ASSINE

Quase três celulares são furtados ou roubados por hora no ES

Lançado nesta semana, Painel Crimes Contra o Patrimônio aponta que, até agosto deste ano, 16.123 aparelhos foram furtados ao longo de 248 dias no Espírito Santo

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 24/09/2021 às 18h25
Segurança
Painel informa indicadores precisos referentes aos crimes patrimoniais no ES. Crédito: Reprodução | Sesp

Apenas em 2021, segundo dados colhidos até agosto e divulgados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), 16.123 aparelhos foram furtados ou roubados ao longo de 248 dias no Espírito Santo, o correspondente a uma média de 66 por dia ou quase três celulares por hora. O dado é fruto da nova ferramenta criada para garantir transparência às informações de segurança no Estado, o Painel Crimes Contra o Patrimônio, lançado pelo governo estadual na quarta-feira (22).

O delegado Jordano Leite, gerente de Operações Técnicas da Sesp, e o diretor de Integração e Projetos Especiais do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Pablo Lira, detalharam como funciona o novo instrumento em entrevista à jornalista Fernanda Queiroz, da CBN Vitória, nesta sexta-feira (24).

Segundo o delegado, a nova ferramenta indica que os celulares vêm sendo o principal alvo dos assaltantes. "O painel traz até modelos e marcas. O foco em via pública, em regra, é o celular, já que tem um valor econômico expressivo, além de liquidez, por ser um produto de fácil revenda. Também há facilidade de furtar esse objeto, já que todo mundo tem um. E funciona quase como um computador. As pessoas lembram que, ao sair, devem evitar usar joias, mas o celular por vezes vai na mão e chama a atenção do criminoso", explicou Jordano.

Redes sociais no celular
Quase três celulares são furtados por hora no ES. Crédito: Divulgação/ Pixabay

Pablo Lira complementou citando os aparelhos móveis mais roubados que, segundo o painel, são os da marca Samsung. Os modelos da Apple vêm somente na quinta posição. "Isso se justifica porque há, de fato, mais aparelhos Android em circulação. Mas quando ocorrer esse tipo de crime, o cidadão deve registrar, para ajudar a criarmos esses padrões, enxergando as situações favoráveis aos crimes. Também é importante que as pessoas não alimentem o mercado criminoso do celular, deixando de comprar aparelhos de forma duvidosa, com preço muito baixo e sem nota fiscal, podendo cometer o crime de receptação", afirmou.

DICAS DA PM PARA EVITAR ROUBOS DE CELULAR

Segundo cartilha divulgada pela Polícia Militar, existem cuidados que podem ser tomados pelos proprietários dos aparelhos celulares para prevenir furtos e roubos. Confira:

  1. 01

    Exposição

    Evite expor o aparelho celular em locais de grande fluxo de pessoas. Não tire o telefone do bolso ou da bolsa em áreas conhecidas por furtos e roubos. Evite mexer no aparelho em locais perigosos!

  2. 02

    Local seguro

    Ao manusear o aparelho celular, procure um local mais seguro, como um comércio.

  3. 03

    Número iMei

    Digite *#06# no teclado numérico do telefone e anote o iMei, um número exclusivo de cada aparelho celular. Caso seja vítima de roubo, utilize esse número para bloquear o aparelho.

  4. 04

    Deixar à vista

    Fique próximo do aparelho o tempo inteiro. Não o deixe sobre uma mesa ou em um bolso aberto da mochila, por exemplo.

  5. 05

    "Pode me informar as horas?"

    Não se ofereça para informar as horas em locais pouco seguros. Muitos indivíduos perguntam as horas para descobrirem se o seu aparelho vale a pena ser roubado.

  6. 06

    Usar senha ou código de bloqueio

    Coloque senha, código de bloqueio ou “desenho” para desbloquear seu celular. Logo após o furto ou roubo, o criminoso terá acesso dificultado a seus dados, que poderão ser apagados remotamente por você.

  7. 07

    Não reagir

    Em caso de roubo, nunca reaja. Acione a Polícia Militar por meio do telefone 190.

COMO AJUDAR A POLÍCIA A RECUPERAR APARELHOS FURTADOS

O delegado Jordano Leite orientou que, por meio do site "Cadastro Inteligente", do governo do Espírito Santo, é possível cadastrar o aparelho do celular usando o número exclusivo que existe em cada telefone, o chamado "iMei". A partir do cadastro, a polícia pode cruzar os dados apresentados pelas vítimas aos celulares recuperados frutos de crime e, assim, fazer restituição deles aos proprietários.

Jordano Leite

Delegado 

"Se a vítima registrou ocorrência e informou o número, a polícia consegue restituir. Só que muitas vítimas não colocam o iMei no boletim. Então desenvolvemos esse site para que as pessoas cadastrem o celular antes mesmo de serem roubadas. Se eventualmente for furtada ou roubada e precisar registrar ocorrência, pela plataforma a pessoa consegue e, lá, vai adicionar os dados que a polícia precisa. "

Segundo a autoridade policial, a corporação recebe notificação sobre os celulares cadastrados no sistema. Portanto, se os dados estão no site e eles baterem com os de aparelhos encontrados em ocorrências, a polícia automaticamente saberá quem é o proprietário. "É uma forma preventiva que o cidadão tem, aumentando a chance de recuperar o objeto", acrescentou.

COMO FUNCIONA O "PAINEL CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO"

Segundo o Painel Crimes Contra o Patrimônio, disponível no site do Instituto Jones dos Santos Neves, estelionatos ou fraudes passaram a dominar os indicadores criminais este ano e representam quase 20 mil ocorrências. Em seguida, são os roubos à pessoa em via pública — quase 12 mil roubos. Ao todo, já foram contabilizadas 44.055 ocorrências de crimes contra o patrimônio no Espírito Santo somente em 2021.

O Painel Crimes Contra o Patrimônio está organizado para consulta por bairros e municípios, com informações detalhadas sobre os tipos de incidentes e locais de ocorrência, sempre preservando os dados pessoais das vítimas. São disponibilizados também dados referentes aos objetos roubados, além da data e horário do fato ocorrido. Para o delegado Jordano Leite, com a nova ferramenta, será possível integrar informações que são geradas de todas as fontes a partir da consolidação das bases de dados.

Segundo Pablo Lira, a ferramenta foi desenvolvida em parceria entre a Sesp, o IJSN e o Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação (Prodest). "É bem semelhante ao mecanismo do Painel Covid-19, da Sesa. Por meio dele, observamos a redução de roubos a pessoas em vias públicas, sendo que de 2018 para 2019 reduziu 5,8% e de 2019 para 2020, a diminuição foi de 37%. Já os crimes cibernéticos, em especial fraudes e golpes (estelionatos), aumentaram durante a pandemia", destacou.

Informações úteis constatadas:

  • Em 2021, o município de Vila Velha está em primeiro lugar no registro de ocorrências de crimes patrimoniais (8.042). Em segundo lugar está Serra, com 7.192 ocorrências.
  • Os crimes acontecem mais no início da semana, às segundas e terça-feiras, e vão decrescendo ao longo da semana.
  • Neste ano, janeiro foi o mês de mais ocorrências até agora — pouco mais de 6 mil.
  • Aparelhos telefônicos foram os objetos mais roubados ou furtados (16.123 só em 2021). Em seguida, estão veículos (5.247).
  • Os dados de 2021 consideram o período entre 1º de janeiro a 31 de agosto (242 dias).

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.