ASSINE

Seis pessoas são baleadas durante festa clandestina em Vitória

Os seis feridos foram socorridos para a UPA de São Pedro e, depois encaminhados para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência; o estado de saúde deles não foi informado

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 06/12/2021 às 10h24
Atualizado em 06/12/2021 às 16h34

Seis pessoas foram baleadas durante uma festa clandestina no bairro São Pedro, em Vitória, na madrugada desta segunda-feira (6). As vítimas relataram à Polícia Militar que dois carros passaram pelo local da festa e os ocupantes atiraram contra o público. Os feridos foram encaminhados para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência (São Lucas)

A PM informou que foi acionada para ir à Unidade de Pronto Atendimento de São Pedro, pois recebeu a informação de que seis pessoas tinham dado entrada com ferimentos de tiros. No local, as vítimas contaram aos agentes que os carros passaram atirando contra as pessoas na festa.

Os seis feridos receberam atendimento médico na UPA e, depois, ainda conforme a corporação, foram levadas por ambulâncias do Samu e da Prefeitura de Vitória para o São Lucas. O estado de saúde das vítimas não foi informado pela polícia.

Hospital Estadual de Urgência e Emergência, (São Lucas), em Vitória
As vítimas foram levadas para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória. Crédito: Fernando Madeira

A reportagem da TV Gazeta esteve no local da festa, que aconteceu em uma praça na região a Ilha das Caieiras. Foram encontradas balas de calibre 9 mm no chão, assim como garrafas quebradas e marcas de sangue. Moradores contaram que traficantes de um grupo criminoso, de um bairro rival, abriram fogo contra as pessoas, sem ter um alvo específico.

Polícia Civil informou que o fato será investigado por meio da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) e que, até esta tarde, nenhum suspeito foi detido. "Para que a apuração seja preservada, nenhuma outra informação será repassada", afirmou a corporação.

Na nota, a PC também destacou que a população pode auxiliar na investigação por meio do Disque-Denúncia (181). "É uma ferramenta segura, na qual não é necessário se identificar para denunciar. Todas as informações recebidas são investigadas", concluiu.

Atualização

6 de Dezembro de 2021 às 16:32

O caso vai ser investigado pela DHPM e ainda não houve detidos, de acordo com nota da Polícia Civil. O texto foi atualizado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.