ASSINE

Vereadora tem roupa criticada em sessão da Câmara no Dia da Mulher

Parlamentar bolsonarista da Câmara de Vitória afirmou que a blusa usada pela colega não estava adequada, apesar de não haver proibição no regimento interno

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 08/03/2021 às 20h16
Vereadora Camila Valadão (Psol) foi questionada por usar blusa com um dos praços de fora
Vereadora Camila Valadão (Psol) foi questionada por usar blusa com um dos braços de fora. Crédito: Divulgação

Neste Dia Internacional da Mulher (08), a blusa vermelha utilizada pela vereadora Camila Valadão (Psol) foi tema de manifestação de um dos vereadores da Câmara de Vitória durante a sessão ordinária. Camila, que ocupava lugar de destaque na Mesa Diretora a convite do presidente da Casa, Davi Esmael (PSD), foi surpreendida pela fala do vereador Gilvan da Federal (Patriota) alegando que a vestimenta dela não era apropriada para a ocasião.

“Creio que os vereadores aqui têm que estar com traje formal e a vereadora não está com traje formal para a sessão”, disse Gilvan, referindo-se à blusa da vereadora e acrescentou: “Quem quer respeito, se dá o respeito."

A vereadora afirmou que usou a mesma roupa diversas vezes em plenário e apontou o fato de o questionamento ter sido feito justamente no Dia Internacional da Mulher, data que marca a luta das mulheres pela igualdade de gênero.

“O objetivo era me constranger nesse dia, no espaço onde eu atuo, não tem outra explicação. Foi um dia em que eu acordei muito inspirada, tinha organizado uma fala sobre a importância desse dia, e uma declaração como essa deixa a gente um pouco desorientada, tamanha a tentativa de nos cercear”, disse Camila.

Ela e Karla Coser (PT) presidiam a sessão de forma simbólica, já que são as únicas da bancada feminina entre os 15 vereadores da Capital.

O Regimento Interno da Câmara de Vitória traz regras relacionadas à vestimenta dos vereadores, porém, o texto é muito mais explícito quando trata das roupas que os homens devem usar.

O artigo 376 , inciso XVI diz que "o vereador deverá apresentar-se nas Sessões da Câmara trajando paletó e gravata, e a vereadora, formalmente trajada nos dias designados às Sessões Legislativas Ordinárias e Extraordinárias, exceto nas reuniões de comissões de que seja membro."

“No caso das mulheres não há previsão sobre formalidade. E eu entendo que estava adequada. Eu não estava de shortinho, estava com a blusa com um braço de fora”, apontou a vereadora.

VIOLÊNCIA POLÍTICA DE GÊNERO

A professora doutora em literatura e especialista em feminismo colonial Isabella Baltazar avalia que a psolista sofreu “violência política de gênero”. “Acredito que tanto Camila quanto Karla (Coser) sofrem essa violência na Câmara de Vitória desde o início de seus mandatos e o evento de hoje é uma evidência explícita disso.”

Segundo Isabella, falas como a do vereador do Patriota perpetuam violência e estigma, esvaziando a seriedade e sobriedade da vereadora Camila em conduzir a sessão como vereadora.

“Elas são postas com a intenção de descredibilizar, deslegitimar o que importa, porque o que a vereadora faz é trazer para o espaço da Câmara uma discussão muito importante sobre a vida e os direitos da mulher. Parece-me que há uma intenção maliciosa em citar a vestimenta da vereadora para deslegitimar o que ela traz”, argumentou.

Logo após a fala de Gilvan, é possível ouvir outros vereadores elogiando a roupa de Camila, em uma tentativa de se solidarizar após a crítica feita pelo colega. “Vereadora, vossa excelência está linda, com todo respeito ao seu esposo”, disse um deles.

Camila disse que entendeu a manifestação como um apoio. “Não teve nenhuma fala refutando, mas muitos fizeram questão de reiterar a importância da gente estar ali, e falando que estava bonita. Para mim, foi eles dizendo que estava tudo bem.”

ADESIVO "FORA BOLSONARO"

Gilvan da Federal criticou ainda o fato de a vereadora ter um adesivo colado à blusa com os dizeres “Fora Bolsonaro. Pela vida das mulheres."

O patriota, contudo, na mesma ocasião, usava uma máscara com uma caricatura do presidente Jair Bolsonaro.

Não há regras no Regimento Interno da Casa quanto ao uso desses adereços, contudo, segundo Camila, foi acordado em plenário que manifestações individuais podem ser usadas no corpo.

HOMENAGEM 

Nas redes sociais, o vereador publicou um texto numa alusão ao Dia da Mulher. "Muitos nos acusam de sermos machistas e preconceituosos, mas não passa de mentiras! Tanto que uma das maiores lideranças políticas da história do conservadorismo é uma mulher, a grande Dama de Ferro, Margareth Tatcher." O texto foi acompanhado de uma foto da ex-primeira ministra do Reino Unido. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.