ASSINE

Protesto com queima de pneus interdita Rodovia do Sol em Guarapari

Moradores da região interditaram a rodovia nos dois sentidos na altura do bairro Santa Mônica por mais de uma hora na manhã desta segunda (4). Via foi totalmente liberada às 12h40

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 04/07/2022 às 12h05
Atualizado em 04/07/2022 às 15h04
Protesto com pneus queimados interdita Rodovia do Sol em Guarapari
Protesto com pneus queimados interdita Rodovia do Sol em Guarapari. Crédito: Reprodução/Leitor de A Gazeta

Um protesto com pneus queimados interditou a Rodovia do Sol nos dois sentidos na altura do quilômetro 41, no bairro Santa Mônica, em Guarapari, às 11h desta segunda-feira (4). Segundo a Rodosol, concessionária que administra a via, a Polícia Militar esteve no local e a manifestação durou mais de uma hora. Às 12h40, a via foi totalmente liberada.

Em nota, a polícia contou que cerca de 100 pessoas participaram do protesto e a motivação seria o fato de a companhia de energia estar fazendo o desligamento de ligações clandestinas na região.

Ainda de acordo com a Rodosol, o protesto aconteceu próximo ao trevo da entrada de Setiba. A concessionária explicou que manifestantes atearam fogo em pneus e bloquearam as quatro faixas da pista. A polícia informou que o Corpo de Bombeiros foi acionado para controle das chamas.

Um vídeo enviado à reportagem de A Gazeta mostra as chamas consumindo os pneus. O homem, enquanto filma, fala de falta de água e luz a moradores, além de ameaças de despejo. Assista abaixo:

O QUE DIZ A EDP

Em nota, a EDP, empresa responsável pelo fornecimento de energia no Espírito Santo, explicou que a ação de retirada de ligações clandestinas foi feita nesta segunda-feira (4) em uma área não regularizada no município de Guarapari. Para a companhia, a ação tem como objetivo garantir a segurança da população e a qualidade do fornecimento de energia elétrica dos clientes da região.

"Conforme regras da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), as distribuidoras só podem atender pedidos de nova ligação de energia desde que estejam em áreas legalizadas e regularizadas pelos Poderes Públicos e, além disso, devem interromper o fornecimento quando constatada ligação clandestina", acrescentou a companhia.

A EDP também ressaltou que fazer ligações clandestinas é crime e pode provocar acidentes e sobrecarregar a rede elétrica, o que causa impacto na qualidade do fornecimento de energia. A companhia pontuou que, assim, clientes podem sofrer com interrupções do fornecimento nas residências, comércios e vias públicas.

"Tais ações ainda impactam em um aumento no valor da tarifa de energia elétrica, conforme determinação da Aneel", finalizou a EDP.

Atualização

4 de Julho de 2022 às 15:03

Após publicação desta matéria, a EDP enviou nota se posicionando sobre a manifestação e a Rodosol informou que a rodovia já foi totalmente liberada. O texto foi atualizado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.