Ex-assessor acusado de divulgar fake news vira diretor da Câmara de Cariacica

Evandro Figueiredo foi acusado em 2018 de ter divulgado uma pesquisa não registrada pelo TSE que colocava Paulo Hartung à frente de Renato Casagrande

Publicado em 19/12/2019 às 16h39
Atualizado em 20/12/2019 às 08h58
Câmara de Cariacica: Evenadro Figueiredo está recebendo salário de R$ 3,7 mil na Casa. Crédito: CMC/Divulgação
Câmara de Cariacica: Evenadro Figueiredo está recebendo salário de R$ 3,7 mil na Casa. Crédito: CMC/Divulgação

A Câmara de Cariacica nomeou como seu novo diretor-geral o ex-assessor da Secretaria Estadual de Esportes (Sesport) Evandro Figueiredo Boldrine, exonerado após ser acusado de divulgar uma pesquisa não registrada pela Justiça Eleitoral meses antes do início da campanha das eleições de 2018. De acordo com o Diário da Câmara do município, Evandro assumiu o cargo em novembro com uma remuneração de R$ 3.717,70 mensais.

O novo diretor foi apontado, em investigação da Polícia Federal, como o responsável por divulgar a pesquisa, que teria sido feita pelo PSD, no site Capixabão.com. Contudo, em ano de eleição apenas pesquisas registradas na Justiça Eleitoral podem ser publicadas. O título do texto publicado era: "Paulo Hartung tem a preferência do eleitor da Grande Vitória". O conteúdo falava em uma vantagem do então governador Paulo Hartung (sem partido) à frente da corrida pela disputa pelo Palácio Anchieta. 

Na época, o delegado responsável pelo caso, Vitor Moraes Soares, disse, no dia da operação que recolheu o celular de Evandro e o computador que ele usava na Sesport, que não havia nenhuma documentação que comprovasse a sondagem a eleitores na pesquisa contratada pelo PSD. A reportagem de A Gazeta procurou a PF para saber o desfecho do inquérito policial. A assessoria do órgão disse que ele foi concluído e entregue à Justiça Eleitoral, onde tramita em segredo de Justiça.

Evandro Figueiredo, novo diretor geral da Câmara de Cariacica. Crédito: Fernando Madeira/Arquivo
Evandro Figueiredo, novo diretor geral da Câmara de Cariacica. Crédito: Fernando Madeira/Arquivo

"NÃO POSSO PAGAR O RESTO DA MINHA VIDA POR UM ERRO"

Evandro, hoje filiado ao Republicanos, reconheceu o erro ao divulgar uma pesquisa que não estava devidamente registrada e disse ter agido assim por falta de informação. Contudo, ele diz que os dados não eram falsos e que não teve a intenção de  beneficiar nenhum candidato. 

"Para mim isso foi uma denúncia política. Me acusam de ter beneficiado Paulo Hartung, mas ele sequer foi candidato. Foi uma transgressão eleitoral, passível de multa. Fiz por desconhecimento, não sabia que eu não poderia fazer uma análise de uma pesquisa que é verdadeira. Não posso pagar o resto da minha vida por um erro", defende.

E ele completa: "Para muitos, o dano que eu sofri à minha imagem foi irreparável, mas estou animado no projeto do presidente da Câmara de Cariacica. Fui conselheiro do Plano Diretor Urbano (PDU) de Vitória e agora o Legislativo vai trabalhar o Plano Diretor Municipal (PDM) de Cariacica. Quero usar minha experiência para deixar algo de bom para os cariaciquenses".

O presidente da Câmara do município, César Lucas (PV), disse que a nomeação de Evandro foi feita com base em critérios técnicos e obedeceu ao processo legal de contratação do órgão. Eles se conheceram quando o ex-assessor trabalhou no gabinete de deputados estaduais, onde recebe o vereador algumas vezes. Lucas alegou não saber da investigação contra o novo diretor.

"Isso é novo para mim. Eu precisava de um novo diretor, queria uma pessoa mais técnica e com experiência política, chamei ele e ele aceitou. Aqui na Câmara é preciso entregar um 'nada consta', provando que não tem pendências judiciais. Ele entregou e nós o nomeamos", explica.

RELEMBRE O CASO

Na época, a Polícia Federal considerou que o propósito de Figueiredo era que o então governador Paulo Hartung fosse reeleito para que ele, o servidor, pudesse se manter no cargo que ocupava.

Antes de ser nomeado,  Evandro foi lotado em 2017 por dois meses no gabinete do então deputado estadual Amaro Neto (Republicanos). O assessor ficou conhecido no meio político por se envolver em discussões em prol do bairro de Jardim Camburi, em Vitória. Desde 2011, segundo informações de portais da transparência, Evandro Figueiredo também teve cargos comissionados em gabinetes de outros dois deputados estaduais: José Esmeraldo (MDB) e Janete de Sá (PMN).

Ele entrou na Sesport em maio de 2017 por indicação do secretário da pasta da época, Roberto Carneiro (Republicanos), hoje diretor geral da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales).

cariacica fake news

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.