acompanhar a evolução”, observa.

Ter uma carteira diversificada, para quem vai apostar em fundos imobiliários, é outra vantagem desse tipo de modalidade. O mesmo vale para a compra de imóveis, mas o valor a ser investido é bem maior que no caso dos fundos. Se o motivo do investimento do imóvel está ligado ao aluguel, é bom prestar atenção na média do mercado, que fica em torno de 0,35% a 0,37% do valor do imóvel ao mês.

Por outro lado, quem investe em fundo imobiliário, quando o objetivo é ter um renda mensal, pode chegar a uma média de 0,60% ao mês, segundo o head de Fundos Imobiliários da Valor Investimentos, Adriano Rondelli.

“Quanto mais diversificada a carteira de investimentos, mais estruturada. São poucos produtos no mercado financeiro que entregam dividendos mensais remunerados. Os fundos imobiliários funcionam como se fossem um aluguel, mas vêm isentos de imposto de renda. Outra coisa é a vantagem na venda dos papéis, que é mais rápida do que negociar um imóvel físico”, avalia.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Investimento Mercado Financeiro Mercado de Ações Ademi Fundo Imobiliário

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.