ASSINE

"É preciso consciência", diz leitora sobre abertura de comércio no ES

A partir de 4 de maio, lojas poderão ser abertas em todo o Estado, o que levanta preocupação entre os capixabas. Leitores foram unânimes em apontar importância das medidas de higiene e distanciamento social

Publicado em 27/04/2020 às 12h10
Coronavírus: Cachoeiro libera comércio e obriga uso de máscaras
Coronavírus: Cachoeiro libera comércio e obriga uso de máscaras. Crédito: Prefeitura de Cachoeiro/Divulgação

Após mais de um mês de fechamento para evitar a propagação do coronavírus, o comércio da Grande Vitória e de Alfredo Chaves  voltar a abrir as portas na próxima segunda-feira, dia 4 de maio. Em outros 72 municípios do Espírito Santo, as lojas já estavam autorizadas a funcionar desde o dia 22 de abril.

O governador Renato Casagrande informou que a volta às atividades comerciais em todo o Estado vai exigir "um protocolo muito rigoroso". A grande novidade é que haverá dois turnos de funcionamento, das 10h às 16h e das 13h às 19h, para que não ocorra sobrecarga no transporte coletivo. 

A reabertura também seguirá medidas de higiene e uma série de regras para evitar aglomerações, como uso de álcool em gel e máscaras, distanciamento entre clientes e funcionários. Se houver desrespeito, Casagrande adianta que pode suspender a liberação. "Se a gente tiver uma situação que se agrava, vamos dar passos para trás", disse. 

Nas redes sociais de A Gazeta, a maioria dos leitores tem demonstrado preocupação com a abertura do comércio diante da escalada de casos de contaminação por Covid-19. Confira alguns comentários:

Senhor governador, não tem condição de o comércio abrir dia 4. Vai aglomerar gente nas lojas por causa do Dia das Mães, mais pessoas serão contaminadas. Vamos pensar nos médicos e enfermeiros que estão à frente da batalha. Pelo amor de Deus, não autoriza abrir. (Alessandra Aparecida Maduro)

Concordo plenamente, mas o governo está sendo pressionado para abrir o comércio. Vai dar um tiro no pé, o povo está pagando pra ver. (Daniela Vieira dos Santos)

Se povo tivesse consciência, abrindo ou não, não faria diferença. Mas as pessoas vão bater pernas sem necessidade. Não estou defendendo Casagrande não, mas a pressão sobre ele não deve estar pequena. (Marcos A. Lenda)

Renato Casagrande, olhe pela população do nosso Estado. A abertura do comércio pode ser um tiro na saúde. (Keila Coimbra de Novais)

Cada dia piora o quadro no ES e Casagrande afrouxando as regras de isolamento. O povo sem educação nem sequer usa máscara nas ruas. Está como se nada tivesse acontecendo! (Fernanda Meireles Spadano)

A grande maioria da população capixaba é constituída de trabalhadores que dependem do emprego para sustento da família e governo nenhum tem condições de sustentar os trabalhadores parados e se manter sem a receita dos impostos da atividade produtiva. O radicalismo às vezes impede o bom raciocínio. Saúde e economia caminham juntas e, por isso, quando se pensa no povo e não em ideologia partidária vem uma decisão sensata. Libera o trabalho, com a conscientização de todos pelos cuidados essenciais. (Jorge Arnoni)

Se o povo continuar passeando, andando sem máscara, duvidando que esse vírus é mortal, as coisas só tendem a piorar. (Debora Silva)

Misericórdia! O número de contaminados só aumenta e ainda querem abrir comércio. Sou totalmente contra o relaxamento agora. Se isso acontecer, o número vai ser assustador. Renato Casagrande, não é hora de afrouxamento, por favor… (Maria Massalai)

Interessante. Só no comércio que transmite? E os bares cheios, praias lotadas, filas nos bancos, nesses locais não tem perigo? (Nilza Vieira de Souza)

