ASSINE

Suspeito de estuprar e engravidar menina de 10 anos fugiu de casa no ES

A ex-companheira dele disse à polícia que, no sábado (8), ele pegou o carro e saiu sem dizer para onde iria. Segundo a polícia, não há mandado de prisão em aberto, por isso ele não é considerado foragido

Publicado em 11/08/2020 às 19h57
Atualizado em 19/08/2020 às 12h01
Delegacia de São Mateus
O crime está sendo investigado por meio da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Idoso (DPCAI) de Sâo Mateus . Crédito: Arquivo

Três dias após o caso de uma criança de 10 anos que engravidou depois de ser estuprada ser descoberto em São Mateus, no Norte do Espírito Santo, o principal suspeito do crime, que é o tio da vítima, ainda não foi localizado nem detido. A ex-companheira dele disse à polícia que, no sábado (8), ele esteve na residência, pegou o próprio carro e saiu sem dizer para onde iria.  Segundo a Polícia Civil, não há mandado de prisão em aberto contra ele, por isso ele não é considerado foragido. O crime está sendo investigado por meio da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Idoso (DPCAI) da cidade.

Após o relato da menina, no sábado (8) policiais militares foram até o endereço informado pela criança em busca do tio. No local, foram recebidos por uma mulher que se identificou como ex-companheira do homem apontado como estuprador. Ela informou que ele saiu de carro sem dizer para onde ia. A ex-mulher também informou que o suspeito possui passagem pela polícia por tráfico de drogas e, mensalmente, comparece ao Fórum municipal.

A polícia afirmou que está realizando diligências e oitivas de testemunhas e familiares da vítima. Apesar das investigações estarem em andamento, a polícia destacou que nenhuma outra informação sobre o caso será repassada. A alegação é que a medida é para preservar a apuração do caso.

RELEMBRE O CASO

O crime de estupro de vulnerável foi descoberto no último sábado (8). Segundo o boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, a criança chegou ao hospital acompanhada por uma tia e afirmou aos médicos que achava que estava grávida.

Os profissionais da unidade notaram que a barriga da criança apresentava um volume e foi realizado um exame de sangue (Beta HCG). O resultado do teste comprovou a gravidez e indicou que a menor já estava grávida há cerca de três meses.

São Mateus
O Conselho Tutelar de São Mateus está acompanhando o caso da criança grávida na cidade. Crédito: Reprodução/Google Maps

Questionada pelos médicos e pela assistente social, a criança contou que era abusada pelo tio desde os 6 anos de idade e mantinha o silêncio porque era ameaçada de morte por ele. O Conselho Tutelar foi acionado e esteve no hospital. A criança foi ouvida, recebeu uma medida protetiva e foi encaminhada para um abrigo.

O QUE DIZ A LEI NESSES CASOS? ADVOGADOS EXPLICAM 

Segundo os especialistas, o caso é delicado e exige medidas urgentes. De acordo com o advogado Raphael Bolt, a Constituição Federal preserva, em primeiro lugar, a vida humana. No entanto, em situações como a que envolve uma menor vítima de abusos sexuais, há possibilidades para a realização de um aborto.

“A vida humana é, sem dúvidas, o mais importante dos valores reconhecidos pelo direito brasileiro. Todo o nosso ordenamento, a Constituição, nossas leis, reconhecem a importância da vida humana. E a legislação penal, ela protege tanto a vida intrauterina como a vida extrauterina. De maneira que nós temos vários crimes que, de alguma maneira, tentam resguardar, proteger o bem jurídico vida e o aborto é um deles”, comentou em entrevista ao Bom Dia ES, da TV Gazeta.

Raphael Bolt, advogado. Crédito: TV Gazeta/Reprodução
Raphael Bolt, advogado. Crédito: TV Gazeta/Reprodução

Para o advogado, apesar de o aborto ser criminalizado pela legislação brasileira, há três possibilidades em que o procedimento é permitido. Segundo ele, caso a gestante não possa consentir, a decisão de realizar ou não o aborto, caberá ao responsável pela criança.

O professor de Processo Penal da Faculdade Multivix e advogado criminalista, Rivelino Amaral, reforçou que no caso da menina de 10 anos estuprada é possível realizar um aborto. Segundo ele, a vítima está amparada em duas situações descritas pelo Código Penal. “Segundo o Código Penal, a gravidez advinda de estupro pode ser interrompida através do aborto. Além disso, como é uma criança de apenas 10 anos, essa gravidez pode representar um risco real para a menina”, explicou o especialista.

MINISTRA DAMARES VAI AJUDAR A MENINA 

Após tomar conhecimento do caso envolvendo a menina de 10 anos que está grávida e foi vítima de estupro, a Ministra de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, usou as redes sociais para anunciar que vai ajudar a criança e seus familiares.

O anúncio foi feito nas redes sociais da própria ministra, que compartilhou a reportagem feita por A Gazeta no último domingo (9) relatando o crime. “Então minha luta é conspiração? Então não existe estupro de crianças? Minha equipe já está entrando em contato com as autoridades de São Mateus para ajudar a criança, sua família e para acompanhar o processo criminal até o fim”, escreveu a ministra no Twitter nesta segunda-feira (11). Veja a publicação abaixo.

No Facebook, Damares também comentou o caso. Na publicação, a ministra destacou a história e externou sua revolta com o crime. “Acabo de receber esta notícia e confesso que meu dia não será mais o mesmo. Uma angústia e uma dor tomou conta de mim”, descreveu.

A ministra relatou ainda que tem trabalhado e lutado para combater crimes de violência contra crianças no Brasil. “Sou obrigada a ver, ler e até assistir imagens aterrorizantes que alguns até acham que estou acostumada e que as notícias não me abalam mais. Pelo contrário, cada caso é uma vida. Toda história provoca em mim a mesma reação e sempre, em lágrimas, pergunto: até quando?”, questionou.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Polícia Civil São Mateus Polícia Militar Abuso em São Mateus estupro estupro de vulnerável são mateus Conselho tutelar

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.