ASSINE

MPES recomenda suspensão de licitação do Detran sobre cerco eletrônico

Em nota recomendatória encaminhada ao órgão, o promotor de Justiça Rafael Calhau Bastos pediu que  o processo seja suspenso até que denúncias de direcionamento de licitação sejam apuradas

Vitória
Publicado em 09/04/2021 às 18h35
Data: 05/01/2020 - ES - Vitória - Sede do Detran - Editoria: Cidades - Ricardo Medeiros - GZ
Sede do Detran, no Espírito Santo. Crédito: Ricardo Medeiros

Ministério Público do Espírito Santo (MPES) recomendou ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) a suspensão, por 120 dias, do trâmite de um processo de licitação que envolve a contratação do cerco eletrônico para monitoramento de rodovias no Estado.

De acordo com o promotor de Justiça Rafael Calhau Bastos, responsável pelo procedimento, a medida é necessária para que sejam apuradas denúncias de direcionamento na licitação.

O Detran afirmou que vai prestar esclarecimentos no prazo de 72 horas estipulado pelo MPES para que o órgão se manifeste. A recomendação foi assinada nesta quinta-feira (08).

Entre as razões consideradas pelo MPES para recomendar a suspensão está a necessidade de verificar todos os atos praticados no certame de licitação antes da celebração do contrato.

O MPES solicitou que cópias dos documentos do processo licitatório, juntados após o dia 31 de março deste ano, sejam encaminhados à Promotoria de Justiça Cível de Vitória, em cinco dias.

“Se mostra necessária a análise dos documentos encaminhados, visando a formação de convicção acerca da licitude de sua obtenção, e da possibilidade de sua utilização como meio de prova”, registra o promotor no documento.

Segundo Calhau, diante da proximidade da conclusão da fase decisória da licitação, e eventual possibilidade de dano ao erário, o MPES recomenda ao Detran a suspensão do trâmite do processo até a elucidação dos fatos.

“O MPES salienta, na notificação, que se mostra necessário acompanhar e fiscalizar o processo licitatório e seu resultado, uma vez que a implantação do cerco inteligente irá onerar o erário estadual, notadamente diante de um custo anual estimado em R$ 150 milhões”, destacou o MPES por meio de nota.

O Detran tem 72 horas úteis para informar à Promotoria de Justiça se vai ou não seguir a recomendação e suspender o trâmite. Caso o órgão não acate a recomendação, medidas judiciais deverão ser adotadas para que a notificação seja cumprida, segundo o MPES.

O QUE DIZ O DETRAN

Por meio de nota, o Detran informou que foi notificado pelo MPES e que vai prestar os esclarecimentos necessários. O órgão afirmou ainda que o processo licitatório em questão respeitou todos os trâmites  e foi feito com transparência. 

Questionado se vai seguir a recomendação do MPES, o Detran não respondeu e disse que estava dentro do prazo de 72 horas estipulado pela Promotoria de Justiça para se manifestar. Confira a nota:

"O processo de licitação para a contratação do Cerco Inteligente de Segurança, tecnologia que vai contribuir no combate à criminalidade, à evasão fiscal e ao desmatamento no Espírito Santo, tem ainda procedimentos a serem realizados antes de ser concluído, como a Prova de Conceito para avaliação de sistema. É válido destacar que ainda não existe uma empresa ganhadora e que os fatos serão esclarecidos ao Ministério Público no prazo por ele concedido. É importante ressaltar que o processo licitatório mencionado respeita integralmente a legislação vigente em todas as etapas, obedecendo os prazos, a transparência e a devida publicidade.”

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.