ASSINE

Eleições em Cariacica: PV fecha com PSB e Subtenente Assis se filia ao PTB

Os dois partidos de centro-esquerda, que já são aliados na política estadual e fazem parte da base de Casagrande, selaram acordo para a prefeitura, enquanto Subtenente Assis anunciou filiação a partido de direita

Publicado em 29/08/2020 às 17h28
Atualizado em 29/08/2020 às 18h54
À esquerda: Alberto Gavini, Saulo Andreon e Jaqueline Moraes, do PSB, e Fabrício Machado, presidente do PV; à direita, Subtenente Assis, que se filiará ao PTB
À esquerda: Alberto Gavini, Saulo Andreon e Jaqueline Moraes, do PSB, e Fabrício Machado, presidente do PV; à direita, Subtenente Assis, que se filiará ao PTB. Crédito: Montagem/A Gazeta

A manhã deste sábado (29) foi marcada por definições importantes de alianças e filiações envolvendo o processo eleitoral à Prefeitura de Cariacica. O pré-candidato do PSB, Saulo Andreon, recebeu a confirmação oficial de apoio por parte do PV, partido do presidente da Câmara Municipal, César Lucas (PV). Enquanto isso, em outro palanque, houve também a confirmação do Subtenente Assis de que irá se filiar ao PTB para disputar a prefeitura. 

A aliança PSB-PV e o Subtenente Assis posicionam-se em lados opostos do tabuleiro geopolítico. Saulo Andreon faz parte do time do governador Renato Casagrande (PSB) e, inclusive, exercia um cargo no governo, na Secretaria de Educação, até alguns meses. A parceria contou com o auxílio da vice-governadora, Jaqueline Moraes (PSB), e do presidente estadual do PV e secretário de Meio Ambiente do governo, Fabrício Machado.

Já Assis era do PSL e disputou a eleição ao Senado pelo partido em 2018, sem sucesso. O militar se mantém identificado como bolsonarista e posicionado à direita, afirmando ter recebido o convite para a filiação diretamente do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. Ele também mantém relação próxima com o deputado Capitão Assumção (Patriota). No início deste ano, ele também chegou a participar de eventos para coleta de assinaturas para fundar o partido Aliança Pelo Brasil, sigla que o presidente Jair Bolsonaro tentou criar.

Assis, que é militar do Corpo de Bombeiros, ainda não se filiou oficialmente, pois ainda está na ativa, e a legislação eleitoral estabelece que militares precisam estar afastados do cargo para passar a compor partidos políticos. A filiação dele ocorrerá durante a convenção municipal do partido, nas próximas semanas, sem data definida.

O CASAMENTO PSB-PV

A parceria do PSB com o PV foi a primeira fechada oficialmente na chapa de Saulo Andreon, que também tenta atrair para o palanque outras siglas que estejam integradas ao projeto político liderado pelo governador Casagrande, como PDT, PCdoB, PSC e PP, segundo o  presidente do PSB em Cariacica, Luiz Carlos Índio. Alguns partidos, contudo, ainda têm suas candidaturas próprias, e será preciso amadurecer as conversas.

"Conversamos com todos, mas o PV foi o primeiro a abrir mão. Nosso projeto é que a nossa cidade seja governada por um gestor, e a Câmara seja renovada por pessoas que pensem no desenvolvimento dela", declarou.

Segundo o presidente estadual do PV, Fabrício Machado, não houve acordo sobre a indicação do vice para a chapa. O presidente da Câmara, César Lucas (PV), que seria um possível nome, tem trabalhado pela reeleição a vereador. As conversas entre as siglas já vinham acontecendo há meses, segundo ele.

"Temos uma aliança a nível estadual e temos boa conversa para reproduzi-la em vários locais. Os partidos que estão na base do governo dialogam entre si e têm construído boa parte das parcerias. Há municípios em que teremos candidato a prefeito e que também contaremos com o PSB", afirmou.

Em Vitória, o PV estará na aliança de Fabrício Gandini (Cidadania) e, na Serra, na de Bruno Lamas (PSB), ambos nomes próximos ao Palácio Anchieta. Em Vila Velha, o PV tem como pré-candidata a Doutora Fernanda Martins, mas ainda vem dialogando com vários partidos, segundo o presidente da legenda.

A CHEGADA DE ASSIS AO PTB

O Subtenente Assis teve conversas com o PRTB e com o Patriota, mas definiu que irá para o PTB. No PRTB, ficaria sujeito a não participar de debates de emissoras de rádio e TV. Ele deixou o PSL após a mudança de comando que ocorreu no partido, com a saída de Carlos Manato (sem partido), também bolsonarista, tendo assumido o deputado Alexandre Quintino (PSL), aliado de Casagrande.

Segundo Assis, ele recebeu o convite diretamente de Roberto Jefferson para se filiar. "Saí do PSL pois não ficaria em um partido de direita, subordinado a um grupo de esquerda, e comecei a procurar legendas para disputar. Roberto Jefferson fez convite a militares da ativa para vir para o partido e, considerando que o PTB  mudou seu estatuto em 2018, passando da definição de centro para a direita, encontrei muitas coisas que me agradam: a defesa da família, defesa não só do trabalhador, como do empregador que gera emprego e renda no país, e que todo cidadão tenha direito ao porte de arma", explica. 

Segundo ele, há uma forte possibilidade de aliança com o PRTB e com o Patriota, visto que em Vitória já se definiu que o PTB será vice na chapa de Capitão Assumção. Já na Serra e Vila Velha, o partido também estuda ainda lançar militares. 

"Estamos fazendo um trabalho para unir a direita nas eleições de 2020. É a determinação do presidente nacional, de que estamos proibidos de coligar com DEM, PSDB e partidos de esquerda", afirma.

Diferentemente de outros servidores, que terão que deixar seus cargos até agosto, três meses antes da eleição, os militares têm um prazo maior. Neste ano, eles têm até o dia 26 de setembro para se afastar de suas funções. Se eleitos, também precisam deixar a carreira militar. Se tiverem menos de 10 anos de serviços, são afastados da atividade e só podem retornar após o fim de seus mandatos. Caso tenham mais de 10 anos de carreira, eles são automaticamente aposentados e ficam impedidos de retomar o serviço.

VEJA QUEM SÃO OS PRÉ-CANDIDATOS A PREFEITO EM CARIACICA:

  • Antario Neto (Avante)
  • Jovarci Motta (DC)
  • Euclério Sampaio (DEM)
  • Ivan Bastos (MDB)
  • Subtenente Assis (PTB)
  • Heraldo Lemos (PCdoB)
  • Bianca Biancardi (PMB)
  • Janete de Sá (PMN)
  • Dr Hélcio Couto (PP)
  • Sandro Locutor (PROS)
  • Saulo Andreon (PSB)
  • Adilson Avelina (PSC)
  • Celso Andreon (PSD)
  • Joel da Costa (PSL)
  • Célia Tavares (PT)
  • Wanderlei Thomas (Solidariedade)
  • Nilton Basílio (PDT)
  • Marcos Bruno (REDE)

Os nomes dos pré-candidatos foram fornecidos para a reportagem de A Gazeta pelos próprios partidos políticos.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.