ASSINE

Prefeito de Conceição da Barra renuncia faltando um mês para o fim do mandato

Renúncia de Francisco Vervloet, o Chicão (PSB), foi protocolada ne segunda-feira (30). Durante o mês de dezembro cidade será comandada pelo vice, Jonias Dionísio Santos (PROS)

Linhares / Rede Gazeta
Publicado em 30/11/2020 às 20h33
Prefeito Chicão trocou o PSDB pelo PSB
Prefeito Chicão chegou a ser cassado, conseguiu retornar ao cargo e agora renuncia. Crédito: Prefeitura de Conceição da Barra

O político Francisco Vervloet, o Chicão (PSB), renunciou ao cargo de prefeito de Conceição da Barra. A renúncia foi protocolada na Câmara Municipal na tarde desta segunda-feira (30). A posse do novo prefeito está marcada para esta terça, às 10h, na sede do Poder Legislativo. Durante o mês de dezembro o município será comandado pelo até então vice-prefeito, Jonias Dionísio Santos (PROS), mais conhecido como Dionísio de Braço do Rio.

“O Chicão avisou para mim na sexta-feira que iria renunciar. Ele já falava disso há algum tempo, porque pensava em se afastar do cargo para resolver questões pessoais”, contou Dionísio, sem entrar no mérito de quais seriam as questões pessoais que motivaram a renúncia.

O vice-prefeito de Conceição da Barra, Jonias Dionizio Santos (PROS), e o prefeito Francisco Vervloet (PSB), o Chicão
Jonias Dionizio Santos (PROS), de camisa azul, vai comandar a cidade em dezembro. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

O novo prefeito vai comandar Conceição da Barra durante todo o mês de dezembro e disse que a intenção é facilitar o processo de transição com Walyson José Santos Vasconcelos, mais conhecido como Mateusinho do Povão, do PTB, que foi eleito prefeito da cidade na votação do dia 15 de novembro. Eleito para assumir a cidade a partir de janeiro, Mateusinho é o atual presidente da Câmara.

“Tenho uma relação muito boa com o Mateusinho e não quero atrapalhar esse processo de transição. Vou fazer o que for possível para ser uma transição tranquila”.

Um fato que chama a atenção na renúncia repentina de Chicão é que recentemente o político foi candidato à reeleição. Ele teve 21,90% e ficou na terceira colocação, atrás de Mateusinho do Povão e Toninho de Deus (Patriota). Vale destacar que Chicão concorreu à reeleição com a candidatura sub judice, uma vez que a Justiça Eleitoral negou o seu registro de candidatura.

A reportagem de A Gazeta entrou em contato com Chicão para questionar os motivos da renúncia, mas o agora ex-prefeito de Conceição da Barra não atendeu às ligações e não respondeu às mensagens.

HISTÓRICO 

Os problemas judiciais envolvendo Chicão começaram em 2016, quando ele ainda era secretário de Assistência Social do município. Na época, Chicão foi denunciado por conduta proibida em pleno ano eleitoral. Ele esteve à frente de um programa social que oferecia cursos profissionalizantes gratuitos à população. Chicão era candidato a prefeito e foi eleito.

Em setembro de 2019, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES) decidiu cassar o mandato do prefeito e do vice e eles tiveram que deixar a prefeitura. Chicão também foi condenado a pagar multa de 10 mil UFIRs (Unidade Fiscal de Referência), o que equivale a R$ 34,2 mil, por abuso de poder político.

Durante o período de afastamento, quem assumiu a prefeitura foi o presidente da Câmara Municipal, Mateusinho.

No entanto, no dia 23 de setembro uma liminar (decisão provisória) do ministro Alexandre de Moraes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou o retorno de Chicão ao cargo de prefeito até que haja o julgamento de um recurso. Mesmo reconduzido ao cargo, a decisão do TSE manteve a inelegibilidade de Chicão.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.