ASSINE

Caminhoneiros fecham 6 pontos da BR 101 no ES, mas PRF desmobiliza ato

A categoria reivindicava redução no preço do óleo diesel e também no preço do pedágio, mas ação foi desmobilizada. Segundo Ministério da Infraestrutura, todas as rodovias federais estão liberadas

Publicado em 26/07/2021 às 09h37
Caminheiros fizeram protesto na BR-101, em Viana
Caminheiros fizeram protesto na BR-101, em Viana. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Em mais uma ação de reivindicação por direitos, um grupo de caminhoneiros realizou um protesto em seis pontos da BR 101 no Espírito Santo, no início da manhã desta segunda-feira (26). Para impedir o crescimento do ato, com adesão de outros profissionais, a Polícia Rodoviária Federal desmobilizou a iniciativa.

Houve manifestação em pontos da rodovia nas cidades de Cachoeiro de Itapemirim, Viana, Fundão, Ibiraçu, João Neiva e Linhares. Às 7h30, segundo a Polícia Rodoviária Federal, o trânsito nesses locais já estava liberado. Também existem registros de atos em outros Estados, mas os atos também foram descontinuados pelas autoridades.

De acordo com o caminhoneiro Anderson Andrade, de 43 anos, um dos organizadores do movimento no Espírito Santo, a categoria quer redução no preço do óleo diesel e também no preço do pedágio. 

Segundo Andrade, onde houve interdição da pista, só só passou ambulância, ônibus e caminhão de remédio. À reportagem, Andrade afirmou que a manifestação pode voltar a qualquer momento mesmo após a reação da PRF.

Manifestação de caminhoneiros na BR 101, em VIana

REIVINDICAÇÕES

Os caminhoneiros reivindicam redução no valor do litro do diesel, principal ponto de destaque na manifestação. Eles também querem redução no preço do pedágio e um plano de aposentadoria para os carreteiros. A principal queixa é em relação à política de Preço de Paridade de Importação (PPI) da Petrobras, que regula o preço dos combustíveis de acordo com o mercado internacional.

"Queremos a redução do PPI e do ICMS sobre o óleo diesel. Tirando o imposto, abaixa tudo. Querermos que o exame toxicológico seja para todo mundo e não só para os profissionais, e queremos a redução do valor do pedágio. Vamos seguir com a paralisação enquanto a gente conseguir aguentar, igual em 2018", disse o caminhoneiro autônomo. 

TRÂNSITO LIBERADO

O Ministério da Infraestrutura e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informaram que, às 7h30, todas as rodovias federais, concedidas ou sob administração do DNIT, encontravam-se com o livre fluxo de veículos.

"Durante a madrugada e início da manhã, a PRF reportou ocorrências envolvendo aglomerações às margens de rodovias e algumas tentativas de retenção em seis estados. Todas foram debeladas com a chegada de efetivos da PRF ou de autoridades locais. O volume de ocorrências é três vezes menor do que o registrado no mesmo período do dia 01/02/21, data da última tentativa de mobilização", diz a nota.

No Twitter, a PRF também confirmou que nenhum trecho das rodovias federais no Estado estavam em poder dos manifestantes.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.