A praia de Vila Velha hoje estava praticamente lotada, cheia de pais com seus filhos pequenos, pessoas nas ruas. Adivinha o perfil deles? Idosos, os que cultuam corpo. É preciso proibir de sair além de mercado, farmácias algo pelo que seja necessário sair. Pena que estão indo atrás de alguém que não está nem aí para quem morre. (Luis Alberto)

As pessoas estão saindo sem máscara, se aglomerado em supermercado, ou seja, brincando com o que estamos vivendo. Só quando alguém conhecido ou um familiar adoecer é que levarão a sério. Se todos pelo menos saíssem de máscara ,todos diminuiremos muito o contágio, mas… (Mattzza Hazin)

Cadê o número contagiados por bairro? Porque em Rio Marinho tem pessoas contagiadas e que não constam no mapeamento de bairros de Vila Velha. (Kelly Dias)

A tendência é só piorar quando for liberado o comércio no dia 4. O povo vai correr para as lojas, achando que já está tudo bem. Não sou contra o comércio abrir, porém tem que ser feito algo para evitar as aglomerações. E as pessoas devem ter um pouco mais de consciência e respeito. (Rose Fontana)

E mesmo assim tem muita gente que não está acreditando. Esse vírus é maldito, se você pega e vai para o hospital, às vezes é a última vez que você vê sua família. Gente, vamos ficar em casa, por que os hospitais não tem condições de atender todo mundo. (Roseni Florentino)

Se Deus quiser, em breve veremos tudo normal de novo! O povo voltando a trabalhar para manter suas famílias! (Beti Layber)

Em Jacaraípe, hoje a praia estava lotada e nas ruas todas pessoas andando sem máscara. Muito triste a falta de responsabilidade. (Claudia Oliveira Santos Malta)

O pessoal da Praia da Costa não está acreditando, praia, caminhada, bate-papo na porta do mercado. Da minha janela, vejo o movimento. (Sonia Lima)

O problema é que os trabalhadores são vetores. A economia precisa girar, mas o isolamento também é essencial. A situação ficará ainda mais preocupante. Os idosos serão contaminados dentro de suas casas por seus familiares, que compõem a população economicamente ativa. Fato: teremos um aumento significativo nas próximas semanas. (Katy Gerson)

O problema é o grupo de risco ficar em casa. Se não ficaram nem quando o comércio estava fechado, imagina agora com as lojas abertas. (Andrea Motta Vasconcelos)

Daqui a pouco tudo estará aberto, aí vão querer fechar tudo novamente, mas o contágio já terá se alastrado mais ainda. (Penha Weslei Flauzino)

Se o povo fosse consciente e respeitasse as normas, tudo daria certo, mas infelizmente tem cidades em que as pessoas vão à rua só para passear e ainda acham que são imunes. (Rosilene Aparicida Dias)

Gostei, mas tem que ter fiscalização e conscientização nas ruas. Fui ao supermercado hoje e quase ninguém estava de máscara. (Estefânia Soares Calvi)

Os hospitais todos cheios e o povo fala numa naturalidade. É Brasil mesmo. (Cleriston Medina)

No final, o presidente tinha razão. (Dimmy Mothé)

Eu, enquanto Deus me der condições para ficar dentro de casa e proteger minha família, eu vou ficar. Agora os que estão levando na brincadeira vão pagar um preço alto. (Fabricio Santos)

Acho que o maior vírus são os prefeitos e governadores atrapalhando a vida de quem precisa trabalhar pra sobreviver. (Luzia Medani)

Todos os dados e simulações matemáticas indicam que o vírus é realmente terrível. O interessante é que se alguém recebe um corrente no Whatsapp, sem nem saber quem mandou, as pessoas acreditam, por outro lado se a ciência mostra um previsão realística com dados e fontes, o sujeito acha que é mentira. Vai entender. (Márcio Bolzan)

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.